clube   |   doar   |   idiomas
E se o Coronavírus houvesse se espalhado sem ser detectado?
Eis um experimento mental que vale a pena

Dentre aqueles que observaram os trágicos, desnecessários e ineficazes lockdowns feitos ao redor do mundo ao longo dos últimos 11 meses, surgiu uma pergunta interessante: como seria se o coronavírus houvesse se espalhado, mas sem jamais ser diagnosticado ou detectado?

Teria a vida sido diferente em um cenário em que essa coisa que causou um enorme pânico global entre os políticos não tivesse sido detectada?

Não se trata de uma pergunta desarrazoada. 

Dado que é difícil imaginar tal cenário em um mundo dominado por redes sociais, por uma mídia histérica (que assassina reputações de pessoas que não façam genuflexão para seus mandamentos) e por políticos que gostam de ser vistos como "atuantes", esse experimento mental se torna mais fácil se recuarmos no tempo.

Doença de mundo rico

Sendo assim, pergunte-se a si próprio o que políticos e uma mídia histérica teriam feito 100 anos atrás caso houvesse um surto desse mesmo vírus.

Em primeiro lugar, dado que o mundo era bem menos rico há 100 anos, ninguém poderia se dar ao luxo de ficar em casa. Dado que trabalhar era o único meio de vida de praticamente todos, não haveria a menor possibilidade de políticos imporem lockdowns. O povo simplesmente teria se revoltado.

Quanto às mortes, vale lembrar que a expectativa de vida era relativamente baixa em 1920. Isso é relevante quando lembramos que o coronavírus, em termos de letalidade, se concentra esmagadoramente em idosos. Nos EUA e na Europa, as mortes ocorreram majoritariamente em asilos e casas de repouso

Tais localidades não eram comuns há 100 anos, e por um motivo simples: pneumonia, tuberculose, meningite, difteria e várias outras doenças letais sempre pegavam as pessoas antes de elas chegarem à terceira idade.

Ou seja, falando mais diretamente, não havia um número suficientemente alto de idosos em 1920 para que o vírus pudesse ter qualquer tipo de impacto letal notável. Consequentemente, devido a esta escassez de idosos, o vírus talvez nem sequer teria sido descoberto.

Pense nisso.

Não é exagero nenhum dizer que o coronavírus é um vírus "para o mundo rico". Fechar o comércio, proibir as pessoas de trabalhar e colocá-las para vivendo de assistencialismo do governo é um arranjo que apenas sociedades muito ricas podem se dar ao luxo de implantar. Pessoas produtivas (e por isso financeiramente bem-sucedidas) possuem empregos "portáteis" (podem trabalhar de casa) e passaram incólume pelos lockdowns (há um estudo que mostra como a disparidade de renda aumentou durante os lockdowns, para surpresa de ninguém). Acima de tudo, apenas em um mundo em que os idosos são realmente velhos é que o vírus consegue ter qualquer correlação notável com a morte.

Atualmente, a expectativa de vida é a maior da história do mundo, e é assim por causa dos enormes avanços na medicina possibilitados pela criação de riqueza e pela acumulação de capital ocorrida ao longo do tempo, as quais possibilitaram às pessoas viverem mais tempo.

A humanidade nem sequer teria notado esse vírus 100 anos atrás. Nós simplesmente não éramos ricos o bastante para isso.

O vírus já estava aqui; e sem histeria

Tudo isso nos leva a um recente estudo do National Institutes of Health (Institutos Nacionais da Saúde), o qual demonstrou que, apenas no último verão americano, praticamente 17 milhões de casos de coronavírus não entraram nas estatísticas. Segundo o estudo, essa descoberta sugere que pandemia estava muito mais difundida no país do que se imaginava. 

Ora, mas é óbvio. E isso ocorreu em todos os países do mundo.

A menos que as pessoas já tenham se esquecido, este vírus começou a circular pelo mundo em algum momento do segundo semestre de 2019, se não ainda antes. Questão de lógica. 

O Partido Comunista Chinês, conhecido por praticar abertamente a censura de informações e por não ser transparente, reconheceu ao mundo a existência do vírus em 31 de dezembro de 2019, o que significa que o vírus certamente já existia e circulava bem antes disso. O epicentro do vírus, a rica cidade chinesa de Wuhan, é facilmente conectável ao resto do mundo via Xangai e Pequim. Milhares de voos diários ligando a China ao resto do mundo eram a rotina até o início de 2020. 

A lógica impõe que o vírus já estava infectado as pessoas globalmente muito antes de os políticos entrarem em pânico. 

[N. Do E.: no Brasil, partículas do novo coronavírus já haviam sido descobertas em amostras do esgoto de Florianópolis colhidas em novembro de 2019; e já se sabe que o vírus já circulava no Espírito Santo em dezembro de 2019].

Sendo assim, não é nada surpreendente que as estimativas feitas sobre o número de infectados nos EUA estejam bem abaixo da realidade. Isso certamente também está ocorrendo no resto do mundo. 

Se, como afirmado pelos especialistas, este vírus se espalha facilmente, e com mais intensidade que o vírus da gripe, e dado que ele começou a se disseminar pelo mundo em algum momento de 2019, então é óbvio que o real número de infectados pelo mundo é muito maior do que o apontado nas estatísticas oficiais.

Mas o que é realmente interessante nesta rápida disseminação é que a vida continuou seguindo normalmente enquanto o vírus se espalhava pelo mundo. Nos últimos meses de 2019 e nos dois primeiros meses de 2020, as pessoas já conviviam com o vírus. E a vida seguia normal. Aquilo que é majoritariamente letal para os mais idosos não é muito notado por aqueles que não são velhos. Um vírus que rapidamente se espalhava não era um fator importante até os políticos decidirem torná-lo importante.

Com efeito, um vírus que é majoritariamente letal apenas para os mais velhos possui características mansas para os jovens. Se eles são infectados, a esmagadora maioria nem sequer considera os sintomas preocupantes o bastante para irem fazer exames.

É isso o que o estudo dos Institutos Nacionais da Saúde parece indicar. O estudo analisou testes sanguíneos de 11.000 americanos que até então não tinham sido diagnosticados com Covid-19. Dos participantes, 4,6% tinham os anticorpos da Covid-19, mas sua real fase de infecção nunca ficou aparente para eles.

E é exatamente isso o que as pessoas mais sensatas sempre falaram: o real número de infectados sempre foi muito maior do que as estimativas exatamente porque, para a esmagadora maioria dos infectados, os sintomas da infecção ou não eram sentidos ou não eram incômodos o bastante para justificar uma ida ao médico.

Voltando novamente 100 anos no tempo, pergunte-se a si mesmo quantas pessoas, naquela época, procurariam um médico caso algo semelhante ao coronavírus estivesse se disseminando. Ou, melhor ainda, quantos fariam exame em um mundo que era muito mais pobre do que hoje.

Essas perguntas são meramente retóricas. O vírus teria se disseminado rapidamente entre a população mais nova em 1920, e as pessoas infectadas teriam desenvolvido imunidade.

A vida seguiria

Pelo estudo dos Institutos Nacionais da Saúde, não é desarrazoado especular que muito mais indivíduos ao redor do mundo estão imunes ao vírus do que mostram as estatísticas, e que a melhor abordagem, desde o início, teria sido a liberdade

Deixem as pessoas viverem suas vidas. Mais importante: deixe que os mais jovens sejam infectados. Foi exatamente assim que a humanidade avançou durante séculos: sendo infectada e desenvolvendo imunidade. Com efeito, é exatamente assim que se cria imunidade e resistência: sendo infectado.

Portanto, o que teria ocorrido se o coronavírus houvesse se espalhado sem ser detectado? Jamais saberemos, mas é sim possível ter uma ideia. 

O vírus não começou a se espalhar repentinamente apenas em março de 2020. Não é porque os políticos decidiram que deveriam fechar tudo em março de 2020 que o vírus começou apenas ali. Ele certamente já rodava o mundo em 2019. No início de 2020 já era uma realidade. A vida seguia normal enquanto o vírus já circulava pelo mundo.

E assim deveria continuar. Se há algo que a história do mundo comprova é que indivíduos livres estão constantemente respondendo a desafios, e organizando maneiras de atacar esses desafios. Acreditar que, se não houvesse políticos e burocratas dando ordens e apresentando diretrizes, as pessoas simplesmente ficariam sentadas inertes e apáticas em resposta ao novo coronavírus não é nada realista. Elas teriam se mobilizado. Elas sempre fizeram isso. Na melhor das hipóteses, a brutal intervenção política — por mais bem intencionada que fosse — simplesmente revogou essa possibilidade.

Sars-Cov-2 não será o último vírus deste tipo a se disseminar pelo mundo. Pode ter a certeza de que, tão logo a próxima cepa surgir, cientistas alarmistas, médicos e auto-declarados especialistas irão, sem nenhum esforço, convencer  políticos assustados e ávidos por "fazerem alguma coisa" a nos protegerem da doença, e até mesmo da morte. Políticos adoram isso.

Mas será que realmente precisamos de políticos para evitarmos ficar doente? Precisamos de burocratas para nos protegerem da morte? É realmente possível alguém afirmar isso sem nenhuma vergonha?

O real problema dos lockdowns não é que eles destroem empregos, empresas e o espírito humano. O real problema é que tudo aquilo que retira a liberdade é, por definição, contra a própria vida humana. Aquilo que esmaga a liberdade também aniquila o conhecimento necessário para prolongar a vida e o bem-estar.

Foram os políticos que tornaram tudo anormal. Jamais nos esqueçamos da odiosa carnificina que eles conseguem criar quando encontram razões para "fazer alguma coisa".




  • Ricardo  05/02/2021 18:45
    Excelente. Aliás, já notaram a evolução da narrativa?

    1) Fique em casa por 15 dias.
    2) Fique em casa até achatar a curva.
    3) Fique em casa até os hospitais esvaziarem.
    4) Fique em casa até acharmos uma vacina.
    5) Fique até que todos sejam vacinados.
    6) Fique em casa mesmo após a vacina, pois ainda há riscos.

    Quando é que vamos admitir que tudo isso é uma palhaçada criada por políticos com motivações puramente eleitoreiras?
  • Fernando  05/02/2021 18:50
    Nos EUA, foi só o Trump sair e um democrata ir para a Casa Branca, que imediatamente todos os governadores democratas mudaram radicalmente sua política. Agora, os governadores da California e de Nova York já estão falando que é para abrir tudo, pois não dá pra "ficar fechado pra sempre".

    Tudo canalha.

    Se aqui no Brasil o presidente fosse o Alckmin, você acha que o Dória estaria mandando fechar tudo?

    Política empobrece, ferra e mata.
  • Felipe  05/02/2021 18:57
    E se o vencedor tivesse sido o Fernando Haddad?
  • Bernardo  05/02/2021 19:13
    Aí o PT passaria a regulação dos meios e fecharia toda e qualquer imprensa que sequer mencionasse vírus. Não haveria a mais mínima chance de eles destruírem a economia e, com isso, aniquilarem por completo seu futuro eleitoral.

    No Twitter toda a esquerda progressista dizia abertamente que o lockdown seria bom porque a destruição econômica sepultaria por completo o futuro político de Bolsonaro. Todo mundo só pensa em política e em mandar. Ninguém tá nem aí pra nada. Aliás, a esquerda progressista tem nojo indisfarçado pelo povão. Só tolerava o povo quando ele votava em Lula e Dilma. Depois que o povo mudou de lado, passaram a xingá-lo de tudo quanto é nome. O cara trabalha a semeada inteira pegando ônibus; mas se decide passar algumas horas do domingo na praia, é chamado de genocida.
  • Fabrício  05/02/2021 19:05
    Assim que o Xiden tomou posse, os métodos de detecção de Covid foram radicalmente alterados. Resultado: os casos despencaram 40%.

    www.dailymail.co.uk/health/article-9219379/Why-coronavirus-cases-falling-fast-New-infections-drop-44-three-weeks.html

    Ao mesmo tempo, CNN retirou o "contador de mortos por Covid", que sempre ficou em destaque na tela.
    Pra completar, um estudo que criticava a hidroxicloroquina foi silenciosamente não só foi retirado de um grande journal médico, como o próprio American Journal of Medicine passou a publicar artigos favoráveis à HCQ.

    Um escândalo.
  • Revoltado  05/02/2021 20:41
    Fora que o gado defensor desses canalhas (sim, pois nunca vejo PSOL personificado em rede social malhando Dória e afins, apenas o presidente Bolsonaro) vê a tal vachina como um Messias para redimir o povo tão sofrido por causa da peste chinesa!
    Basta falar em hidroquicloroquina perto destes para que os pelos próximos ao canal retal se arrepiem e tenham sudorese raivosa!
  • Humberto  05/02/2021 21:12
    Pra mim, o lockdown foi a medida em que toda a incoerência da esquerda foi desnudada.

    Além de ter deixado claro ela nunca realmente esteve preocupada com os pobres, nunca realmente esteve comprometida com liberdades civis, e não se preocupa com a privacidade individual e com a educação infantil, mostrou também que a esquerda, que vivia reclamando de brutalidade policial, passou a aplaudir quando a polícia começou a espancar ambulantes e a prender mulheres e crianças que estavam "furando a quarentena".

    Ou seja, a esquerda só não gosta da polícia quando ela bate em bandido. Já quando ela espanca trabalhadores (reacionários) e prende mulheres e crianças, aí ela é top.
  • EUGENIO  07/02/2021 10:59
    FRAUDEMIA

    O sr chama de palhaçada, há muito tempo chamo de fraudemia,FRAUDEMIA, e os crentes desta nova seita são os FRAUDEMiSTAS, destacado direto no Brasil o histérico e escandaloso Dória, garoto propaganda da "vachina" no mundo todo.

    E sim, o virus já rodava no mundo em 2019,inicio de 2019 já recordamos de pessoas com estes sintomas,estranhas pneumonias, algumas mortais.

    As telecomunicações e os transportes modernos, RÁPiDOS ÁGEiS se encarregaram de disseminar o virus,observem a intensidade da incidência do virus justamente em GRANDES CiDADES que tem GRANDES AEROPORTOS.

    Cidades industriais da italia "compradas por chineses, com aeroportos chineses dentro da itália.se revelaram FOCOS em destaque.

  • Rodrigo  08/02/2021 12:47
    Exatamente!

    Com a máscara é a mesma coisaÇ
    Use a Máscara!
    Não, agora use duas máscaras!
    Não, agora use quatro máscaras!
    Não, use a máscara em casa!

    Ora, então use o pacote de máscaras inteiro, meu:
    i.4cdn.org/pol/1612751017985.jpg
  • ANTONIO JORGE BARBOSA  08/02/2021 21:02
    Concordo
  • Lucas  14/02/2021 13:39
    Mas eles sempre tem um argumento pra manter: O colapso do sistema de saúde em Manaus com falta de oxigênio, leitos de UTI escassos, as novas variantes mais transmissíveis, enfim, com tudo isso é muito fácil o povo acreditando - afinal, se tudo voltar a normalidade o número de mortos aumentaria de forma exponencial segundo o senso comum.
  • Felipe  05/02/2021 18:56
    "E se o Coronavírus houvesse se espalhado sem ser detectado?"

    Basicamente o que está acontecendo na Bielorrússia. Alexander Lukashenko no máximo recomendou tomar vodca e um banho de sauna.

    O mundo está tão louco que quem não está impondo lockdowns é justamente um ditador socialista que está lá desde 1994.

    Se tivessem feito lockdowns na Europa durante a Peste Bubônica, o continente voltaria à Idade da Pedra.
  • Edujatahy  05/02/2021 19:01
    Não fosse a politicagem e o desespero midiático, essa vírus nem sequer seria comentado. Seria um surto de gripe como qualquer outro, da mesma forma que influenza, h1n1 e por aí vai.

    A única coisa que este vírus serviu foi para deixar claro quão distante estamos da liberdade, quão doutrinado e obediente é a população e que *já vivemos* em uma distopia totalitária ao estilo do manual de instrução 1984 (porque claramente não dá mais dizer que se trata de um livro de ficção.)

    Para onde iremos a partir de agora? Difícil saber, mas abrir os olhos para a real situação de escravidão que vivemos talvez seja o primeiro passo para sequer pensarmos na possibilidade de liberdade.

  • Fabrício  05/02/2021 19:36
    O pior de tudo sempre foi a hipocrisia. Quarentena, isolamento vertical e lockdown, tudo sempre foi uma hipocrisia elitista. Rico e classe média alta defendiam o "fique em casa", mas exigiam que motoqueiros, caminhoneiros e mais pobres em geral se locomovessem diariamente para produzir e transportar comida. E ai destes se resolvessem "ficar em casa".

    Uma pessoa minimamente lógica defenderia toda a população confinada em casa, com caminhões do exército ou coisa parecida deixando pacotes de comida na porta para a população não morrer de fome. Lei marcial total, com as forças armadas controlando tudo. Mas não. Defenderam o lockdown da classe média. Os pobres continuavam andando de ônibus e metrô para manter funcionando os "serviços essenciais", enquanto a classe média fingia que pobre não pega nem transmite vírus.
  • anônimo  05/02/2021 20:49
    Uma coisa que nunca entendi foi fechar estabelecimentos e manter apenas alguns abertos (supermercados e padarias) por horário reduzido. Isso gera aumento exponencial de aglomeração todos os dias.

    Não era pra evitar aglomeração?
  • Carlos Alberto  05/02/2021 21:01
    No dia da eleição municipal, eles aumentaram o horário de votação.
    Ou seja, esses putos nem disfarçam. Querem apenas controlar, subjugar, humilhar, destruir e mandar.
    E ainda chamam de genocida e acabam com a reputação de quem critica tudo isso.
  • Diógenes  05/02/2021 21:03
    Aqueles que trancaram todo mundo foram pra Miami e pro Maracanã. E ainda tem um bando de otário aplaudindo.
  • EUGENIO  07/02/2021 17:23
    POIS É, DEVERIAM APANHAR DE BORDOADA NA VOLTA E SEREM DESTITUIDOS

    DESAVERGONHADOS DESONESTOS POSTOS FORA DO CARGO.

    DORIA RESPONDERIA CRIME FALSIDADE IDEOLOGICA PERTURBAÇÃO SOCIAL,PREVARICAÇÃO
  • Arthur  05/02/2021 19:33
    Podem reparar que tudo está ligado à cultura da população. Quem mora em cidade grande gosta de posar de progressista e antenado, a acaba acreditando absolutamente em tudo da grande mídia. Quando assusta, vira escravo e acha lindo.
    Já a população do interior, tradicionalmente mais conservadora, não tem faniquitos.

    A população das grandes cidades em quase nada se distingue de ovelhinhas. Todo mundo obedece sem questionar o que políticos e mídia mandam.

    Já o povo do interior tem mais hombridade e menos medo.

    Ao se comparar uma cidade de mais de um milhão de habitantes com outra de 60 mil a diferença no comportamento é gritante. A de 60 mil nem sequer fechou comércio.
  • Régis  05/02/2021 19:39
    Sim. As capitais e as grandes cidades, além de serem barris de pólvora, são dominadas pela mentalidade da esquerda universitária revolucionária. Trata-se de uma população que fica facilmente de joelhos para as últimas tendências progressistas. Obedecem tudo, facilmente. Se surgir um ditador verdadeiramente progressista, todos obedecerão. E ainda execrarão quem se atrever a questionar. Substituíram Deus por políticos e jornalistas, que são a nova divindade.

    Já no interior ainda há um conservadorismo. Há mais religiosidade. E há mais ética do trabalho. Essa ideia de todo mundo ficar em casa, sem trabalhar, para se proteger de um vírus (cuja taxa de sobrevivência é de 99,95%) é vista como total aberração. Coisa de frouxo, almofadinha, filhinho de papai que pode viver de herança.
  • Rafael  05/02/2021 19:44
    Este senhor italiano vale mais do que 100.000 desta nova geração de FLOQUINHOS DE NEVE que temos hoje.

    Afetados, starbuckianos.

    twitter.com/allanldsantos/status/1340850652600295426
  • Bruno Godoi  09/08/2021 01:06
    Houve várias cidades bem pequenas que fizeram uns lockdowns bem pesados. Vc acha fácil no google. Lembro-me de Amparo/SP em abril de 2021, mas tem outros exemplos.

    Numa cidade grande, o que aconteceu é que, no Brasil, a periferia estava funcionando normalmente a toda. Quem se lascou era quem ia trabalhar no centro que tinha trocentas barreiras policiais.
  • L Fernando  11/02/2021 19:19
    Moro em cidade de 10 mil habitantes
    Nenhum lockdown
    Ninguem usa máscaras
    ZERO CASOS
    NENHUMA MORTE POR COVID
  • anti estado  13/02/2021 23:35
    eu moro em(BH), tenho nojo da gadosidade do povo daqui, sobretudo dos bairros de classe media, media/alta, tudo gado de abate, gente covarde e estupida, são diplomados mas incapazes de enxergar a realidade por si mesmos, dependem da grande midia até para pensar.
  • Daniel Cláudio  05/02/2021 19:47
    Essa notícia aqui é espetacular.

    Ninguém morreu por dengue na cidade de SP em 2020

    E o pior é que falam isso seriamente!
  • Otávio  05/02/2021 20:06
    Vou repetir o que já disse em outro lugar: ninguém morreu de gripe normal este ano. E, pelo visto, nem de dengue. Por quê? Pergunte a qualquer médico ou enfermeiro que trabalha em hospital ou pronto-socorro: todos eles são obrigados a declarar "Covid-19" como causa mortis de qualquer pessoa que tenha morrido de qualquer outra doença.

    Motivo: planos de saúde e seguros de vida, por lei, são isentos de arcar com os custos de mortes causadas por uma pandemia, o que faz perfeito sentido econômico.

    www.conjur.com.br/2020-abr-01/direito-civil-atual-seguros-privados-cobrem-eventos-associados-pandemias

    E eu nem acho que eles estão errados. Ao contrário: não faz sentido eles serem obrigados a pagar por algo que não está no contrato e cuja veracidade ninguém comprova.

    Mas o ponto é: por causa dessa prática, esse número oficial de mortos divulgado está extremamente inflado. Pessoas que efetivamente morreram de Covid (e não com Covid) não chega nem às metade do divulgado. E estou sendo conservador na estimativa (tem médico que jura que o número real não chega a 20% do divulgado).

    Com essa notícia aí da dengue, você pode com 100% de certeza saber que todos os mortos de dengue foram contabilizados como mortos por Covid-19.
  • Igor  06/02/2021 20:59
    Dúvida boba, mas se os convênios não arcam com os custos então quem arca?
  • Otávio  06/02/2021 22:24
    A família. É como se não houvesse plano de saúde. Todas as pessoas que morreram de dengue em 2020 teriam de ser cobertas pelos planos. No entanto, se o hospital disser que a causa foi Covid, que é classificada como pandemia, acabou. Tudo fica por conta da família.

    Eis aí um prato cheio para a imprensa, mas ela não vai fazer isso porque, se fizer, será a maior auto-desmoralização da história: as mortes por Covid, tão propagadas pela imprensa, serão bem menores que as relatadas, todo o pânico terá sido sem nenhum sentido e milhões de famílias foram prejudicadas pela própria imprensa.

    Por isso todos os veículos seguem encobrindo esse escândalo.
  • Tiago Voltaire  09/02/2021 12:46
    Você leu a notícia? Em 2019 morreram três pessoas de dengue. Não sei se é um bom exemplo para o que você quer argumentar.
  • Egust Cruz  05/02/2021 20:48
    Se pandemia de corona vírus majoritariamente escolhesse vítimas preferenciais "idosos", não teríamos milhares de pessoas jovens adoecendo, sequeladas ou morrendo, muitas sem comorbidades (coexistência de doenças) aparente.
    Ledo engano imaginar "delirios psicodélicos" que a covid 19 é uma gripe inofensiva e só acomete idosos descuidados, relapsos ou frágeis c/ própria saúde.
    Até então o lockdown é o remédio mais eficaz p/ arrefecer, mitigar contágio da doença na sociedade.
    Entre a ciência e o achismo escolho ficar ao lado dos inúmeros estudos acadêmicos, médicos e científicos e NEGAR peremptoriamente incertezas, dúvidas e falsidades alheias ao verdadeiro sentido da preservação da vida...
    Economia se mede em números, logo, podemos defender que sem vidas funcionais não há economia que resista.
  • Fabrício  05/02/2021 20:59
    "Até então o lockdown é o remédio mais eficaz p/ arrefecer, mitigar contágio da doença na sociedade."

    A própria OMS deu uma guinada de 180 graus e passou a condenar lockdowns.

    Coronavirus: WHO backflips on virus stance by condemning lockdowns

    Aliás, quem defende lockdown é que é o verdadeiro genocida. Os próprios dados comprovam: quanto maior o lockdown, maiores os contágios e as mortes. Vide Reino Unido, Argentina, Espanha, França, Itália e os estados americanos governados por democratas (compare California e Nova York com Flórida, Geórgia e Dakota do Sul). No Brasil, o maior número de mortes per capita é em São Paulo, exatamente o estado mais fechado de todos.

    Quanto maior e mais intenso o lockdown, maior o número de mortos (óbvio: não há imunidade de rebanho).

    O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.

    A única coisa que foi apresentada foi um modelo matemático do Imperial College, de Londres. Só que os modelos do Imperial College possuem vinte anos de histórico pavoroso; suas previsões sempre se revelaram astronomicamente erradas, e é apavorante que eles tenham sido utilizados para nortear decisões tão importantes. A própria imprensa britânica não se cansa de ridicularizá-los.

    Ou seja, apenas imbecis completamente fanatizados continuam elogiando essa merda. E, agora, sem nenhum argumento. Restou-lhe apenas a "burrice argumentativa por ignorância científica".
  • Ex-microempresario  05/02/2021 23:34
    Só uma pergunta:

    Estes "inúmeros estudos acadêmicos, médicos e científicos", você leu e entendeu todos eles, ou só ouviu falar deles na tv, no facebook e no twitter?
  • anônimo  06/02/2021 22:27
    Ledo engano imaginar "delirios psicodélicos" que a covid 19 é uma gripe inofensiva e só acomete idosos descuidados, relapsos ou frágeis c/ própria saúde.

    "De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maioria dos pacientes com COVID-19 podem ser assintomáticos e cerca de 20% dos casos pode requerer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória e desses casos aproximadamente 5% pode necessitar de suporte para o tratamento de insuficiência respiratória (suporte ventilatório)."

    www.pfizer.com.br/cancernaofazquarentena/perguntas-e-respostas/sobre-o-covid-19

    se é assintomatico entao em ate 80% dos casos nem "gripe inofensiva" vira, isso ta no site de um fabricante de uma das vacinas

    essa turma que chama os outros de negacionistas sao a mesma turma que dizem que o medico é ignorante porque receita HCQ e que um jornalista que nunca escreveu um artigo cientifico ou usou base alcalina pra tirar acidez na vida é que autoridade pra falar sobre medicina

    mas veja como eles ficam revoltados de serem contrariados ... realmente o coronga virou uma religiao de fanaticos
  • Egust Cruz  05/02/2021 21:38
    "O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona."
    Caro, contra fatos n há argumentos.
    Sem lockdown sistema de saúde entraria em colapso total, falência generalizada, congestionamento interminável de pessoas doentes, sistema de saúde devastado por falta de atendimento, carência inesgotável de insumos hospitalares e material humano, vide exemplo em Manaus.
    A priori, é o melhor remédio na prevenção da chaga terrível que leva terror ao mundo.
    Distrofia intelectual e cognitiva compromete as relações interpessoais em sociedade. No mínimo, esperava argumentos plausíveis de acalorar uma profunda discussão, respeitando diferenças, opiniões, ideias e pensamentos distintos ao nosso "genus vivendi".
    De fato, arrogância é uma FALSA CONFIANÇA que no geral mascara grandes inseguranças - esse "status quo" muitas vezes nos impede de dar passos maiores na vida.
    Desculpa ter te deixado descontente, foi só uma humilde opinião objetiva e racional, perdoe-me.


  • Fabrício  06/02/2021 06:17
    Todas as estatísticas oficiais já apontaram que o contágio se dá majoritariamente em casa (dica: vírus não respeita barreiras), o que invalida todo o argumento pró-lockdown. Eis o que disse a Universidade de Hong Kong.

    O caso mais simbólico é o do estado de Nova York, que é o território com a maior contaminação do mundo. Eis o que diz a notícia, com a própria participação do governador do estado de Nova York:

    "Most new Covid-19 hospitalizations in New York state are from people who were staying home and not venturing much outside, a "shocking" finding, Gov. Andrew Cuomo said Wednesday. […]

    It shows that 66% of new admissions were from people who had largely been sheltering at home. The next highest source of admissions was from nursing homes, 18%." 

    Ou seja: quem se contaminou era gente que estava fazendo quarentena em casa, de resguardo, e não pessoas que estavam saindo de casa para passear. 84% dos hospitalizados com covid-19 estavam cumprindo a quarentena horizontal (66% em casa e 18% em asilos), a mesma quarentena que os ignaros juram ser a salvação.

    "If you notice, 18% of the people came from nursing homes, less than 1% came from jail or prison, 2% came from the homeless population, 2% from other congregate facilities, but 66% of the people were at home, which is shocking to us," Cuomo said.

    "This is a surprise: Overwhelmingly, the people were at home," he added. "We thought maybe they were taking public transportation, and we've taken special precautions on public transportation, but actually no, because these people were literally at home."


    Ou seja, segundo o próprio governador, ele ficou estupefato ao descobrir que 66% dos contaminados estavam de quarentena em casa, 18% dos contaminados estavam em casas de repouso e mais 4% em asilos, e 2% eram mendigos.

    E ainda arremata: "Pensávamos que seriam pessoas que estavam usando o transporte público, e tomamos precauções especiais nos transportes públicos, mas na realidade não, essas pessoas estavam literalmente em casa".
  • Ex-microempresario  06/02/2021 15:02
    Egust, espero que vc não se importe com umas aulinhas de lógica:

    "Caro, contra fatos n há argumentos.
    Sem lockdown sistema de saúde entraria em..."

    Se você está usando um verbo no futuro do pretérito, você não está relatando um fato (no máximo, um "suposto" fato).


    "A priori, é o melhor remédio..."

    Se é a priori (que significa "de antes"), então você não está falando de fatos. Está fazendo uma suposição baseada em casos anteriores.


    No mais, suas manifestações sobre "Distrofia intelectual e cognitiva" e "arrogância é uma FALSA CONFIANÇA" me levam a uma dúvida: vc tem espelho em casa?
  • Ex-microempresario  06/02/2021 23:58
    Eu sigo umas regrinhas na internet que nunca falham.

    - Falou "contra fatos não há argumentos", pode saber que vem um monte de argumento e nenhum fato.

    - Começou chamando de "artigo parcial" ou "texto tendencioso", pode saber que é alguém que não tem argumento nenhum e vai enfileirar todas as palavras difíceis que conhece para tentar parecer inteligente.

    - Falou "mas nos países escandinavos...", certeza que é alguém que não percebe a diferença entre seus sonhos e a realidade.

    - Falou "vá estudar", é um universitário (provavelmente de uma federal qualquer) que acha que sabe mais que todo mundo.

    - Terminou o comentário relinchando ("kkkkkk" ou "rsrsrsrs"), é um adolescente semi-analfabeto que se sente poderoso xingando os outros (atrás do teclado, ao vivo ele é mais manso que filhote de labrador).
  • Caro anonimo  07/02/2021 01:33
    Quando o cara inicia um texto com um "Contra fatos não há argumentos" pode ter certeza que vai vir merda
  • EUGENIO  07/02/2021 12:27
    Entendo lockdown como "sair da chuva",se abrigar,sair da intempérie e depois normaliza.

    Mas o exagero causará mais males do que beneficios.

    Nem rigor máximo, nem insensatez!

    BOM SENSO È FUNDAMENTAL!
  • Erick  10/02/2021 01:15
    Quando leio "contra fatos não há argumentos" já sei que não virão fatos. E muito menos argumentos.
  • rraphael  05/02/2021 22:32
    dentro da linha apresentada no artigo , ainda no primeiro semestre de 2020 se levantava a questao de que o virus identificado na europa era diferente do assim chamado epicentro - wuhan

    www.biorxiv.org/content/10.1101/2020.04.29.069054v1

    www.latimes.com/california/story/2020-05-05/mutant-coronavirus-has-emerged-more-contagious-than-original

    The new strain appeared in February in Europe, migrated quickly to the East Coast of the United States and has been the dominant strain across the world since mid-March, the scientists wrote.

    um virus nao sofre variaçao em uma janela tao curta de tempo, voce precisa ter uma primeira infecçao e varias subsquentes, em diversos biotipos e ambientes, pra começar a aparecer variantes, e so entao essas ganharem "chão" pra serem identificadas - corretissima a percepçao do autor

    e a midia tem explorado a peso nos ultimos tempos as "novas cepas", o que é apenas requentado fracasso ... criar histeria porque um virus "sofre mutaçao" é chover no molhado, mas é impressionante que o povao esta tao letargico e dominado que voce só ouve ecos de ideias prontas , a capacidade critica esta negativa

    no fim o principal objetivo foi muito bem conquistado , influenciar e controlar a populaçao , a midia estava em decadencia, de repente se viu no topo de novo, é só olhar as estatisticas, de acessos unicos diarios a valores de propaganda - pra esses a epidemia nunca mais acaba, imagina o quanto vao perder se o povao largar a m* da internet e forem trabalhar

    da mesma forma a politica, que vinha desacreditada, puderam ser de novo ser os salvadores das situaçoes que eles mesmos criaram ... como disse explicitamente o molusco mitomaniaco : ainda bem que existe o coronga

    esse é um estrago que o povao ainda esta muito distante de se tocar , por mais que se explique, desenhe, estamos pregando no deserto em plena era da informaçao
  • ze da couves  05/02/2021 22:42
    as medidas idiotas tomadas contra o covid é o que vemos na superficie... os efeitos psicológicos e sociais, nossa subserviência ao estado-deus são os objetivos dessa desgraça que nos foi imposta e cujos resulltados serão sentidos em futuro próximo... nunca em tempos de paz medidas tão draconianas sobrevieram ao cidadão comum, e isso tudo em uma escala global! foi o primeiro grande passo para o que está por vir.. e não vai ser bonito...
  • medroso  05/02/2021 22:55
    E porque não se vacinar? que negacionismo é esse? vacina nunca matou ninguem é mais facil vc morrer pelo virus
  • Fabrício   06/02/2021 00:02
    Não sei exatamente com quem você está falando, mas respondo por mim.

    1) Qualquer vacina precisa de pelo menos dez anos de prova para se saber se há efeitos colaterais.

    2) Quem tomar uma vacina elaborada às pressas (não interessa se é da Pfizer ou de uma estatal chinesa) corre o risco de, daqui a alguns anos, se descobrir infértil, impotente, cego, surdo, com deficiência motora, com definhamento de algum órgão, ou coisa semelhante.

    3) Por que se arriscar para tomar uma vacina (feita às pressas) contra um resfriado (Covid-19 é resfriado, e não gripe) cuja taxa de sobrevivência é de 99,995%?

    4) Qualquer adulto com menos de 70 anos e que seja minimamente sensato deveria ficar longe de uma vacina feita às pressas. E o fato de, aqui no Brasil, uma vacina feita pelo governo chinês (a qual não é usada nem na China e nem em nenhum outro país do mundo) estar sendo estrepitosamente defendida por políticos (que certamente estão recebendo agrado$ desses laboratórios) deveria aumentar ainda mais a desconfiança.

    5) Forçar o indivíduo a correr esse risco é um atentado às mais básicas liberdades civis. Qualquer pessoa que defenda isso tem de ser fisicamente removida da sociedade, pois representa um perigo real e imediato à vida e à integridade física do indivíduo.


    Em suma: qualquer vacina, por melhor que seja, precisa de anos de pesquisa, desenvolvimento e experimentação. É apenas por meio de pesquisa, desenvolvimento e experimentação que se pode conhecer todos os possíveis efeitos colaterais de longo prazo.

    Sim, é chato ter de esperar todo esse tempo, principalmente quando se está ansioso por algo, mas esta sim é a verdadeira ciência.

    Qualquer vacina criada, desenvolvida e injetada na população em menos de um ano configura um extremo ato de irresponsabilidade. Chega a ser crime.

    Que políticos queiram faturar em cima deste ato publicitário é até compreensível; agora, é inaceitável que a mídia e pessoas inteligentes não apenas não denunciem isto, como ainda apoiem.
  • medroso  06/02/2021 01:27
    Você é médico pra falar isso? Ciência? o desenvolvimento vinha a anos e agora que correram com dinheiro fizeram 1 ano em 5. O virus é inativo injetado no seu corpo, me apresente PROVAS de pessoas com sintomas graves ou piores que pegar a COVID-19 em decorrencia da VACINA. Não sabia que aqui tinha negacionista barato, ja n bastava negar aquecimento global, ainda agora mais essa.

    Entendo que o capitalismo e os preços deva ser livre, mas esse papo se vocês já ta virando Olavo terraplanista
  • Fabrício  06/02/2021 05:30
    "Você é médico pra falar isso?"

    Uso a lógica e a própria ciência.

    "Ciência?"

    Sim, ciência. Não confundir com política, que é o seu caso.

    "o desenvolvimento vinha a[sic] anos"

    É mesmo? Então eles eram videntes. Como vinham desenvolvendo há anos uma vacina para algo que só surgiu ano passado?

    Gentileza fornecer links para substanciar sua afirmação acima.

    "e agora que correram com dinheiro fizeram 1 ano em 5."

    Quando interessa, esquerdista vira ultra-capitalista, dinheirosa e defensor ferrenhos das grandes multinacionais farmacêuticas. Impressionante

    "O virus é inativo injetado no seu corpo"

    Doçura, eu sei como funcionam as vacinas.

    "me apresente PROVAS de pessoas com sintomas graves ou piores que pegar a COVID-19 em decorrencia da VACINA."

    Você tem problemas graves com a lógica. Deixa eu tentar desenhar.

    Se eu estou justamente falando que o problema é a ausência de testes e de comprovações sobre os efeitos de longo prazo, como é que você quer que eu apresente exatamente estes resultados de longo prazo?!

    Você é burro assim mesmo ou tá só fazendo charme?

    Aliás, vou entrar no clima: apresente-me você provas de que não há absolutamente nenhum efeito colateral para daqui a 5 ou 10 anos.

    Mande-me links de estudos sérios e completos sobre isso. Você jura que eles existem.

    "Não sabia que aqui tinha negacionista barato, ja n bastava negar aquecimento global, ainda agora mais essa."

    Ui! Argumento devastador.

    Aliás, essa novidade é sensacional: aquecimentista global defendendo ferrenhamente um produto fabricado às pressas por grandes conglomerados farmacêuticos que visam ao lucro e que operam em conluio com governos (que é a definição clássica do fascismo).

    Morro e ainda não vejo de tudo.

    "Entendo que o capitalismo e os preços deva ser livre, mas esse papo se vocês já ta virando Olavo terraplanista"

    Qual exatamente é o seu problema comigo? No meu mundo, você é livre para ir lá e dar o seu bumbum para a primeira agulha que surgir. Eu serei a última pessoa a lhe proibir de fazer isso. Só quero entender por que você está bravo de eu não ter a mesma tara que você.
  • Artista Estatizado  06/02/2021 01:51
    O link com as dicas de formatação não está funcionando mais aqui no site
  • Artista Estatizado  06/02/2021 01:57
    Esse usuário do Twitter levanta um ponto interessante: a idade média dos que morreram por COVID no Reino Unido é maior do que a expectativa de vida geral da população. Um cínico diria que estar infectado pelo COVID aumenta a expectativa de vida

    mobile.twitter.com/ZubyMusic/status/1331198583731785728
  • Caro anonimo  06/02/2021 21:25
    Com tantos dados falsos ou incompletos divulgados pelos hospitais, á tendência é essa mesmo, está destruindo as estatísticas.
  • WMZ  06/02/2021 11:46
    *Off Topic*

    O dólar está mundialmente fraco e, com isso, importar petróleo se torna mais difícil pois são necessários mais dólares para importar a mesma quantidade de barris.

    Agora vem a pergunta:

    E as exportações? Elas ficam mais atraentes por causa da maior quantidade de dólares que será necessária para comprar soja, por exemplo? Ou elas serão frustradas, já que os estrangeiros diminuirão as exportações que ficaram caras?

    Na década de 00', com o dólar fraco, foi a primeira opção.

    Como que está a conjuntura?
  • Trader  06/02/2021 14:30
    "E as exportações? Elas ficam mais atraentes por causa da maior quantidade de dólares que será necessária para comprar soja, por exemplo?"

    Correto.

    "Ou elas serão frustradas, já que os estrangeiros diminuirão as exportações que ficaram caras? […] Como que está a conjuntura?"

    Não estão frustradas. As exportações, principalmente as do agronegócio, seguem batendo recordes.

    Só que os exportadores não estão "internalizando" os dólares recebidos — ou seja, estão preferindo manter os dólares lá fora do que convertê-los em reais.

    Isso é notável pela diferença entre o volume físico exportado e o volume de dólares internalizado. Na prática, apenas 50% dos dólares foram internalizados.

    Em minha opinião, a grande responsável por isso é a Selic. Com juros reais negativos, exportador não tem motivo nenhum para converter dólar para real e perder para a inflação.

    Lambanças do Banco Central.
  • WMZ  06/02/2021 15:38
    *É diminuir, os estrangeiros, as importações em vez de "exportações".

    Entendi. Obrigado.
  • Imperion  06/02/2021 22:20
    Quanto mais desvalorizado o real, maior o estímulo as exportações: o povo compra menos porque está pobre. O produtor tem que vender. Só isso já estimularia as exportações.

    Exportando ganha moeda que compra mais. Moeda fraca é prejuízo pra eles. Então se exporta. Os custos pra se vender pra fora também estão menores. Então se exporta . Fora o subsídio as exportações. Então se exporta mais.

    Não tem freio. Tudo empurra as exportações. Por isso não se deve desvalorizar a moeda. Empobrece se a nação somente pra conseguir divisas pra pagar o custo da corrupção.
  • WMZ  07/02/2021 23:56
    Ué, se o problema é que parte dos dólares conseguidos nas exportações não está sendo "internalizada" (50% apenas, segundo o Trader) então vale dizer que se em vez de 50% fosse 0%, o real ficaria alheio ao comércio externo e não faria nenhum sentido falar que "o real fraco estimula as exportações".

    Então, o que está definindo essa proporção de "50% internalizados"?

    Imagino que os produtores de produtos de exportação precisam da moeda nacional para pagar os funcionários, comprar os insumos que são vendidos no mercado interno, pagar os impostos e simplesmente gastar.Então, qual é a vantagem, para os produtores, de se viver num país com moeda fraca?

    Eles podem gastar menos dólares para converter para quantidade de reais necessária para cumprir as exigências do parágrafo acima. (funcionários, insumos etc)

    Por exemplo, se o real estivesse AINDA MAIS fraco; a proporção de "internalização" seria de apenas 25%. Se o real estivesse forte, a proporção de "internalização" seria de 90%.

    Portanto, com essa baixa "proporção de internalização", parece que as exportações vão deixando de cumprir a sua "função social" de oferecer um "contrapeso" que permitirá as importações, ou seja, de manter a balança positiva (lembrando que não somos a Austrália nem a Nova Zelândia) pois sem a "internalização" os doláres simplesmente ficam nas contas dos exportadores e os importadores ficam sem acessar os dólares que serão usados para importar.

    No fim, aquela história desenvolvimentista de "desenvolver o país para exportar carros e outros produtos de maior valor agregado" não vai fazendo sentido quando, ao mesmo tempo, eles defendem uma "desvalorização cambial" (estou considerando que os desenvolvimentistas querem defender os interesses populares e, não, do baronato exportador). Na prática, os exportadores estão vivendo aqui como se as fazendas e granjas deles fizessem parte de outro país, com zero ganhos para o Brasil.

    P.S. Em qual site eu posso saber sobre essa "taxa de internalização"?
  • Vladimir  08/02/2021 00:05
    Exato. Começou a entender toda a farsa desenvolvimentista.

    Sobre a internalização, veja aqui, especialmente os dois últimos parágrafos:

    exame.com/invest/selic-pode-ir-para-5-e-dolar-encontrar-piso-nos-r-500-diz-goldenstein/
  • anônimo  08/02/2021 05:04
    Goldenstein, esse cara sim é um economista de verdade, diferente daqueles palhaços keynesianos do BC.
  • Crioulo  06/02/2021 11:51
    O aumento do número de mortos de 2019 para 2020 é o 3º menor da última década. Fraudemia total.
  • Igor  06/02/2021 21:05
    Isso vale para o Brasil? Poderia por gentileza informar a fonte? Tenho a curiosidade de comparar os números de óbitos de 2018,2019 e 2020.

    Sinceramente, tenho mais medo de ser morto por determinados tipos de 'gente' (cerca de 5k0-60k homícidios/ano no Brasil) do que pegar esse resfriadinho.
  • Marcos  06/02/2021 22:27
    Aqui dá uma ideia:

  • Douglas  06/02/2021 16:56
    Estou certo de que depois do arrefecimento do covid (e de suas cepas) teremos outras surpresas bem desagradáveis.
    Suponho que seja outra pandemia supostamente mais letal ainda (observem que já há cientistas, infectologistas e magnatas falando num novo vírus suíno), algum ataque cibernético que desligue a internet mundialmente ou então, talvez, um possível conflito armado que coloque o planeta todo em risco. Alguma coisa assim já está sendo tramada pra substituir a pandemia do covid quando esta perder força e argumentos.

    O objetivo será o mesmo: cercear a liberdade das pessoas o mundo todo, destruir economias e enriquecer ainda mais aquela parcela de 1% que detém todo dinheiro do mundo.

    Mas o mais cruel é ver que há gente (notadamente o público LGBT e os artistas) que apoia este sistema de controle global e que até mesmo luta contra quem resiste.
    Tudo isso é, de certa forma, bíblico.
    Estamos no Apocalipse e 90% da população mundial continua achando que é tudo apenas uma "Teoria da Conspiração" que partiu de lunáticos, fascistas e ditadores.

    Eneas Carneiro já havia previsto coisas assim nos anos 90; há um livro de 1984 que antecipou todo esse pesadelo que estamos vivendo.



  • Ex-microempresario  06/02/2021 23:22
    Eu acho que não vai acontecer mais nada, Douglas. Já está do jeitinho que eles querem.

    - O povo morrendo de medo e acreditando que o governo e suas vacinas são o único salvador.

    - Ao mesmo tempo, o povo se sente protegido porque está usando máscara, se trancando em casa e se lambuzando de álcool gel.

    - Mais que protegido, o povo se sente empoderado porque têm um argumento para vigiar e culpar os outros. Todo mundo gosta de se sentir o fodão dando pito em quem não usa máscara ou tem a audácia de sair de casa.

    - Já avisaram que a vacina não vai resolver nada por conta do covid "modelo 2021", então todo mundo vai continuar com máscara, álcool e trancado em casa.

    - Daqui a mais um ano, a maioria nem vai lembrar que existiu um tempo onde as pessoas tinham o direito de sair de casa.

    - A quantidade de gente que vai depender do governo para não passar fome vai continuar aumentando. Quando o estômago fala, o cérebro não escuta mais ninguém.

    - Basta ver a briga entre Dória e Bolsonaro para ver quem distribui mais vacina para saber o que vai acontecer nas próximas eleições.
  • Caro anonimo  07/02/2021 00:06
    "Estou certo de que depois do arrefecimento do covid (e de suas cepas) teremos outras surpresas bem desagradáveis.
    Suponho que seja outra pandemia supostamente mais letal ainda (observem que já há cientistas, infectologistas e magnatas falando num novo vírus suíno), algum ataque cibernético que desligue a internet mundialmente ou então, talvez, um possível conflito armado que coloque o planeta todo em risco. Alguma coisa assim já está sendo tramada pra substituir a pandemia do covid quando esta perder força e argumentos."

    Só se for o "Grande Reset", planejada pelos globalistas (quê, inclusive, já está sendo efetuada, governos em todo o mundo estão planejando digitalizar suas moedas, esse é apenas o início), pq eu dúvido que qualquer uma das possibilidades que você levantou cheguem á acontecer.

    Ja essas tals "novas pandemias" é só pra causar histeria, e está sendo amplamente divulgado á todo vapor pela mídia pra amedrontar á população.

    Os políticos sabem quê, uma população amedrontada irá pedir socorro para eles, e a mídia quer que as pessoas fiquem trancadas em casa, porquê assim elas ficam mais tempo na TV.

    E mais um detalhe: Doenças sempre existiram, e até hoje convivemos com milhares de doenças, adoecemos e nos recuperamos, porém, porquê o covid está sendo tratada de outra forma, se é apenas mais uma doença? Ao invés de todos esses lockdowns, o governo deveria lançar programas que incentivem a melhoria da nossa imunização, deveriam incentivar remédios como Vitamina C e exercícios, mas aparentemente querem quê a população fique trancada em casa, e enfraqueçam seus próprios organismos, não é a toa que sempre que o lockdown acaba os casos da doença disparam, acaba que não faz diferença nenhuma.

    "O objetivo será o mesmo: cercear a liberdade das pessoas o mundo todo, destruir economias e enriquecer ainda mais aquela parcela de 1% que detém todo dinheiro do mundo."

    Concordo com as duas primeiras hipóteses, mas duvido e muito que tudo isso seja apenas pra enriquecer bilionários. E também acho erraneo chamar bilionários de "Parasitas", a maioria deles merecem estar aonde eles estão, apesar de quê muitos estão apoiando o Grande Reset (Tipo o Bill Gates).

    "Mas o mais cruel é ver que há gente (notadamente o público LGBT e os artistas) que apoia este sistema de controle global e que até mesmo luta contra quem resiste.
    Tudo isso é, de certa forma, bíblico.
    Estamos no Apocalipse e 90% da população mundial continua achando que é tudo apenas uma "Teoria da Conspiração" que partiu de lunáticos, fascistas e ditadores."

    Também acho impressionante o quanto essas pessoas se iludem, quando propriedades alheias começarem á ser confiscadas, e comércios começarem á serem saqueados, essas pessoas vão achar é lindo.

    Olha só como elas apoiaram todo esse saqueamento que ocorreu por causa dos "Antifascista", e do "BlackLivesMatter", a mídia também passou bastante pano.

    "Eneas Carneiro já havia previsto coisas assim nos anos 90; há um livro de 1984 que antecipou todo esse pesadelo que estamos contecer."

    O máximo quê ele previu foi quê os globalistas iriam começar á ameaçar os países quê não concordassem com a agenda deles, porém o fato é quê a maioria dos Países irão sucumbir, Bolsonaro é contra o Globalismo, mas tá na cara que o Paulo Guedes e o STF estão trabalhando pra Elite, só restará saber se o Brasil irá continuar tendo lideres anti-globalismo.
  • Lucas  14/02/2021 11:26
    Estamos no Apocalipse e 90% da população mundial continua achando que é tudo apenas uma "Teoria da Conspiração" que partiu de lunáticos, fascistas e ditadores. - Diga isso aos não-cristãos (ateus, agnósticos, judeus, muçulmanos, budistas, hindus, xintoístas, politeístas em geral, etc.) que o Apocalipse cristão é o verdadeiro, que as crenças deles estão todas erradas e tente comprovar isso. Ou diga a muitos católicos que as palavras de protestantes "hereges" (pois a grande maioria dos que pregam que "o Apocalipse já chegou" são evangélicos pentecostais) é que estão corretas e não as dos bispos católicos (os sucessores dos apóstolos) ou as do Papa (o sucessor de São Pedro). Aliás "Apocalipses", "Anticristos" e "segundas vindas de Jesus" já foram "previstos" desde os primeiros tempos do cristianismo há cerca de dois mil anos e nada disso aconteceu até agora. Inclusive o próprio Evangelho diz que - "Entretanto, a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão exclusivamente o Pai". (Mateus 24:36).
  • anônimo  06/02/2021 19:42
    501 mortes + 10.748 outras lesões relatadas após a vacina COVID, mostra de dados mais recentes do CDC
    Esses números refletem os dados mais recentes disponíveis em 29 de janeiro no site do CDC do Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas. Das 501 mortes relatadas, 453 eram dos Estados Unidos. A idade média das pessoas que morreram era 77, a mais jovem tinha 23 anos.

    Tem que ser muito idiota para tomar essa vacina...........e usar um trapo na cara o dia todo.............
  • José lucas  06/02/2021 20:35
    Mas é importante lembrar que a 100 anos atrás as pessoas tinham menos acesso a saúde, viviam rodeado de doenças com o sistema auto imune baixo.
  • Daniel Cláudio  06/02/2021 22:30
    Sim. E graças ao capitalismo, isso mudou para melhor:

    Seu padrão de vida hoje é muito maior do que o de um magnata americano há 100 anos
  • AGB  07/02/2021 16:29
    Há 100 anos não havia tratamento para a maioria absoluta das moléstias. Para infecções somente prevenção com vacinas e cuidados de higiene. Crianças e velhos morriam todos os dias em grande número. E o grau de imunidade era muito alto nos sobreviventes. A descoberta dos antibióticos mudou radicalmente esse quadro sombrio. A 2a Guerra estimulou as pesquisas para produzir antibióticos e identificar novas variedades. Sem a riqueza criada pela economia não haveria como realizar esse avanço espetacular.
  • Luan  07/02/2021 04:24
    Do texto:

    "Com efeito, um vírus que é majoritariamente letal apenas para os mais velhos possui características mansas para os jovens. Se eles são infectados, a esmagadora maioria nem sequer considera os sintomas preocupantes o bastante para irem fazer exames.

    (...)

    Deixem as pessoas viverem suas vidas. Mais importante: deixe que os mais jovens sejam infectados".


    É fato que os jovens são menos vulneráveis ao vírus, porém o texto ignora que os jovens são disseminadores do vírus. Apesar deles serem menos vulneráveis, eles têm o potencial de transmitir o vírus para os mais vulneráveis (pais, avós e outras pessoas mais velhas de seu convívio). Portanto, não dá para "deixar os jovens serem infectados", como sugere o texto. Medidas restritivas como 'toque de recolher', proibição da venda de bebidas alcoólicas à noite e aos finais de semana, fechamento de academias e outras medidas similares costumam ser ridicularizadas, mas são necessárias para prevenir que os jovens se infectem, visto que a maioria dessas atividades costuma atrair jovens.

    Enquanto não houver vacinação em larga escala, é necessário evitar ao máximo que os jovens se infectem para que eles não saiam por aí espalhando o vírus. Se eles se infectarem, as chances de se curarem e não terem complicações são altas, porém também são altas as chances deles infectarem pessoas mais vulneráveis, que têm maior risco e menor chance de sobrevivência. E uma das formas de evitar a infecção dos jovens é justamente restringir atividades que os estimulem a saírem de casa e se reunirem.
  • Fabrício  07/02/2021 13:38
    Ô, gênio, vá estudar a genuína ciência. A única maneira de tornar uma população imune é exatamente infectando-a, seja via vacinação ou via contágio dos imunes.

    Dado que vacinação demora, então o contágio dos jovens é a maneira mais rápida e efetiva.

    Uma vez contaminados, basta isolar os idosos (mais vulneráveis) deles.

    Não apenas não é necessário destruir a economia para fazer isso, como, ao contrário, lockdowns apenas pioram os contágios. Além de ferrar a economia (não há como ser saudável como economias destruídas), o fato de as pessoas estarem isoladas em casa, sem sol, sem vitamina D, apenas aumenta a debilidade do organismo.

    Quem defende lockdown é que é o verdadeiro genocida. Os próprios dados comprovam: quanto maior o lockdown, maiores os contágios e as mortes. Vide Reino Unido, Argentina, Espanha, França, Itália e os estados americanos governados por democratas (compare California e Nova York com Flórida, Geórgia e Dakota do Sul). No Brasil, o maior número de mortes per capita é em São Paulo, exatamente o estado mais fechado de todos.

    Quanto maior e mais intenso o lockdown, maior o número de mortos (óbvio: não há imunidade de rebanho).

    O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.

    A única coisa que foi apresentada foi um modelo matemático do Imperial College, de Londres. Só que os modelos do Imperial College possuem vinte anos de histórico pavoroso; suas previsões sempre se revelaram astronomicamente erradas, e é apavorante que eles tenham sido utilizados para nortear decisões tão importantes. A própria imprensa britânica não se cansa de ridicularizá-los.

    Ou seja, apenas imbecis completamente fanatizados continuam elogiando essa merda. E sem nenhum argumento.
  • Caro anonimo  07/02/2021 16:21
    A própria OMS já admitiu quê Lockdowns não surtem efeitos, ao contrário, pioram, diversos prefeitos dos EUA, como por exemplo, o do NY também já estão admitindo que lockdowns são inúteis (Uma pesquisa comprova que á maioria dos infectados são justamente aqueles que estão presos em casa), e só servem pra destruir economias (Pois os cientistas fizeram um relatório quê comprova isso e passaram pra eles).

    Antes só idiotas, ignorantes, desinformados ou pessoas amedrontadas pela pandemia defendiam lockdowns, agora, com tantas autoridades e médicos ao redor do mundo admitindo que fizeram cagada, o cara pra defender isso é tem quê ser também genocida (Até a galerinha de esquerda do Twitter já está parando de chamar o Bolsonaro de "Genocida" e está o Doria e seus lockdowns, aliás, o Lockdown agora só está no papel, praticamente todo mundo está ignorando isso)
  • rraphael  08/02/2021 06:30
    do link se le :

    "Em média, a doença nos jovens é menos grave, é menos sintomática. Não que não possa, inclusive, levar à morte. Mas, na média, é menos. Então, além do impulso da juventude, eles se sentem mais seguros. Daí para frente eles viram uns disseminadores do vírus . Que eles saem dessas festas contaminados, as vezes com poucos sintomas, e contaminam os pais, que por sua vez vão contaminar os avós e por aí em diante" — destacou o médico e infectologista.

    logo no inicio o elemento que importa, pessoas DOENTES e apresentam SINTOMAS .. mas por ser jovem ele sai e depois volta pra infectar o pessoal em casa , oi ? se ele estava doente nao deveria ter infectado o pessoal em casa ja ? ninguem vai desenvolver uma sindrome respiratoria em poucas horas bebendo com os amigos, a ordem dos eventos virou uma salada isso sim, pessimo texto que voce trouxe ...

    a partir dai no comentario afirma :

    "É fato que os jovens são menos vulneráveis ao vírus, porém o texto ignora que os jovens são disseminadores do vírus. Apesar deles serem menos vulneráveis, eles têm o potencial de transmitir o vírus para os mais vulneráveis (pais, avós e outras pessoas mais velhas de seu convívio). Portanto, não dá para "deixar os jovens serem infectados", como sugere o texto.

    nem o seu link usou a sua premissa , nao se ISOLA um jovem que esta bem, nem adulto, nem criança, porque se ele sair de casa vai ficar dodói , se voce nao sabe quem faz parte do grupo de risco e qual a proporcao dos jovens que vivem com esses grupos, nem quantos dos infectados acabam doentes, como vai afirmar que uns e nao outros é que sao os principais responsaveis ? falta embasamento

    o citado ainda usa um "impulsionados pela juventude", sabe-se la deus o que isso significa, e "viram disseminadores do virus" , é raciocinio circular (os jovens por serem jovens se tornam disseminadores), todo ser humano é um potencial vetor desde o inicio da humanidade ... mas neste contexto o jovem é um supervilao de gotham city que sai pra espalhar seus germes entre os inocentes , pfv né ?

    basicamente é isso : ou voce entra ou voce sai de uma festa contaminado e infectando outras pessoas, fim. processo de infecçao nao existe, resposta imunologica nao existe, adoecer nao existe, é apenas "saiu , pegou, passou"

    o restante é post hoc ergo propter hoc : "a falácia está em chegar a uma conclusão baseada unicamente na ordem dos acontecimentos, ao invés de tomar em consideração outros fatores que possam excluir, ou confirmar, tal conexão."

    fico me perguntando como os hominideos conseguiram evoluir , tanta coisa la fora que pode matar o luan ...
  • Felipe  07/02/2021 22:28
    Alguém viu esse vídeo do Spotniks sobre a atuação do Bolsonaro durante o surto de SARS-CoV-2? O que acharam?
  • Fabrício  07/02/2021 23:16
    Videozinho feito por progressistas chiliquentos e autodeclarados lavradores (toda a turma do Spotniks é assim) que se baseia exclusivamente em manchetes de mídia.

    Eis os fatos: o Brasil tem bem menos mortos per capita que EUA, México, Reino Unido, Itália, França, Espanha, Portugal, Bélgica, República Tcheca, Panamá, Argentina, Colômbia, Peru.

    Só para citar alguns. (Clique em "cumulative")

    ourworldindata.org/covid-deaths?country=USA~GBR~FRA~PRT~BRA~PER~CZE~SMR~COL~MEX~HUN~PAN~ITA~ARG

    Se quiser xingar governantes, que ao menos haja um mínimo de coerência. Que seja então de acordo com o ranking de mortes.
  • Felipe  08/02/2021 00:05
    Por que lavradores?
  • Artista Estatizado  08/02/2021 16:10
    Provavelmente é "lacradores". Corretor ortográfico.
  • Fabrício  08/02/2021 16:29
    Bingo! Obrigado.
  • Bernardo  07/02/2021 23:54
    Dizer que pessoas adoecem exclusivamente de acordo com as frases de um político é simplesmente o ápice da tara estatista. O sujeito nem consegue mais pensar de acordo com o mundo real (no qual o povo canta e anda para políticos); tudo é politizado.

    Você sabe que já morreu para o mundo quando tudo o que você pensa é em um político.
  • Felipe  08/02/2021 13:05
    A questão é: ninguém errou mais que o Bolsonaro? Será que eles não viram o que o Alberto Fernández está fazendo? Aquele é profissional em destruir o país.
  • Caro anônimo  08/02/2021 15:44
    São esquerdistas uai, eles tacam pau nos liberais e passam pano pra outros progressistas e comunistas.
  • Crioulo  08/02/2021 15:36
    Alguns liberais, como o Spotniks, MBL e NOVO, estão indo na onda da mídia e estão atacando Bolsonaro só porque ele é a representação dos conservadores.

    Ironicamente, Bolsonaro fez EXATAMENTE o que verdadeiros defensores da liberdade deveriam ter feito durante a pandemia: não fechar absolutamente nada e isolar os idosos.

    Mas nem todos estão indo nessa onda, como o IMB, Constantino, Kogos, etc.

    Pra esse tipo de gente, não importa os dados de infectados, mortos e destruição econômica, a única coisa que importa é se o governante fechou tudo e falou pra todo mundo ficar em casa. Então vamos ver bizarrices de achar que Alberto Fernandez é algum exemplo no combate à pandemia, mesmo com as mortes por milhão maiores e a venezualização da Argentina.

    Mas, como está óbvio agora para todos, eles apostaram no cavalo errado.
  • Imperion  08/02/2021 17:19
    O político persegue o poder. Todos esses grupos querem se fazer de oposição pra disputar o poder mais a frente.

    Ao invés de devolver o FGTS pro dono da conta, o Amoedão chegou a dizer pra usar dinheiro o FGTS do trabalhador pra subsidiar para os que não trabalham.
  • AGB  09/02/2021 12:27
    Durante mais de vinte anos os institutos de previdência (IAPs) recolheram dinheiro de pagamentos obrigatórios para sustentar as aposentadorias. Como muitos pagavam e pouquíssimos recebiam, acumulou-se um grande capital. Esse volume atraiu a atenção dos burocratas e resolveram gastá-lo fazendo Brasília, sedes suntuosas dos IAP e outras frivolidades. Resultado: hoje o sistema de previdência está insolvente e quem depende dele...
  • Felipe  08/02/2021 18:38
    E aquele decreto que o Bolsonaro assinou com o Mandetta e o Moro (se não me engano; foi em fevereiro se não me falha a memória), não dava autorização para lockdowns, obrigatoriedade de máscaras e vacinação compulsória?
  • Bernardo  08/02/2021 20:21
    Tem o link?
  • anônimo  09/02/2021 12:04
    Bolsonaro sempre trabalhou contra a vacina.
    E vai ser a vacina que vai nos salvar. Tanto na economia, pois vai poder reabrir tanto na saúde pois evitará casos graves.
    Porém, eu não sei responder por que mesmo assim bolsonaro foi tão contra a vacina.
    Só mudou de ideia e mandou comprar vacina e mandou avião pra Índia depois que ficou mal entre qualquer pessoa com dois neurônios
    Querer pinçar um fato ou outro como um decreto de calamidade pública pra dizer que bolsonaro foi um cara que se preocupou com a pandemia é desonestidade intelectual.

    E digo mais, o cenário no Brasil só não foi pior por causa do SUS, é muito país no mundo se deu pior por não ter esse sistema maravilhoso que é o sus
  • Fabrício  09/02/2021 15:23
    Portugal acabou de suspender o uso da AstraZeneca/Oxford.

    Motivo: eficácia insuficiente.

    Tá até bom: espere só até começarem a descobrir, daqui a alguns, os efeitos colaterais de longo prazo (inevitáveis em qualquer vacina criada às pressas).

    Com as coisas feitas a toque de caixa, qualquer negacionista ganhará status de gênio no futuro.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  09/02/2021 17:05
    Tecnicamente a vacina de Oxford e a Coronavac é a mesma coisa, até porquê o método quê utilizaram pra vacinar é o mesmo, e considerando quê é um metodo antigo, obviamente vai ter eficácia baixa.

    Mas pelo menos a da oxford teve a vergonha na cara de revelar quê a eficácia dela é baixa, já os dados da eficácia Vacina da China claramente foram manipulados, e muito provavelmente nem vão testar a eficácia dela contra as novas variantes tão cedo, pra tentarem vender o máximo possível.

    A da Pfiser e a da moderna tem eficácia maiores, porém ainda é um método novo quê estão utilizando, e pode ter até mais efetos colaterais no longo prazo.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  09/02/2021 16:42
    Bolsonaro nunca foi contra a Vacina, ele sempre foi contra a vacina compulsória, e sempre negou á responsabilidade caso qualquer efeito colateral aconteça, quêm pintou ele como anti-vacina foi a mídia, quê é claramente anti-Bolsonaro.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  09/02/2021 16:53
    "Bolsonaro sempre trabalhou contra a vacina."

    Hm? Bolsonaro nunca foi contra a vacina, ele sempre disse duas coisas em suas entrevistas:

    -Eu nego qualquer responsabilidade por efeitos colaterais
    -Eu acho quê um sistema de vacinação compulsória é imoral

    Quêm pintou Bolsonaro como "Anti-vacina" é a midia, e vejo que você é apenas mais um manipulado, igual outros milhões de brasileiros...

    "E vai ser a vacina que vai nos salvar. Tanto na economia, pois vai poder reabrir tanto na saúde pois evitará casos graves."

    Segundo estudos, irá demorar 4 anos para a vacinação de rebanho ser concluída, e até lá diria quê pelo menos até 30% da população já vai ter pegado covid, e com as novas variantes surgindo, a vacina vai se tornar obsoleta, então não, não vai ser a vacina que vai nos salvar, mas vai nos ajudar.

    "Porém, eu não sei responder por que mesmo assim bolsonaro foi tão contra a vacina.
    Só mudou de ideia e mandou comprar vacina e mandou avião pra Índia depois que ficou mal entre qualquer pessoa com dois neurônios
    Querer pinçar um fato ou outro como um decreto de calamidade pública pra dizer que bolsonaro foi um cara que se preocupou com a pandemia é desonestidade intelectual."

    1- O avião nem sequer chegou na Índia.
    2- Repetindo: Bolsonaro nunca mudou de idéias sobre a vacina, e até hoje defende o tratamento caseiro.

    "E digo mais, o cenário no Brasil só não foi pior por causa do SUS, é muito país no mundo se deu pior por não ter esse sistema maravilhoso que é o sus"

    Isso é piada?
  • rafael isaacs  08/02/2021 01:38
    Mas qual o objetivo do lockdown? Quem ganha com isso e como?
  • Fabrício  08/02/2021 16:30
  • rafael isaacs  08/02/2021 17:34
    Nao explica minhas perguntas.
    Quem se beneficia com essas imposiçoes e como ?
  • Fabrício  08/02/2021 17:45
    Vou tentar de novo, agora sublinhando os nomes dos ganhadores e seus objetivos. Vamos ver se agora você entende. (Acho que você leu o artigo linkado, e não o meu comentário, que era o objetivo):

    As elites globalistas já têm esquematizado todo um plano que visa suprimir as moedas nacionais e impor uma moeda digital, a qual abolirá completamente toda privacidade do indivíduo, fará com que ele apenas consuma o que o estado autorizar e, ainda por cima, permitirá a imposição da Renda Básica Universal, o que manterá toda a população dócil e submissa.

    Isso representará a maior ruptura econômica da história recente. Será o Grande Reset, que já é falado abertamente por Davos, FMI e ONU.

    Toda essa agenda começou a ser colocada em prática com essa fraudemia da Covid-19, a qual foi instigada por toda a elite globalista já conhecia: ONU, OMS, Fórum de Davos e George Soros. Os lockdowns — que não têm nenhum respaldo científico e que nunca foram adotados na história do mundo — foram inventados exatamente para quebrar as economias, destruir as pequenas empresas, criar as bases para a nacionalização das indústrias e, finalmente, impor as moedas digitais. Não mais haverá soberania nacional. Todos passarão a seguir ordens de Davos.

    Os lockdowns sempre foram uma medida crucial para a implantação desta medida. O [u]Partido Democrata americano é amplamente favorável e está no bolso de Soros e de Klaus Schwab (o real mentor do Grande Reset).

    Grande Mídia e Redes Sociais apoiam tudo isso e suprimem qualquer dissidência (e agora está escancarado: o Twitter simplesmente proíbe e deleta qualquer crítica ao processo eleitoral americano) porque sabem que terão muito a ganhar no futuro arranjo.

    A Grande Mídia será essencial para convencer a população de que tudo está correto e tudo está sendo feito para o bem dela. Ela será crucial para manter o populacho desinformado e submisso. Em troca, terá a sua fatia no novo arranjo e receberá grandes agrado$ do establishment (o qual será feito de maneira direta com as moedas digitais, que estarão fora do escrutínio do público).

    As viagens internacionais serão (aliás, já estão sendo) deliberadamente restringidas com o objetivo de "reduzir a poluição", que é um dos objetivos explícitos da ONU, do Fórum de Davos e do New Green Deal, do Partido Democrata.

    (Li que já estão com planos de obrigar os países a só emitirem passaportes para cidadãos que provarem que já se vacinaram.)

    Estamos vivenciando a maior conspiração organizada da história humana, e toda a imprensa não só não está denunciando, como está adorando tudo.
    Por enquanto, Trump realmente era a única peça fora do quebra-cabeça. Uma eventual reeleição dele frustraria esses planos. Retirá-lo da jogada era absolutamente crucial. Para isso, valeria fazer absolutamente tudo (350 mil mortos votaram em Michigan e vários eleitores foram proibidos de votar no Arizona.)

    Brace yourself.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  08/02/2021 18:01
    Quêm se benefecia? Diversas entidades:

    - Empresas de encomendas e entregas se benefeciam no curto prazo. (No longo prazo obviamente pioraria, considerando que a renda das pessoas estaria destruida, e eles não consumiriam, mais depende da duração dos lockdowns)
    - A elite Mundial, considerando que os lockdowns praticamente é um experimento deles pra ver como as pessoas reagiriam para ordens totalitárias, agora eles poderão fazer muitas mais coisas em nome dos seus planos para o "Bem-estar da população", mas não irei entrar em muitos detalhes, pois já tem diversos vídeos e artigos falando sobre isso.

    Não consigo pensar em mais nenhum, até porquê eu não vi nenhum político ganhando popularidade por fechar tudo.
  • webeth mustapha  08/02/2021 18:00
    Alguns dizem que vai levar anos para entendermos o que se passou nessa pandemia.
    Acho que não, não vamos entender o que se passou!
    Simplesmente por que as informações sobre a pandemia são controladas, vigiadas e censuradas. Na grande mídia, simplesmente não há espaço para dúvidas ou contraditório. Nas redes sociais o nível de censura é o mesmo.
    Basta criar um vídeo criticando a vacina, o lockdown, as medidas dos governantes.. plim. Vai ser bloqueado ou excluído.
    Isso não está acontecendo em exceções, está acontecendo em uma escala grande.

    Há tantas contradições acontecendo, como o texto apresenta, tantos erros, tanta mentira que é difícil dizer sabermos o que é real ou não.



  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  08/02/2021 21:10
    Na minha percepção, o quê está acontecendo atualmente é:

    - Hospitais estatais e privados estão publicando dados falsos para não terem que pagar seguros, diversas casos das mais diversas estão sendo registradas como de Covid, pior: Estão registrando diversas mortes de diversas doenças como de Covid, como por exemplo, as estatísticas disseram que em 2020 ano ninguém morreu de dengue, o que é absurdo considerando que em 2019 estava batendo record de mortes

    Toda essa manipulação de dados é pra causar, principalmente, histéria, isso torna a população mais submissa para os políticos.

    - A grande mídia está obedecendo a elite bem direitinho, estão atacando liberais e enaltecendo e passando pano para esquerdistas, olha só, po exemplo, os protestos e as aglomerações que aconteceram pelos movimentos "Antifacista" e "BlackLivesMatter" ao redor do mundo, não vi um jornal sequer chamar aquilo de "terrorismo" ou "aglomeração", sempre evitavam utilizar essas palavras, poda ser qualquer coisa, menos algo que hostilizaria esses protestos esquerdistas, nas eleições dos EUA aconteceu a mesma coisa, todas as aglomerações quê Biden causou foram chamadas de "Festas", ou "Manifestações em apoio".

    Ela também está sendo crucial pra manter a atitude de rebanho da população, por meio de histéria e distrações (Aqui no Brasil temos o BBB, A fazenda), pode ver com seus olhos, o Beaultiful People do Twitter está reclamando que certas pessoas no BBB estão tendo condutas inadequadas e antiéticas, e a Globo, tá nem aí, considerando que ela quer que as pessoas se distraiam com coisas bestas msm.

    E também está estimulando a população á continuar reclamando para ter mais direitos, com a falsa desculpa de "igualdade", pode ver, se um beijo entte homens acontece na TV toda a mídia já enaltece, como se fosse algo incrível e diferente, e sempre adiciona quê a luta não acabou, e quê o Brasil ainda continua sendo um dos paises mais racistas, preconceitusos e machistas do mundo...

    - Antes, considerada apenas história fiada e teoria de conspiração, a Elite mundial finalmente se revelou, e já veio mostrando seus planos autoritários (Grande Reset, digitalização da moeda, eliminação da propriedade privada, etc.), podemos assim dizer quê os Lockdowns foram praticamente um experimento deles, pra ver se a população mundial estava submissa e alienada, agora que viram quê sim, começaram á agir rapidamente, já vão discutir mais a fundo sobre o Grande Reset esse ano (Provavelmente vão discutir á maneira mais efeitiva e rápida de implementa-lo) e planejam quê todas as moedas do mundo se tornem digitais até 2024.

    Provavelmente vão dar um jeito nas didaturas e nos lideres liberais, caso eles rejeitem á ideia até lá (Pode ver que a mídia mundial está concentrada em linçar lideres de direita, primeiro foi o Trump, agora vai ser o Bolsonaro, não sou do exterior, mais já conversei com bastante brasileiros morando na Europa, e todos eles disseram quê a mídia de lá tá tacando pau no Bolsonaro, parece até quê colocaram ele como o lider mais corrupto e incompetente de 2020, lol) o tal conflito EUA X CHINA é só pra distrair a população mesmo.
  • weberth mustapha  09/02/2021 11:55
    Essa primeira parte: De que hospitais estão inflando as mortes por covid, já ouvi essa teoria antes. Mas por qual motivo?
    Seria para não pagar o seguro?
    Existe algum dado que explique isso?
  • Otávio  09/02/2021 14:59
  • Caro anônimo  09/02/2021 16:01
    Sinceramente eu estou começando á duvidar disso, não existe nenhuma prova concreta de quê os números foram inflados, apenas suposições, e também muita desinformação, dizem quê os hospitais informaram quê ninguém morreu de dengue em 2020, mas isso é pura fake news: www.google.com/amp/s/www.cnnbrasil.com.br/amp/saude/2020/11/24/brasil-tem-quase-1-milhao-de-casos-de-dengue-em-2020-diz-ministerio-da-saude
  • Fabrício  09/02/2021 16:39
    Ninguém morreu de dengue em São Paulo:

    www.band.uol.com.br/noticias/ninguem-morreu-por-dengue-na-cidade-de-sp-em-2020-16323132

    Ou seja, Bozó conseguiu extinguir o mosquito. Aí é mito mesmo.

    Ou então muita gente continuou morrendo de dengue, mas foram contabilizadas como Covid, o que obviamente significa que os mortos por Covid estão inflados.

    Não há terceira hipótese.

    Escolha seu lado.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  09/02/2021 17:13
    Considerando que houve apenas uma redução de 200 mortes do ano passado para esse, não diria que faria diferença alguma inflar os números com uma quantidade tão baixa.

    E, ao quê eu me alembre, em 2019 morreu umas 3 pessoas de dengue em São Paulo (Não me alembro da quantidade exata, mas foi bem baixo, e também não estou em condições de pesquisar o número nesse momento), então, de 3 ou um pouco mais para 0 não faz a mínima diferença.

    Se quer me convencer, me passe dados convicentes.
  • Breno  09/02/2021 18:26
    www.instagram.com/p/CKl3kqjsdEI/?igshid=kitzx029cjkh

    Isso lá na Inglaterra.

    Essa é uma informação bastante reveladora, divulgada pelo próprio governo britânico: "Deaths for any reason within 28 days of a positive test."
  • Gabriel M  09/02/2021 18:39
    3 mortes por dengue em SP em 2019, Fabrício... Calma aí nessa militância anti-covid.
  • Ex-microempresario  08/02/2021 19:52
    Segundo alguns, o "fique em casa" ou o lockdown se justifica para "preservar o sistema público de saúde".

    O cidadão comum nunca teve nenhum poder de decisão sobre o funcionamento do sistema público de saúde. Este poder sempre foi unicamente do governo.

    Vamos imaginar que em um país qualquer o governo, por burrice ou por corrupção, gerenciou mal o sistema público de saúde e este está em péssimas condições para atender os atingidos pelo covid.

    Pela lógica da "preservação", seria necessário um lockdown mais severo, já que a capacidade de atendimento é menor e o "colapso" do sistema público pode acontecer com mais facilidade.

    Conclusão lógica inescapável: Quanto mais incompetente for o governo, mais poder ele deve ter para retirar direitos da população.
  • rafael isaacs  08/02/2021 20:04
    hmmm quem seriam as elites globalistas?
  • Fabrício  08/02/2021 20:19
    ONU, Banco Mundial, FMI, Grupo de Davos, Schwab, Soros, Gates, Partido Democrata, Grande Mídia, Redes Sociais (Big Tech) etc. Todos citados e sublinhados no meu comentário.

    Sério mesmo, você tem problemas de leitura?

    P.S.: o fato de você ter abandonado a thread e escrito em outro lugar mostra sua real intenção de tumultuar.
  • anônimo  08/02/2021 20:56
    Senhores, o que vocês acham sobre isso ?

    www.saopaulo.sp.gov.br/noticias-coronavirus/sp-vai-testar-reducao-de-contagio-por-coronavirus-com-vacinacao-em-massa-em-serrana/

    g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2021/02/07/serrana-sp-vai-ter-vacinacao-em-massa-contra-covid-19-em-projeto-do-butantan-diz-dimas-covas.ghtml



  • Fabrício  08/02/2021 21:26
    Se tem quem queira fazer, que o façam. Sendo de participação voluntária, nada contra. Por mim, liberdade total.
  • Intruso  09/02/2021 00:32
    Apenas três procedimentos mantém as pessoas afastadas dessa terrível doença: distanciamento social, máscara e álcool gel.
  • L Fernando  11/02/2021 13:32
    Nunca pratiquei nenhuma destas três coisa
    E 90% das pessoas que tiveram o virus fizeram isso ai
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  11/02/2021 16:21
    Até agora não pratiquei nenhuma, e estou totalmente livre do vírus.

    Diversas pesquisas apontam quê quem foi infectado foi justamente as pessoas quê ficaram presas em casa (quê é o quê os cientistas dizem quê as pessoas devem fazer), se eles erraram até nisso, porquê deveria continuar acatando essas sugestões??

    Essa tal da mascara com certeza é a mais besta das três, os próprios cientistas dizem que o virus infecta objetos porquê a máscara seria uma excessão? é cada uma.

    E eu não sou anti ciência, pra mim a ciência é algo extremamente importante, porém á partir do momento em quê os cientistas começam á errar em momentos cruciais, e á fazer sujestões totalmente imorais, antiéticas, e contra á liberdade de escolha, como por exemplo, obrigar as pessoas á ficarem em casa, e ainda por cima fazer uma vacina de forma apressada, eles perdem toda a credibilidade, e vai ser difícil recuperá-la.
  • Revoltado  11/02/2021 18:55
    Pois é,

    Quem vos escreve apenas usa o álcool em gel com mais freqüência; em relação às demais recomendações, tenho as vivido frouxamente (máscara no bolso no meio da rua e proximidade regular com conhecidos/familiares e mesmo com as mulheres que procuro para fazer programas adultos) e até aqui, graças a Deus, não tenho tido nenhum sintoma sequer, tendo já feito dois testes sangüíneos.

    O que não entendo é como em São Paulo o povo local não protocolou ainda um processo de impeachment contra o Calça Apertadíssima, tamanho autoritarismo mostrado por essas bandas...
  • rraphael  11/02/2021 23:19
    ciencia e cientistas nao sao a mesma coisa, a midia adora usar o termo "especialistas"
    isso é apenas carteirada do tipo : voce sabe com quem esta falando ?
    no campo da retorica é a falacia do apelo a autoridade

    na ciencia nao existem dogmas , dogmas sao verdades absolutas que nao podem ser contestadas , dogmas costumam estar presentes nas religioes / doutrinas
    essa é a fraudemia , voce obedece sem questionamentos e quem ousa levantar duvidas ou exige dados concretos é tratado como dissidente

    na ciencia qualquer proposiçao nao somente pode como deve ser analisada e discutida , por isso a metodologia cientifica existe, por isso a revisao por pares existe

    mais ainda, carl sagan ponderou que "alegaçoes extraordinarias exigem evidencias extraordinarias"

    ja o que vemos é que alem de nao apresentarem evidencias (ou as evidencias que temos apontam na direçao oposta), fazem uso da inversao do onus da prova, se afirma qualquer absurdo e quem questiona é quem tem que provar que a afirmaçao é absurda

    a ciencia nunca foi infalivel pois o homem nao é infalivel , o nosso conhecimento se transforma , evolui , graças a tecnologia conseguimos ir alem das nossas capacidades sensoriais , pra cada resposta encontrada surgem 10 novas questoes , a medida que nossos instrumentos ficam mais precisos e potentes somos capazes de descobrir e aprender mais e mais , é justamente essa a beleza da coisa , quem usa a ciencia como um dogma, uma divindade que nao comete erros entendeu foi nada , nem de ciencia nem de coisa alguma

    entao sempre que aparece um suposto cientista / especialista pregando isso ou aquilo apenas invocando o nome "ciencia" , pode ser muita coisa , menos ciencia
  • cosmic dwarf  09/02/2021 03:20
    Idiotas úteis também são o inimigo. Essa para mim foi a grande revelação do Coronga. Eu admiro e agradeço pessoas como o autor do artigo, que ainda têm a pachorra de explicar, ponto a ponto, o porquê de a reação coletiva ao Terrível Vírus ser um caso de insanidade clínica. A mim só sobrou a raiva e a vontade de minimizar o contato com o rebanho na medida do possível.

    Acho que é normal para todos, ocasionalmente, se dar um tapa na testa e pensar "estou cercado de imbecis!" Desde que adquiri um pouco mais de bom senso no final da adolescência eu tento controlar esse instinto, porque afinal sou um ser limitado e também tenho minha cota de idéias de jerico. Além disso, a esmagadora maioria das pessoas só quer ser deixada em paz e viver a vida delas, certo? Me achar mais sábio que os outros seria pura arrogância.

    Isso era o que eu pensava, como bom libertário. Mas à medida que a condição mental Coronga progredia, passei a notar que os idiotas úteis não eram apenas vítimas da campanha de terror. Eles estavam viabilizando e AMPLIFICANDO a campanha. E como todos os partidários ignorantes de autoritarismo, a cena não podia estar completa sem uma boa dose de hipocrisia: continuavam visitando os amigos e a família, viajando, saindo de casa quando os lockdowns começaram a ser afrouxados - mas sempre se ajoelhando e beijando o chão perante o altar do Isolamento Çocial.

    Comecei a perceber paralelos com as supostas "vítimas da sociedade" que passam a vitimizar a sociedade. Onde está a linha divisória entre a história trágica de um jovem que trilhou o caminho errado, e um criminoso que precisa ser reprimido violentamente pelo bem da paz alheia? Quando que uma vovozinha que assiste Rede Grobo religiosamente vira uma ameaça por estar adicionando sua voz e seu voto à causa da ditadura médica?

    Era uma vibe meio "colaboradores do nazismo", dezenas de milhões de pessoas, inclusive mais cultas e disciplinadas do que a média, passivamente se tornando parte de um sistema abominável. É como se, mesmo tendo aprendido na escola que:

    -ditadores sempre usam "circunstâncias excepcionais" como desculpa para ampliar os limites do poder;
    -o poder do Estado deveria ser exercido com moderação e respeitando processos legais, e não por decretos que fazem a tal "ditadura militar" parecer coisa de amador;
    -já ocorreram epidemias e outros desastres muito, MUITO piores do que o Covídio, e nem por isso o mundo parou;
    -idosos são mais suscetíveis a sucumbirem a qualquer doença e nem por isso deixamos de visitar os avós...

    Mesmo com toda essa famigerada educação, pela qual pagamos somas incalculáveis e que supostamente torna nossa sociedade mais liberal e iluminada, é como se faltasse a milhões e milhões de pessoas uma pecinha mental para juntar toda essa informação, comparar com o que estava acontecendo, e chegar à conclusão de que algo estava muito errado.

    Disso tudo, estão se consolidando na minha cabeça as seguintes conclusões:
    1) educação formal pode ajudar a pessoa a ter uma visão de mundo mais ampla e tomar decisões mais bem informadas, mas nenhuma quantidade de educação pode superar uma deficiência de capacidade de análise e desconfiômetro básico;
    2) a esmagadora maioria dos seres humanos tem uma deficiência analítica e desconfiométrica crônica;
    3) o ponto 2) não é arrogância, mas sim uma realidade aterrorizante: as massas seguem o que os outros ao redor estão fazendo, por estupidez ou por conveniência, e só param quando a imbecilidade acaba em desgraça, ou a manada perde o momento por outro motivo (por exemplo, porque os incitadores da debandada atingiram seu objetivo e perderam o interesse);

    Juntando tudo, sou empurrado na direção de Nietzsche: a liberdade é algo inerentemente ARISTOCRÁTICO. Só alguém forte, desconfiado, brioso e com domínio dos seus complexos de culpa é capaz de manter um nível razoável de liberdade para si e para os seus.

    E baixando o espírito Hoppe: só uma sociedade disposta a enfrentar agressivamente idéias estúpidas e destrutivas - até o ponto do ostracismo, no sentido grego da coisa - tem alguma chance de preservar a liberdade por um tempo razoável antes de o ciclo do coletivismo continuar.

    O argumento "sou um pobre coitado, tenho medo, todo mundo tá com medo...", por mais que seja verdadeiro, não caracteriza inocência quando existe a continuação implícita "...e estou perfeitamente OK com aqueles capangas uniformizados sentarem a porrada em quem discorda, me sinto mais seguro assim!".
  • Ancap infiltrado  10/02/2021 17:05
    A definição que o colega usou, "falta uma pecinha", é perfeita.
    Trabalho em um lugar com pessoas indiscutivelmente inteligentes no geral, comprovadamente estão dentro do 1% de elite naquilo que fazem.
    Mas pra esses assuntos o pessoal é terrível. É de doer o nível de lavagem cerebral e de cegueira. Estatistas até a raiz do cabelo, e repetidores do que a mídia diz. E o pior é que não tem salvação aparentemente.
    De fato, falta a tal pecinha
  • Revoltado  11/02/2021 19:00
    Entendo tua realidade, amigo, pois convivo regularmente com isto.

    O coração chega a doer vendo o que a lavagem cerebral feita pelos abutres da mídia mainstream.

    Metade do meu círculo familiar, digo com tristeza, é um verdadeiro "Leblon" em termos de politicamente correto. O que já me rendeu alfinetadas como "Bolsominion", por exemplo, apenas por questionar certas pautas correspondentes e mesmo o uso de máscara ao ar-livre.

    Mas a vida segue...
  • Thiago  09/02/2021 10:26
    Se vários países tivessem agido como propõe o artigo, já temos noção de como teria sido: como no Inglaterra, no início (tentando imunidade de rebanho); como na Suécia (que pregou medidas de isolamento social, sem lockdowns).

    Mas percebam, o vírus tem uma letalidade alta em idosos, e mais alta que influenza entre adultos de meia-idade e jovens.

    O autor prega liberdade em relação a medidas do estado; o que pressupõe tambem liberdade, para quem tem fatores de risco, de se isolar verticalmente, e evitar adoecer num momento em que os hospitais estão lotados; ou mesmo de evitar o risco de morrer. Liberdade de se mover para o interior, zona rural, para diminuir o risco de adquirir a doença.

    Me impressionou como as pessoas recorreram pouco a amigos, família, vizinhos, para se organizar, mantendo pessoas jovens sem fatores de risco trabalhando, sustentando as casas, e afastando idosos e doentes; tudo ficou na dependencia dos ditames do governo.
  • Ex-microempresario  09/02/2021 16:04
    Que bom se os outros países tivessem sido como a Suécia.

    A média de mortos por milhão de habitantes em 2020 foi menor que em todos os últimos dez anos, com exceção de 2018 e 2019 (que foi o ponto mais fora da curva).

    A maioria das pessoas do mundo não raciocinou (e continua não raciocinando um ano depois); simplesmente seguiu cegamente as ordens dos políticos.

    Lembra aquela velha frase, atribuída a Churchill: "Quem abre mão de um pouco de liberdade em troca de um pouco de segurança não merece ter nenhum dos dois."
  • Caro anônimo  09/02/2021 16:13
    Desde o início, antes mesmo do primeiro lockdown, as pessoas racionais já pregavam que isolar a população era imoral, e dê que o certo seria as famílias isolarem os idosos.

    Infelizmente as pessoas racionais foram taxadas de "genocidas" e "fascistas", e seus argumentos for totalmente ignorados...

    Ou seja, a esquerda é irracional, sempre foi, não sabem debater, e sempre recorrem á ofender, humilhar e ignorar os argumentos de seus opositores.
  • Crioulo  09/02/2021 23:59
    Viram o laboratório ao vivo de Israel acontecendo diante de nossos olhos e a mídia ignorando completamente?

    A vacinação em massa em Israel começou antes do Natal (quase 2 meses atrás). E a taxa de vacinação de Israel está entre 35 e 45% (o que já é o suficiente pra ter uma boa imunidade de rebanho), não obstante, o lockdown também está cada vez mais rigoroso.

    E qual o resultado? O número de mortos bate recorde atrás de recorde diariamente.

    www.worldometers.info/coronavirus/country/israel/

    A justificativa que a mídia encontrou foi que "novas cepas" estão aparecendo.

    O que acontece em Israel vai ser exatamente o que irá acontecer em todos lugares do mundo que não se levantarem contra seus ditadores sanitários.
  • Joao Paulo  10/02/2021 01:44
    Lamentavel...

    Ja estao falando sobre uma suposta terceira onda. Isso aliado as novas mutacoes do coronga (para as quais as vacinas nao terao efeito algum, segundo os experts que seguem o "deus" Atila) levarao a propostas doentias como um lockdown total (fechamento de servicos essenciais e nao essenciais).
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  10/02/2021 02:34
    Interessante as estatísticas, antes da vacinação o número de mortes diárias disparou, mas deu uma acalmada, depois do início da vacinação os casos dispararam novamente.

    Não só isso: depois que a vacinação começou, os casos diários de mortes voltaram a disparar também, e até agora não cessou.

    Porém, isso não prova nada ainda (Á não ser, é claro, que os lockdowns não ajudaram em nada) á maioria dos vacinados nem receberam a segunda dose, daqui á alguns meses vamos olhar esse gráfico novamente, pra ver se a vacina realmente ajudou.
  • anônimo  10/02/2021 09:58
    A vacina vai ajudar, óbvio, mas ela não resolve o problema. Porque a taxa de transmissão do vírus é muito maior que a taxa de vacinação.

    Por isso nenhuma pandemia acabou com vacinação, todas cessaram com a imunidade de rebanho natural.

    E lembrando: isso considerando que a cepa do vírus mais popular seja a mesma da vacina em questão. Porque aí a vacina ajuda menos ainda.

    E também considerando que Israel não esteja mentindo seus números, como Brasil e EUA estavam.

  • anônimo  10/02/2021 12:15
    twitter.com/jackposobiec/status/1359297725335019522

    Essa pandemia não passa de uma gigantesca farsa. Tudo isso foi feito pra derrubar o Presidente Trump pelos votos fraudados por correios.

    Os números são todos manipulados abertamente. E nem há como provar isso, só basta observar as aberrações estatísticas.
  • Jango  10/02/2021 17:02
    O mesmo está acontecendo no Emirados Árabes Unidos. Vacinas feitas às pressas dá nisso.
  • rraphael  10/02/2021 01:56
    aqui na regiao foi noticiado um idoso que faleceu e foram descobrir que ele tinha morrido porque os vizinhos passaram a notar um "fedor insuportavel"
    era o idoso que tinha virado uma sopa de decomposiçao , eu diria que tinha quase 2 meses que o idoso tinha batido as botas e ninguem deu falta , deve levar 1 semana pra começar a virar uma bolha, e 1 mes pra começar a liquefazer

    é importante ressaltar que quando se ISOLA um doente ou pessoa vulneravel
    estamos falando de evitar compartilhar o mesmo ambiente que a pessoa, o contato direto, voce nao vai comer no mesmo prato que ele ou dormir no mesmo quarto
    o que NAO estamos falando é em abandonar a pessoa à propria sorte
    fazer isso é crueldade , e pior , sob a premissa de preservar a vida do pobre coitado

    esse tipo de situaçao mostra na pratica a regua moral que guia os que se vendem como defensores da vida : voce pode matar um bebe no ventre materno, voce pode matar um idoso abandonado, mas sair de casa pra trabalhar ai é genocidio ...
  • Douglas  11/02/2021 00:41
    Nunca imaginei, que no auge de meus 28 anos o mundo se transformaria numa grande Matrix, ao estilo Jogos Mortais.

    Está cada dia mais nítido que há um plano global totalitário por trás de tudo. E a maioria da população dorme, apoia e já começa a "cancelar" aqueles que resistem.

    Está tudo tão decadente (futebol, novelas, filmes, séries, produtos, lazer) e fiel ao Globalismo como nunca se viu. A humanidade é TÓXICA, as pessoas se atacam umas às outras gratuitamente, nunca houve tanto egoísmo, tanta soberba, tanto materialismo, tanto depravação sexual e moral, como existe hoje. Nunca antes se deu tanto valor à aparência (tanto que todo mundo é igual em tudo - roupas, sapatos, cabelo, barba, gostos pessoais, carreiras profissionais, até viagens, etc).
    É SURREAL o que está acontecendo. As pessoas estão sendo hipnotizadas e já estão perdendo até a própria identidade.

    O jeito é ir viver no meio do mato e longe da civilização.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  11/02/2021 20:42
    Está evidente quê á nova ordem Mundial é inevitável, deveriamos discutir é, o quê faremos antes dela ser instalada, para tentar nos previnir, e o quê fazer depois quê ela for instalada.

    Em um tom mais metafórico: Infelizmente, a raiz do problema é intocável, então devemos, isso sim, discutir como lidarmos com seus sintomas.
  • Caro an%C3%83%C2%B4nimo  11/02/2021 22:12
    Eu enxergo a nova ordem mundial como algo destinado ao fracasso.

    Imagine quê a raiz do problema são centenas de grandes pedras redondas, isso mesmo, pedra rendondas, e sob elas haja um largo e comprido piso de uma maneira quê se suspenda em cima dessas pedras, e em cima desse piso esteja um grande arranha-céu.

    O arranha-céu simboliza á Nova Ordem Mundial autoritária e tecnocratica, o piso simboliza os sintomas, e a raiz simboliza á civilização humana.

    É claro quê, nesse cenário, as pedras irão aos poucos sendo amassadas pelo grande peso quê o piso está erguendo.

    O piso, está servindo como apóio para quê o grande edifício não se desmorone, porém, ela também está direcionando todo o peso do edifício contra as pedras, o quê acontecerá se á grande maioria das pedras começarem á serem amassadas?

    O edifício começará á se desbalancear, e a cada pedra destruida ou quê rolou pra fora, o edifício estará mais perto do seu fim.

    Quando o edifício finalmente cair, ainda haverá algumas poucas pedras sortudas quê não foram totalmente demolidas e amassadas, e algumas, por acaso, rolaram para fora, se isso aconteceu, é porquê no início de conversa, não tinha como as pedras servirem como una base sólida para tal peso, logo, o fim era iminente.

    Agora, falando de uma forma não metafórica: Como sabemos quê tanto a criação, como o fim dessa aberração é iminente, devemos nos prevenir, as pedras quê estão nas dianteiras com certeza irão rolar pra fora, e essas pedras são os países que provavelmente irão cair fora desse plano, ou seja, os paises mais livres, quando você ver coisas sobre o grande reset passando na mídia, se mude já para o pais mais livre quê tiver no momento, se posshir condições financeiras

    Ou como vc disse, não compartilhar espaço com as pedras/civilizações, quê no caso é viver no mato, mas isso é extremamente arriscado, e como vai viver longe da civilização e totalmente por si só, vai ter uma qualidade de vida péssima.
  • Jhonata  11/02/2021 03:41
    O problema Covid-19 tem sua dimensão e é um problema sim para os homens, mas é claro como a luz do Sol que o mesmo foi superdimensionado.

    O efeito evidente é o medo generalizado, que suprimiu a capacidade de tomar decisões e pensar autonomamente.

    Quem ganha com isso? Quem perde? É necessário sair da caixa, permitir-se fazer questionamentos, analisar pontos de vista diferentes, olhar para o chão debaixo de nossos pés e permitir-se certa dose de ceticismo.

    A verdade é que a atual sociedade transformou-se em um palco onde há luta de forças que querem exercer poder e influenciar indivíduos a fazerem algumas coisas e deixarem de fazer outras.

    Para reorientar a vontade individual e ser obedecido é necessário exercer alguma forma de poder sobre indivíduos. Eis o cerne do conceito de poder: ser obedecido. Governos, empresas e famílias numa interação muito complexa, até então, não haviam experimentado uma crise que supostamente afetasse tudo e todos ao mesmo tempo, em escala global. O ponto que separa os homens dos meninos é exatamente saber onde o problema real termina e o superdimensionamento da crise começa. Difícil.

    O medo, efeito de uma propaganda que se alastrou mais rapidamente que incêndio em floresta seca, com os meios tecnológico que dispomos, retirou-nos a capacidade de pensar e agir autonomamente.

    Os desafios do século da informação é justamente ter a capacidade de processar e interpretar dados. Eu não faço ideia de como isso terminará. Acredito na capacidade e ousadia do ser humano em resolver problemas e contrapor-se. Ouse pensar.
  • Tyu  12/02/2021 15:37
    A tal "pandemia" se mostrando um belo golpe.
    Abaixo uma "amostra" do que um bando de vagabundo está fazendo com a população mundial.
    Aqui no "braziu" não é diferente, com essa mídia televisiva todo dia desinformando e falando mentira.
    Sem contar que estão rotulando de vacina, uma terapia genética, que expõe mais uma fraude e
    ninguém questiona.



    O amplamente elogiado modelo alemão do regime de Angela Merkel para lidar com a pandemia COVID-19 está agora envolvido em uma série de escândalos potencialmente devastadores que vão até o cerne dos testes e
    conselhos médicos usados para declarar paralisações econômicas draconianas e, em seguida, vacinações obrigatórias de facto. Os escândalos envolvem um professor que está no centro do grupo consultivo corona de Merkel. As implicações vão muito além das fronteiras alemãs para a própria OMS e suas recomendações globais.
    Todo o caso do bloqueio de emergência exigido pela OMS de empresas, escolas, igrejas e outras arenas sociais em todo o mundo é baseado em um teste introduzido, surpreendentemente no início, na saga do coronavírus de Wuhan, China.
    Em 23 de janeiro de 2020, na revista científica Eurosurveillance , do Centro de Prevenção e Controle de Doenças da UE, Dr. Christian Drosten , junto com vários colegas do Instituto de Virologia de Berlim do Hospital Charite, junto com o chefe de uma pequena empresa de biotecnologia de Berlim , TIB Molbiol Syntheselabor GmbH, publicou um estudo afirmando ter desenvolvido o primeiro teste eficaz para detectar se alguém está infectado com o novo coronavírus identificado pela primeira vez apenas alguns dias antes, em Wuhan. O artigo Drosten foi intitulado, "Detecção do novo
    coronavírus 2019 (2019-nCoV) por RT-PCR em tempo real" (Eurosurveillance 25 (8) 2020).
    A notícia foi recebida com endosso imediato pelo corrupto DiretorGeral da OMS, Tedros Adhanom , o primeiro médico não médico a chefiar a OMS. Desde então, o teste de Drosten para o vírus, chamado de teste em tempo real ou RT-PCR, se espalhou pela OMS em todo o mundo, como o protocolo de teste mais usado para determinar se uma pessoa pode ter COVID19, a doença.
    Em 27 de novembro, um grupo altamente respeitado de 23 virologistas internacionais, microbiologistas e cientistas relacionados publicou uma convocação para que o Eurosurveillance retirasse o artigo Drosten de 23 de janeiro de 2020. Sua análise cuidadosa da peça original é condenatória . Deles é uma verdadeira "revisão por
    pares".
    Eles acusam os Drosten e seus companheiros de incompetência científica "fatal" e falhas na promoção de seu teste.
    Para começar, como revelam os cientistas críticos, o artigo que estabeleceu o teste Drosten PCR para a cepa Wuhan do coronavírus, que foi posteriormente adotado com pressa indecente pelo governo de Merkel junto com a OMS para uso mundial resultando em severos bloqueios globais e um catástrofe econômica e social - nunca foi revisado por pares antes de sua publicação pelo jornal Eurosurveillance . Os críticos apontam que, Incrivelmente, o protocolo do teste Drosten, que ele já havia enviado à OMS em Genebra em 17 de janeiro, foi oficialmente recomendado pela OMS como o teste mundial para determinar a presença do coronavírus de Wuhan, antes mesmo do artigo ser publicado .
    Como apontam os autores críticos, para um assunto tão complexo e importante para a saúde e a segurança mundiais, uma "revisão por pares" séria de 24 horas de pelo menos dois especialistas na área não é possível. Os críticos apontam que Drosten e sua co-autora, Dra. Chantal Reusken , não revelaram um conflito de interesses flagrante. Ambos
    também foram membros do conselho editorial do Eurosurveillance.
    Mais distante, conforme relatado pela BBC e pelo Google Statistics, em 21 de janeiro houve um total mundial de 6 mortes atribuídas ao vírus Wuhan. Eles perguntam: "Por que os autores assumiram um desafio para os laboratórios de saúde pública, enquanto não havia evidências substanciais na época para indicar que o surto foi mais generalizado do
    que inicialmente pensado? Outro co-autor do artigo Drosten que deu uma capa de aparente credibilidade científica ao procedimento Drosten PCR foi o chefe da empresa que desenvolveu o teste que está sendo comercializado hoje, com a bênção da OMS, na casa das centenas de milhões, Olfert Landt, de Tib-Molbiol em Berlim, mas Landt não
    divulgou esse fato pertinente no papel Drosten quer .

    Certamente nada de suspeito ou impróprio aqui, ou? Seria relevante saber se Drosten, o consultor científico chefe da Merkel para COVID-19, o "Tony Fauci" da Alemanha, obtém uma porcentagem para cada teste vendido pela Tib-Molbiol em seu acordo de marketing global com a Roche.

    Falso-positivo?
    Desde o final de janeiro de 2020, a grande mídia mundial nos inundou com assustadoras atualizações de hora em hora sobre "o número total de infectados por coronavírus". Normalmente, eles simplesmente adicionam cada aumento diário a um total global de "casos confirmados", atualmente mais de 66 milhões. Alarmante, mas pelo fato de que,
    como Pieter Borger e seus colegas colaboradores científicos apontam, "casos confirmados" é um número absurdo. Por quê?
    O teste PCR não identifica o vírus: "Falsos positivos" da Covid usados para justificar o bloqueio e o fechamento da economia nacional. O relatório Borger identifica o que eles chamam de "dez problemas fatais" no jornal
    Drosten de janeiro passado. Aqui pegamos o que há de mais evidente que pode ser facilmente compreendido pela maioria dos leigos.
    Drosten & co. deu sequências de iniciador e sonda não especificadas confusas. Os críticos observam: "Este alto número de variantes não só é incomum, mas também é altamente confuso para os laboratórios. Essas seis posições não especificadas podem facilmente resultar no projeto de várias sequências de primer alternativas diferentes que não se relacionam com SARS-CoV-2 ... a descrição inespecífica confusa no artigo Corman-Drosten não é adequada como um protocolo operacional padrão. Essas posições não especificadas deveriam ter sido concebidas de forma inequívoca. " Eles adicionam isso "O RT-PCR não é recomendado para o diagnóstico primário de infecção. É por isso que o Teste RT-PCR usado na rotina clínica para detecção de COVID-19 não é indicado para o diagnóstico de COVID-19 em uma base regulatória ".

    Ciclos de Amplificação
    Mas ainda mais prejudicial para Drosten é o fato de que ele não mencionou em nenhum lugar sobre um teste ser positivo ou negativo, ou mesmo o que define um resultado positivo ou negativo! O relatório Borger observa, "Esses tipos de testes de diagnóstico virológico devem ser baseados em um SOP (Protocolo Operacional Padrão), incluindo um
    número fixo e validado de ciclos de PCR (valor Ct) após o qual uma amostra é considerada positiva ou negativa. O valor Ct máximo razoavelmente confiável é de 30 ciclos. Acima de um Ct de 35 ciclos, um número crescente de falsos positivos deve ser esperado ... estudos científicos mostram que apenas vírus não infecciosos (mortos)
    são detectados com valores de Ct de 35 ". ( ênfase adicionada ).
    A OMS e a Drosten recomendam um Ct de 45 ciclos e, segundo consta, atualmente as autoridades de saúde alemãs também recomendam. Não é de admirar que, à medida que o número de testes aumenta no início da temporada de gripe de inverno, os "positivos" do PCR na Alemanha e em outros lugares explodam. Como os autores críticos
    apontam, se as autoridades de saúde especificassem no máximo 35 ciclos , o número de corona positiva seria apenas menos de 3% do número atual! Eles observam que "um resultado analítico com um valor Ct de 45 é científica e diagnosticamente absolutamente sem sentido (um valor Ct razoável não deve exceder 30). Tudo
    isso deve ser comunicado com muita clareza.
    É um erro significativo que o artigo de Corman-Drosten não mencione o valor Ct máximo no qual uma amostra pode ser considerada inequivocamente como um resultado de teste positivo ou negativo. Este importante limite de ciclo também não é especificado em nenhuma submissão de acompanhamento até o momento. " Os autores acrescentam,
    "O fato de esses produtos de PCR não terem sido validados em nível molecular é outro erro marcante do protocolo, tornando qualquer teste baseado nele inútil como ferramenta diagnóstica específica para identificar o vírus SARS-CoV-2. (Ênfase adicionada ).
    Em um inglês simples, todo o edifício da fundação Gates, o governo Merkel, a OMS e o WEF, bem como o caso das vacinas forçadas não testadas de fato, se baseia nos resultados de um teste de PCR para coronavírus que não
    vale um monte de feijão. O teste de Drosten e OMS é mais ou menos uma porcaria científica.

    Falta a prova do médico também?
    Esta crítica devastadora de vinte e três cientistas líderes mundiais, incluindo cientistas com patentes relacionadas a PCR, isolamento e sequenciamento de DNA e um excientista-chefe da Pfizer, é contundente, mas não o único problema que o professor Dr.Christian Drosten enfrenta hoje. Ele e os funcionários da Universidade Goethe de
    Frankfurt, onde afirma ter recebido seu doutorado em 2003, estão sendo acusados de fraude.
    Segundo o Dr. Markus Kühbacher, especialista em investigação de fraudes científicas como plágio de dissertação, a tese de doutorado do Dr. Drosten, por lei deve ser depositada em uma determinada data junto às autoridades acadêmicas de sua Universidade, que então assinam um formulário legal, Revisionsschein , verificado com
    assinatura, carimbo da Universidade e data, com título da tese e autoria, a enviar para o
    arquivo da Universidade.
    Com ele, são arquivados três exemplares originais da tese. Kühbacher acusa a Universidade Goethe de acobertamento ao alegar, falsamente, que o Revisionsschein de Drosten estava em arquivo. O porta-voz da Universidade mais tarde
    foi forçado a admitir que não foi arquivado, pelo menos não localizável por eles. Além disso, das três cópias de arquivo obrigatórias de sua tese de doutorado, altamente relevante dada a importância global do papel do coronavírus de Drosten, duas cópias "desapareceram" e a única cópia restante está danificada pela água. Kühbacher diz que
    Drosten agora provavelmente enfrentará acusações judiciais por possuir um título de
    doutorado fraudulento .
    Se isso vai passar, é um fato que um processo legal separado foi movido em Berlim contra duas pessoas responsáveis por um site de mídia alemão, Volksverpetzer.de, por calúnia e difamação, trazidas por um conhecido médico alemão crítico , Dr. Wolfgang Wodarg. O processo exige dos réus € 250.000 em danos por difamação de caráter e danos materiais a Wodarg pelo acusado em seu site online, bem como em outros meios de comunicação alemães, alegando que eles cruelmente e sem provas, difamaram Wodarg, chamando-o de " negador de cobiça ", falsamente chamando-o de extremista de direita (ele é um ex-membro do parlamento do Partido Social-Democrata ao longo da
    vida) e várias outras acusações falsas e prejudiciais .
    O advogado do Dr. Wodarg é um conhecido advogado germano-americano, Dr. Reiner Fuellmich. Em suas acusações contra os réus, Fuellmich cita na íntegra as acusações contra o teste de Drosten para coronavírus do Dr. Pieter Borger e outros anotadas acima.
    Na verdade, isso está forçando os réus a refutar o artigo de Borger. É um grande passo no caminho para refutar toda a fraude do teste PCR do WHO COVID-19. Já um tribunal de apelação em Lisboa, Portugal, decidiu em 11 de novembro que o teste PCR de Drosten e OMS não era válido para detectar a infecção por coronavírus e que não havia
    base para ordenar bloqueios parciais ou nacionais.
    Se as apostas não fossem tão mortais para a humanidade, tudo seria material para uma comédia do absurdo. O czar mundial da saúde, chefe da OMS, Tedros, não é um médico cuja OMS seja maciçamente financiada por um gerente de informática bilionário que abandonou a faculdade, Gates, que também assessora o governo de Merkel nas medidas
    do COVID-19.
    O governo de Merkel usa o teste de PCR Drosten e Drosten como um especialista "onisciente" para impor as consequências econômicas mais draconianas fora do tempo de guerra. Seu ministro da Saúde, Jens Spahn, é um ex-banqueiro que não tem graduação em medicina, apenas uma passagem como lobista para a Big Pharma. O
    chefe do CDC alemão, chamado Instituto Robert Koch, Lothar Wieler, não é um virologista, mas um médico animal, Tierarzt. Com esta tripulação, os alemães estão vendo suas vidas destruídas por bloqueios e medidas sociais nunca antes imaginadas.
    Existe ciência e depois ciência. Nem toda "ciência" é válida, entretanto.

    Reproduzido com permissão da Global Research
  • anti estado  14/02/2021 00:24
    O que me impressionou mesmo nessa loucura que estamos vivendo foi ver que pessoas altamente escolarizadas tem uma capacidade de analise de realidade e desconfiômetro baixíssimo, beirando a gadisse.
  • Fabrício  20/02/2021 20:24
    Mapa do excesso de mortalidade em países da Europa em 2020 em relação ao período 2016-2019.

    Fica claro por que a mídia simplesmente parou de falar na Suécia.

    twitter.com/steve_hanke/status/1363216860905316353/photo/1
  • Felipe  20/02/2021 20:42
    A Alemanha seria um caso de exceção? Será que é porque o sistema de saúde deles é superior ao sueco?
  • Advogado do Tinhoso  20/02/2021 22:18
    Essa é fácil de rebater: basta dizer que a régua da Suécia não é a Europa como um todo, mas sim Noruega e Dinamarca, seus vizinhos que praticaram lockdown e tiveram números bem melhores.
  • Fabrício  20/02/2021 22:43
    Haha, você caiu na armadilha (não se preocupe, eu também caí antes). Os dados mostram que as políticas da Dinamarca, da Finlândia e da Noruega foram ainda menos restritivas que as da Suécia.

    Sim, desde junho, Finlândia e Noruega, passaram a adotar políticas menos restritivas que as da Suécia.

    O site "Our World in Data" mostra o índice de rigor ("stringency index") adotado pelos governos. Quanto maior o número, maior o rigor. Finlândia, Dinamarca e Noruega têm números mais baixos que os da Suécia, o que significa que seus governos foram ainda menos rigorosos.

    Não discuta comigo. Discuta com a fonte.

    ourworldindata.org/grapher/covid-stringency-index?stackMode=absolute&time=2020-11-12®ion=World

    Além de não haver obrigatoriedade do uso máscaras, e os finlandeses dizem que para eles "a vida nem mudou muito".

    www.euractiv.com/section/languages-culture/news/finland-europes-quiet-success-in-covid-19-fight/

    De novo: não discuta comigo; vá discutir com os finlandeses.

    Não é à toa que esses países simplesmente sumiram da mídia.

    How Finland and Norway Proved Sweden's Approach to COVID-19 Works

    Hora de criar outra narrativa…
  • Felipe  20/02/2021 23:18
    Escandinavos surpreendendo de novo. Esse índice de rigidez de lockdowns é realmente muito bom, embora eu tenha algumas ressalvas.

    Mas e o caso da Alemanha que eu perguntei? Não seria exceção?
  • Advogado do Tinhoso  21/02/2021 00:59
    Mas aí pode-se argumentar que Noruega e Dinamarca puderam relaxar mais nas medidas a partir de junho justamente por terem sido mais rigorosos antes.

    Veja que, desde o fim de janeiro, como reflexo do agravamento da epidemia por lá, a Noruega aplica medidas mais restritivas. E isso se dá em um quadro epidêmico muito mais leve que o da Suécia, onde os casos diários - levando-se em conta a população - são bem maiores. Ou seja, apesar do quadro epidêmico mais leve, a Noruega adota hoje medidas mais rigorosas que as da Suécia.
  • Fabrício  21/02/2021 05:15
    Role a barra horizontal do tempo. Durante toda a pandemia, Dinamarca e Noruega foram menos restritos que a Suécia (sim, para supresa minha também).

    Não tem nada disso de que "foram mais rigorosos antes de junho". Desde março, a Finlândia já era bem menos restrita, e a Dinamarca estava, no mínimo, igual à Suécia.

    Vão ter que rebolar muito para tentar renegar este fato.
  • Felipe  21/02/2021 14:49
    De qualquer forma, comparem o desempenho econômico do Reino Unido e da Noruega.
  • Felipe  21/02/2021 14:30
    Quais dados utilizar para comparar? Mortes por milhão no acumulado?

    E o caso da Alemanha?
  • rraphael  21/02/2021 02:41
    "basta dizer que a régua da Suécia não é a Europa como um todo, mas sim Noruega e Dinamarca"

    quando foi pra trancar tudo pintaram e bordaram a europa como exemplo, mas quando é pra mostrar o fiasco dessas atitudes nem os paises nordicos ficam na europa, os criterios mudam com as conveniencias - aprendeu isso com a midia né

    impossivel deixar de ressaltar que em 2020 cantaram aos 4 cantos que sem lockdown seriam pilhas de corpos pela rua , e quem discordasse era um ignorante cientifico que nao dava valor a vida

    agora em 2021 tao rebolando pra tentar explicar por que lugares sem lockdown ou focinheira obrigatoria tiveram resultados totalmente opostos do que queriam os profetas covidianos , mas eu sei que nao vao engolir as palavras e reconhecer que nao sabem m* alguma

    nenhum politico ou pandeminion vai se responsabilizar pelo modo que se comportam , mesmo que tenham causado danos a sociedade moderna como ate entao nunca havia se visto, antes de tudo esse circo foi pra mostrar quem manda, nao pra preservar a vida

    A Alemanha seria um caso de exceção? Será que é porque o sistema de saúde deles é superior ao sueco?

    um fator que pesa é que a alemanha é a casa de diversas farmaceuticas e tem uma capilaridade enorme na disponibilidade de tratamentos - tanto pra gripe chinesa quanto demais condiçoes

    www.vfa.de/de/englische-inhalte/therapeutic-medicines-coronavirus-covid-19

    en.wikipedia.org/wiki/Verband_Forschender_Arzneimittelhersteller
  • Souza  24/02/2021 22:56
    Eu falei sobre isso ontem no Facebook numa publicação em que um monte de gente tava apoiando essa aberração de lockdown e eu fui massacrado, inclusive um cara na minha lista de amigos viu meu comentário e me mandou calar a boca, aí respondi pra ele de volta usando argumentos bons e ele desfez amizade comigo, o que mostra que essa gente hipnotizada pela histeria da mídia e do estado não aceitam ser contrariadas de jeito nenhum. Terrível demais. Não sei onde a gente vai parar se continuar assim.
  • rraphael  25/02/2021 15:55
    numa discussao onde o interlocutor colocou artigos cientificos que contrariavam a narrativa teve um que respondeu da seguinte forma :

    "se esses artigos sao verdadeiros, por que politicos estao ignorando ?"

    a pergunta é otima , o problema é que foi retorica - a pessoa nao quis ler nada, nao tem vontade de pensar com a propria cabeça e confirmou que apenas obedece o que outros determinam

    o tempo é senhor da razao, continue firme com seus principios e valores pois é a unica forma de resistencia que temos num mar de insanidade
  • Souza  02/03/2021 01:11
    Desculpa o atraso pra responder de volta, mas desde sábado aqui onde moro (São Bernardo do Campo - SP) tá tendo toque de recolher a partir das 22:00 até as 5:00 da manhã. Aí num grupo da cidade que eu participo um motorista de uber reclamou dessa ação, já que ele não podia abastecer o carro pois nem os postos de gasolina podem ficar abertos até muito tarde, e um pessoal ficou culpando ele e dando razão pro que o prefeito decretou (e que por sinal, ainda fez questão de filmar o início de toda essa ação). Numa outra publicação, um homem (que, aparentemente, é defensor da liberdade que nem nós) postou uma frase de efeito referente ao fato das pessoas entregarem de bandeja sua liberdade em troca de uma suposta segurança, e ficar sem nenhuma delas, e mais uma vez, alguns comentaristas ficaram culpando as pessoas que saem de casa, por mais que precisem, por causar todo esse caos (que como sabemos, é o próprio estado que causa). É incrível a perversidade que esses políticos e a mídia ajudam a promover. Definitivamente, esse site é um dos poucos lugares onde consigo preservar a minha sanidade mental (ou pelo menos, um pouco dela), porque se dependesse desses veículos de mídia, ela teria ido pro espaço há muito tempo.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.