clube   |   doar   |   idiomas
Após quatro meses de pandemia, restou uma certeza: o fracasso dos governos é retumbante
A destruição e o caminho liberal para a saída

O histórico já confirma tudo aquilo que sempre foi dito: a economia global entrou em colapso não por causa da pandemia de Covid-19, mas sim porque os governos ao redor do mundo, por meio de um espantoso e incrivelmente irresponsável uso de seus poderes coercitivos, desligaram as economias, fecharam indústrias, comércios e serviços, e quebraram as cadeias de suprimentos.

Com efeito, após quatro meses de pandemia mundial, já há evidências concretas de que o lockdown não altera o número de mortos per capita. Estatísticos não conseguem encontrar nenhuma diferença de excesso de mortalidade entre os países que se trancaram e os que não.

Já a diferença de resultados econômicos são escabrosos.

Na Suécia, país que não adotou nem confinamento e nem quarentena, a economia efetivamente cresceu no primeiro trimestre, e a uma taxa anualizada de 0,4%, sendo que as previsões medianas eram de uma contração anualizada de 2,4%. Ao que consta, foi o único país ocidental importante a conseguir esse feito.

Seus vizinhos nórdicos, que adotaram lockdown, apresentaram números econômico muito piores: a economia da Noruega se contraiu a uma taxa anualizada de 5,86% e da Dinamarca, a uma taxa anualizada de 8,13%

Por outro lado, é fato, morreram mais pessoas na Suécia do que nos outros países nórdicos. Porém, e isso é igualmente válido, morreram menos pessoas, em termos per capita, na Suécia do que nos outros países europeus que adotaram um lockdown radical, como Bélgica, Itália, Espanha e Reino Unido. A Suécia está empatada com a também confinada França, só que a economia da França encolheu à incrível taxa anualizada de 19,57% no primeiro trimestre. 

Portanto, os dados empíricos mostram que, se de um lado o lockdown não evita mortes e nem protege a população, de outro ele garante a destruição econômica do país.

No resto do mundo ocidental, bilhões de pessoas foram repentinamente forçadas a ficar em prisão domiciliar, os governos passaram a decidir o que é e o que não é essencial, e todo e qualquer ajuntamento de pessoas se tornou proibido ou passou a ser rigorosamente regulado.

E assim estamos vivenciando os catastróficos resultados. Não é uma grande depressão. É uma grande supressão. Os governos, do nada, repentinamente se prontificaram a demolir os pilares essenciais da nossa modernidade. E fizeram isso com alarmante entusiasmo.

E, agora, segundo as estatísticas, eles nem sequer podem dizer que ao menos salvaram vidas. 

Pior: os próprios médicos já estão garantindo que as consequências da profunda recessão econômica sobre a saúde das pessoas serão várias vezes piores do que a própria pandemia de Covid-19. E isso sem contar a carnificina causada pelo fato de os hospitais terem suspendido tratamentos de rotina, diagnósticos de câncer e cirurgias eletivas.

O que temos de concreto é que os governos ao redor do mundo embarcaram em um grande experimento de controle social que não tinha nenhuma comprovação científica. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.

A única coisa que foi apresentada foi um modelo matemático do Imperial College, de Londres. Só que os modelos do Imperial College possuem vinte anos de histórico pavoroso; suas previsões sempre se revelaram astronomicamente erradas, e é apavorante que eles tenham sido utilizados para nortear decisões tão importantes. A própria imprensa britânica não se cansa de ridicularizá-los.

Tudo isso, em suma, significa que os governos ao redor do mundo embarcaram em um grande experimento de controle social baseados em teorias não-comprovadas e utilizando métodos não-testados.

E, ao que tudo indica, nada de bom foi alcançado por nenhum governo em termos de mitigação da doença. Ficamos apenas com a prosperidade destruída e vidas arruinadas — mais uma maciça perda de confiança em soluções criadas pelo setor público ao redor do mundo, o que pode ser algo positivo.

Trata-se da pior política da era moderna. 

A acusação bizarra

Não obstante esse festival de horrores estatais, ainda há pessoas na mídia dizendo que essa pandemia, de alguma maneira, mostra um "fracasso do liberalismo".

É difícil encontrar uma conclusão singularmente mais bizarra do que essa. 

Não foram os mercados — ou seja, a livre interação entre indivíduos, consumidores, produtores e investidores — que fracassaram, mas sim o governos. Os mercados foram extintos e proibidos de funcionar por políticos e burocratas (com pesadas multas e até penas de prisão para empreendedores que se "atrevessem" a trabalhar e produzir). Em troca, esses políticos e burocratas não apresentaram absolutamente nada de positivo. Não apresentaram solução nenhuma para nada. Apenas destruíram nossa prosperidade e nosso bem-estar.

Os mercados, ao menos aqueles que ainda puderam continuar funcionando (os rotulados como "essenciais"), continuaram nos ofertando alimentos, abrigos, remédios e cuidados médicos durante o pior do momentos. Não passamos fome e ainda tivemos amplo acesso a entretenimento doméstico graças ao mercado (empreendedores em busca de lucros). A bolsa de valores e todo o mercado financeiro continuou funcionando, fornecendo informações cruciais sobre recursos e valorações, e, acima de tudo, efetuando as transações monetárias cruciais para nossa sobrevivência.

Isso é um triunfo, e não um fracasso.

Talvez, sendo complacente, a afirmação de que o liberalismo fracassou se baseia na crença de que uma sociedade livre não sabe lidar com pandemias. Só que isso também é empiricamente falso. Com efeito, ao longo de todo o século XX, tivemos vários exemplos de doenças que foram manuseadas muito bem em um contexto de liberdade. Profissionais da medicina trabalharam e deram abrigo aos vulneráveis ao mesmo tempo em que mitigaram as doenças por meio de métodos científicos. O estado ficou completamente de fora na pandemia de pólio, de 1949-52. Fez o mesmo na gripe de 1957-58, quando nada parou. Na gripe de 1968 (a gripe de Hong Kong), também nada parou (aliás, o festival de Woodstock ocorreu exatamente durante o fenômeno). Na SARS, nada parou. Na MERS, nada parou. Na H1N1, nada parou. 

Por que decidimos tomar um caminho distinto em 2020 é um mistério. Independentemente disso, foi um enorme erro.

Quem conhece desaprova

O grande epidemiologista Donald Henderson (1928-2016) foi o responsável pela erradicação da varíola ao redor do mundo. Ele era o maior especialista vivo em pandemias. Sua visão sobre quarentenas, restrições de circulação e até mesmo de viagens, fechamentos de escolas e restrições gerais da liberdade era 100% negativa. Seu princípio era o de que nada deveria ser feito para interromper ou perturbar o funcionamento normal da sociedade. Qualquer medida que o governo tome para restringir a liberdade das pessoas via coerção corre o risco de transformar uma pandemia perfeitamente controlável em uma "catástrofe".

São as palavras de um especialista na área, com um impecável currículo de façanhas.

E isso — catástrofe — foi exatamente o que ocorreu. O mundo pagará o preço por décadas. Nada disso é culpa do liberalismo, mas sim de tenebrosas decisões tomadas por políticos e burocratas ao redor do mundo, com a possível exceção de Coréia do Sul, Japão, Suécia e alguns outros poucos países (sendo a Nova Zelândia o único caso de governo bem-sucedido ao adotar uma rápida quarentena).

O que fazer

Não é o momento para ainda mais controles estatais. É hora de voltarmos a olhar para os fundamentos da modernidade e dos mais essenciais direitos humanos, e voltarmos a praticá-los novamente.

Em relação ao vírus, ninguém quer ficar doente. E ninguém quer adoecer os outros desnecessariamente. Se formos capazes de entender e aceitar essas duas verdades, temos a base para entendermos como uma sociedade livre pode lidar de maneira inteligente com a presença desta doença. As pessoas se adaptam e aprendem. O profissionais da área se concentram no assunto e trabalham em terapias e na descoberta da cura. O que exatamente os governos podem contribuir neste processo não está claro.

O economista F.A. Hayek passou toda a sua vida explicando e demonstrando que o conhecimento essencial necessário para fazer a sociedade funcionar e prosperar está nas mentes de cada indivíduo atuante. O governo não é, e não tem como ser, mais sábio e mais esperto que todo o conjunto de indivíduos de uma sociedade. E não há benefício algum em se ignorar essa lição.

O que é necessário hoje, mais do que nunca, é uma imediata restauração do livre comércio, da liberdade de empreendimento, da liberdade de movimento, dos direitos comerciais, e dos direitos humanos inalienáveis. É uma verdade dura para os governos admitirem não apenas que fracassaram, como também que pioraram tudo. Mas eles têm de admitir isso e simplesmente nos deixar em paz para que possamos restaurar a prosperidade e nossa saúde.

_____________________________________

Leia também:

Mais do que nunca, é exatamente em épocas de crise que precisamos de liberdade



autor

Jeffrey Tucker
é Diretor-Editorial do American Institute for Economic Research. Ele também gerencia a Vellum Capital, é Pesquisador Sênior do Austrian Economic Center in Viena, Áustria.  Associado benemérito do Instituto Mises Brasil, fundador e Diretor de Liberdade do Liberty.me, consultor de companhias blockchain, ex-editor editorial da Foundation for Economic Education e Laissez Faire books, fundador do CryptoCurrency Conference e autor de diversos artigos e oito livros, publicados em 5 idiomas. Palestrante renomado sobre economia, tecnologia, filosofia social e cultura.  

  • Imperion  04/06/2020 20:03
    Primeiro o fechamento do comércio com falencia, agora os saques.
  • Marcelo  06/06/2020 10:59
    A político/pandemia foi um sucesso!
    O maior ensaio de manipulação de massa já realizado pela Nova Ordem Mundial.
  • O Estado salvando o povo  04/06/2020 20:16
    www.terra.com.br/noticias/coronavirus/coronavirus-na-suecia-a-sincera-admissao-do-epidemiologista-que-criou-estrategia-do-pais-contra-pandemia,e60e005057a4d804ed19b5b69d6b2369agft325y.html

    Por isso que o Estado tem que agir. Os indivíduos só fazem m...
  • anônimo  04/06/2020 20:27
    Perfeito exemplo de como a mídia é tosca e adultera tudo.

    A fonte original é essa:

    www.dn.se/nyheter/sverige/anders-tegnell-there-are-things-we-could-have-done-better/

    E o que realmente diz a notícia? Que o epidemiologista sueco atenta para o fato de que poderiam ter evitado mais mortes em casas de repouso ou asilos. Declara:

    "Based on the knowledge we had then we are still in agreement that the decisions that were taken were adequate. Based on the knowledge we had then."

    "But I think the fundamental strategy has worked well. I can't see how we could have acted in a totally different way. Of course there are details which you can think about, and we do that continuously."

    "I think many of the countries that closed down everything straight away could think about whether it was really adequate to close as much as they did. Could they have been more focused and still have had the same effects? You don't close off societies if you don't have to."

    Entenderam? O cara falou explicitamente que as decisões foram adequadas, que a estratégia funcionou bem, e que não tinha como fazer as coisas diferentemente. Mas apenas diz que, no que tange a casas de repouso, que é onde praticamente estão concentradas todas as mortes (óbvio, pois é ali que os idosos estão), poderia ter havido outra abordagem.

    É só isso.
  • Johansson  04/06/2020 20:32
    Essas distorções da mídia com a Suécia já estão virando clássicas.

    Outro dia um gaiato veio aqui e simplesmente jogou esta notícia: oglobo.globo.com/sociedade/suecia-se-torna-pais-com-maior-mortalidade-por-covid-19-ve-imunidade-de-rebanho-ainda-distante-24437362

    E aí, com ar de superioridade, exigiu explicações.

    Eu respondi:

    Essa notícia mostra como a mídia é canalha (o que inclui quem a divulga). Você ao menos leu o corpo da matéria?

    Está escrito lá: pegaram um intervalo de tempo extremamente curto (7 dias), e aí pegaram a mortalidade per capita neste curto intervalo de tempo, e concluíram que ela foi maior do que a de países que já agonizam há 4 meses, como Itália e Espanha. E a própria matéria deixa claro que a Suécia ainda está longe de se igualar a esses países.

    Eis o que está escrito na reportagem:

    "No entanto, essa maior taxa de mortalidade na Suécia foi verificada apenas na última semana (13-20), com Bélgica, Espanha, Itália, Reino Unido e França ainda à frente em todo o curso da pandemia.[…] Ao longo da pandemia, a Suécia ainda teve menos mortes per capita do que o Reino Unido, Espanha, Itália, Bélgica e França, que optaram por bloqueios rígidos, mas muito acima dos vizinhos nórdicos Dinamarca, Noruega e Finlândia."

    Veja só a canalhice. A própria reportagem refuta o título. O título é só pra lacrar e conseguir likes e compartilhamentos. Mas como não podem mentir, então são obrigados a apresentar os fatos reais na reportagem.

    E tem imbecil que, na ânsia de lacrar, jurando que está numa rede social, solta o título aqui achando que está abafando.
  • WMZ  04/06/2020 22:48
    Casos confirmados por Covid por milhão:

    França: 2323,71
    Alemanha:2181,37
    EUA: 5593,7
    Brasil:2747,54
    Espanha:5140,14
    Finlândia:1247,31
    SUÉCIA:4040,19
    Dinamarca:2032,21
    Noruega:1577,95
    Itália: 3867,5
    Inglaterra:

    Os EUA tiveram um grande número de casos em relação aos países europeus (sistema público de saúde)

    Mas...

    Mortes por Covid-19 por milhão:

    França:444.61*
    Itália:555.74*
    Suécia:449.74*
    Alemanha:102.42
    Inglaterra:585.22*
    Brasil:153.12*
    EUA:323.78 +
    Finlândia:57.94*
    Noruega:43.72*
    Espanha:597.79*
    Dinamarca:100.14*

    A média das porcentagens de população idosa nos países europeus é 20%. A Inglaterra com 18.5 e a Itália com 23%

    15.5% da população americana é idosa

    8% do Brasil

    Até que o sistema de saúde "neoliberal fascista" dos EUA está fazendo um bom trabalho, não acham?

    O país recebeu um número maior de infectados mas esses infectados morreram num menor grau

    Claro que essas minhas estatísticas são extremamente grosseiras mas já servem para dar uma pesquisada

    Ao meu ver, se o "índice saúde" de um país é bom, vai morrer menos gente do total de infectados

    Eu inventei esse "índice saúde": estrutura/por paciente

    A estrutura pode ser péssima mas se tivermos um pequeno número de pacientes, o índice será alto (bom)

    O número de pacientes pode ser elevado mas se tivermos uma estrutura excelente, o índice também será alto

    Só na minha humilde participação, eu já acho que estou fazendo muito melhor do que os blogs mentirosos dos "intelectuais inexoráveis santificados da esquerda"... pelo menos não tentei enganar (nunca façam isso, mesmo se a verdade estiver contra vocês!)


    Fontes
    ourworldindata.org e Wikipedia (idade)
  • Felipe L.  04/06/2020 23:05
    Qual seria a função desses asteriscos?
  • WMZ  04/06/2020 23:07
    Privado +

    Público *
  • Estatístico  04/06/2020 23:05
    E vale também ressaltar que na taxa geral de mortalidade — ou seja, número de mortos por 1.000 habitantes por qualquer causa —, a Suécia está abaixo não só de Dinamarca e Finlândia, como também de todo o resto da Europa, o que mostra que, pelo menos por enquanto, o Corona nem pintou por lá.

    worldpopulationreview.com/countries/death-rate-by-country/
  • WMZ  04/06/2020 23:16
    Eu li a matéria e acho que você aINTERPRETOU errado:

    "De acordo com reportagem do Telegraph, citando dados do site Our World in Data, a Suécia teve 6,08 mortes por milhão de habitantes por dia, em uma média de sete dias, entre 13 e 20 de maio.

    É a taxa mais alta do mundo, acima do Reino Unido, Bélgica e EUA, que têm 5,57, 4,28 e 4,11, respectivamente.

    (...)
    "No entanto, essa maior taxa de mortalidade na Suécia foi verificada apenas na última semana (13-20), com Bélgica, Espanha, Itália, Reino Unido e França ainda à frente em todo o curso da pandemia."
    ------+----------------------------
    Essa foi a do portal Terra e a da Globo está parecida

    O título foi dúbio (típico do jornalismo) mas o conteúdo da matéria está OK


    Eles pegaram a taxa da Suécia DAQUELA SEMANA e comparou ela com a dos demais países europeus...mas foi DAQUELA semana... NADA de errado, exceto com os títulos


  • Johansson  04/06/2020 23:33
    Exatamente o que eu disse. Você apenas repetiu.

    A minha crítica é que o título da matéria não condiz em nada com o conteúdo do mesma.

    Eis o título da matéria:

    "Suécia se torna país com maior mortalidade per capita por Covid-19 e vê 'imunidade de rebanho' ainda distante"

    E o que diz a matéria: pegaram um intervalo de tempo extremamente curto (7 dias), e aí pegaram a mortalidade per capita neste curto intervalo de tempo, e concluíram que ela foi maior do que a de países que já agonizam há 4 meses, como Itália e Espanha. E a própria matéria deixa claro que a Suécia ainda está longe de se igualar a esses países em termos de morte per capita.

    Perceba que a última frase, por si só, já contradiz completamente o título da matéria.

    Se você acha que isso é certo e não significa nada, beleza.
  • WMZ  04/06/2020 23:34
    ***Foi mal Johansson, eu que te interpretei errado Eu fui no comentário do "oglobo" primeiro

    Eles sempre colocam títulos assim
  • anônimo  04/06/2020 22:17
    A mídia lá diz uma coisa, aqui e no resto do mundo pegam uma frase e criam uma narrativa de mea-culpa e arrependimento.

    O jornal sueco, reconhecendo a repercussão, noticia :

    "International media outlets have reported about the interview. British The Guardian writes that "the architect of Sweden's light-touch approach to the coronavirus has acknowledged that the country has had too many deaths from Covid-19". American New York Times, German Die Zeit, Italien La Stampa and Norwegian Aftenposten have also quoted the interview with Tegnell."

    Mas, nas palavras do próprio:

    – I think it was spun pretty hard, Anders Tegnell tells DN.

    E a reportagem enfatiza:

    Anders Tegnell is clear that there are things that would have been done differently if the Public Health Agency had known more about the virus and how it spreads, when they made their first decisions. But at the same time he says that no-one really knew much, and he doesn't believe that a lockdown of society would have been a better solution than the track Sweden chose.



  • Marco Paulo de Souza  04/06/2020 23:04
    Caramba. A desonestidade da mídia é tão gritante que o próprio objeto da matéria tem de vir a público explicar que, na realidade, ele falou o exato oposto do que foi publicado.

    Quando não se pode confiar em mais nada da grande mídia, a sociedade chega a uma encruzilhada decisiva: ou ela se apruma de vez, ou ela se desintegra em uma espiral de desconfiança e desonestidade. E nenhuma sociedade sobrevive a isso.
  • Escolástico  04/06/2020 23:07
    Esse episódio do Coronavirus está exatamente igual à um período de eleições. Pouco importa os fatos contextualizados, o que importa é a propaganda política.

    Os humanistas iluminados não querem saber se estão morrendo mais pessoas por outras causas (já que a maioria dos recursos estão indo pro combate do vírus chinês) ou se os pobres terão que trabalhar 10 anos pra pagar as dívidas absurdas que seus governos contraíram por esses 6 meses. O que importa é quantas pessoas estão morrendo por Covid, não importa se as mortes totais estão dentro de uma variação anual normal. Dane-se a economia pelos próximos 10 anos e as mortes indiretas que isso gerará, o que importa é LACRAR.

    Não a toa, a democracia é incompatível com enriquecimento da população.
  • anônimo  04/06/2020 23:35
    e a midia em polvorosa com a PL sobre fake news porque estao doidinhos pra receber um carimbo de "informacao legitima" dos burocratas de brasilia , assim pode manipular a informacao protegida pelo sistema que ela mesma deveria denunciar
    e pra ajudar a populacao em geral mal tem capacidade interpretar textos, quanto menos pesquisar fontes e verificar informaçoes . ler a sessao de comentarios de grandes portais me da cancer de tao enorme que eh a incapacidade das pessoas de analisar fatos de maneira razoavel e independente , quase tudo ta na linha do "nao li o artigo mas deixa eu te dizer o que sinto sobre o titulo / banner"
  • WDA  06/06/2020 17:29
    "Por isso que o Estado tem que agir. Os indivíduos só fazem m... "

    Diz um indivíduo falando merda...

    E quem tomaria a decisão em nome do Estado? Um indivíduo... para fazer merda! Ou mais indivíduos... para fazer mais merda!!

    Estou certo de que "os indivíduos" nem sempre fazem merda. Mas isso o sr. "O Estado salvando o povo" fez bastante, ao escrever merda por aqui...

  • Fabrício  04/06/2020 20:31
    Infectologista sueco diz que lockdowns não têm base científica

    www.gazetadopovo.com.br/ideias/infectologista-sueco-diz-que-lockdowns-nao-tem-base-cientifica/
  • Rene Kultz  04/06/2020 20:42
    Os burocratas do governo tomam estas decisões estúpidas porque não existe consequências negativas para eles. Eles nem precisam se explicar pela destruição da economia causada por uma medida que não funciona. Seus salários gordos continuam caindo na conta, seus seguranças continuarão trabalhando, e eles continuarão sendo tratados como "vossa excelência". E ainda vão ter a cara de pau para falar à população: Viu só, salvamos milhões de vidas. Agora nos dêem mais dinheiro e calem a boca.
  • Ulysses  04/06/2020 22:30
    As atuais mortes em São Paulo foram consequência do rodízio criminoso do Bruno Covas feito há três semanas, que lotou ônibus e metrô de forma ainda mais intensa que em dias normais.

    O rodízio foi absurdamente criminoso. Mas como quem fez foram dois queridíssimos da mídia (o outro é o Dória), tudo ficou totalmente impune e ninguém na mídia sequer tem coragem de fazer essa correlação. E pra quê? No final, é só jogar no colo do Bolsonaro. Facílimo.
  • Pérsio  12/06/2020 11:04
    Prezados,

    Há poucos dias, o Kassab defendeu o SUS e condenou o Estado mínimo. Ele poderia ter se poupado desse vexame, pois há países que não têm sistema público e universal de saúde - e funciona!

    assistentedeviagem.com.br/blog/alguns-paises-onde-nao-ha-atendimento-medico-publico/
    Do site:
    "Holanda: neste país pagar um plano de saúde é obrigatório. Esta espécie de seguro-imposto deve ser observada mensalmente pelos holandeses e estrangeiros residentes. Embora não exista uma assistência médica universal, o governo considera que se cada cidadão pagar o seguro todos terão acesso à saúde. Deixando de lado a retórica, na prática é o equivalente ao modelo de plano de saúde que conhecemos no Brasil. Com a diferença de ser mandatório a sua contratação, mesmo que através de um plano mais básico."
    Enquanto isso, no Brasil, denúncias sobre incompetência e mau uso de recursos no SUS são quase que semanais.
    Lamentável.
  • anônimo  04/06/2020 21:13
    Mal posso esperar quando sair o balanço anual de mortes dos países. Todos irão perceber que o aumento de mortes de 2019 para 2020 foi totalmente dentro de uma taxa normal esperada. Quero só ver onde os governos enfiarão a cara.

    en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Brazil#Births_and_deaths
  • Pedro  04/06/2020 21:53
    Mas isso é salvar vidas, dado que sem uma ação governamental a Covid mataria muito mais do que matou, fazendo a taxa de crescimento crescer muito acima do "normal"
  • Garcia  04/06/2020 22:08
    O artigo passou a primeira metade inteira mostrando dados empíricos que comprovam que esse seu achismo é errado, e você simplesmente repete o mesmo clichê de sempre? Não leu?

    Aliás, como é que você sabe que seria assim? Nunca houve nenhum experimento empírico comprovando isso. Nada. Apresente um paper acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, duplo-cego, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT), demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia, inclusive mostrando que tal prática garante imunidade para a população no eventual retorno da epidemia no inverno.
  • Fabrício  04/06/2020 22:11
    A prática mostra exatamente o contrário. É onde há mais confinamento que há mais mortes. Nos EUA, a coisa está explosiva é em Nova York, exatamente o estado e a cidade mais fechados do país.

    O próprio governador do estado de Nova York veio a público se dizer "estupefato" por ter descoberto que 84% dos hospitalizados com covid-19 estavam cumprindo a quarentena horizontal (66% em casa e 18% em asilos), a mesma quarentena que os ignaros juram ser a salvação.

    www.cnbc.com/2020/05/06/ny-gov-cuomo-says-its-shocking-most-new-coronavirus-hospitalizations-are-people-staying-home.html

    Vídeo: twitter.com/RFGlau/status/1258210415353438215

    Frase governador de NY:

    "We thought maybe they were taking public transportation, and we've taken special precautions on public transportation, but actually no, because these people were literally at home"


    Ou seja, o contágio se dá em casa, ou no máximo em lugares fechados. Não na rua.
  • anônimo  05/06/2020 00:52
    Na verdade, segundo o gráfico da própria reportagem, em Nova York, 88% dos mortos eram idosos vivendo em casa, em asilos e em casas de repouso.

    Já as contaminações de pessoas que estavam realmente circulando pela cidade não chegaram nem a 8%.

    Zoaram e censuraram Osmar Terra, mas ao menos em NY aconteceu exatamente como ele disse que seria.
  • Carlos Alberto  04/06/2020 22:01
    Apesar do Covid-19, Brasil registra menos mortes comparado ao mesmo período de 2019

    gazetabrasil.com.br/brasil/apesar-do-covid-19-brasil-registra-menos-mortes-comparado-ao-mesmo-periodo-de-2019
  • João  08/06/2020 23:03
    Anônimo, na minha opinião, apenas a Itália terá um aumento de mortos significativo (fora da curva) por ter uma população mais velha. Pra ter uma ideia, em apenas 2 anos o número de mortos anual nos EUA foram 100.000 a mais.

    Essa é a minha aposta, mas vamos ver o que vem por aí. Não dá pra saber ainda.

    en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Spain#Statistics_since_1900

    en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Italy#Vital_statistics_since_1900

    en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_the_United_States#Vital_statistics

    en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Sweden#Vital_statistics_since_1900

    en.wikipedia.org/wiki/Demography_of_the_United_Kingdom#Vital_statistics_(1900–2018)

    No Brasil da última década, de um ano pro outro, já chegou aumentar 45.000 mortos de um ano pro outro (de 2015 pra 2016).
  • Felipe L.  04/06/2020 21:57
    O pior é que teve pessoa se dizendo liberal, falando que a crise de agora é culpa exclusivamente do SARS-CoV-2, como se agora um vírus pouco letal tivesse capacidade de destruição maior que anos de petismo.

    Vocês já pensaram se em 1918, num mundo parcialmente destruído pela Primeira Guerra Mundial, com a Gripe Espanhola, condições medonhas de higiene e pobreza extrema, tivéssemos políticos e burocratas mundo afora ordenando fechamentos e quarentenas? A destruição econômica seria pior que a soma da Crise de 1929 e a Segunda Guerra Mundial.

    Incalculável o nível de corrosão moral, social e econômica que teremos com essas proibições. Pense nas brigas de família, abuso infantil, depressão, ansiedade, suicídios, destruição de capital, desperdício de tempo, entre muitas outras coisas.
  • Caio  04/06/2020 22:06
    O mundo voltaria à Idade Média, sem dúvidas.
  • Felipe L.  04/06/2020 22:34
    Não tem como lembrar disso.
  • Régis  04/06/2020 22:14
    Estão por fora. Quarentena e lockdown já acabaram. Isso era até ontem. Hoje, as ordens dadas pela própria mídia é pra todo mundo ir pra rua lutar contra o "racismo" e o "fascismo".

    Do nada o vírus morreu. Quase não se fala mais disso.
  • Vladimir  04/06/2020 22:26
    Mas é cientificamente comprovado: o vírus não se propaga em aglomerações de pessoas de esquerda que saem quebrando tudo. Apenas em reunião de pessoas que defendem mais liberdade.
  • Guilherme  04/06/2020 22:41
    Correto. O #FiqueEmCasa já virou #VáPraRua há um bom tempo. E sem nenhuma explicação da mídia para essa abrupta mudança de postura.

    E ainda há quem continue achando que não tem nada de mais nesse esquema criminoso de lockdown. Querem de todo jeito causar uma revolução social. Se não foi pelo vírus e pela fome, será pela pancadaria.
  • Fabrício  04/06/2020 23:16
    A diretora da agência de saúde pública da Noruega, Camilla Stoltenberg, disse que as quarentenas não foram necessárias para conter a disseminação do COVID-19.

    www.spectator.co.uk/article/norway-health-chief-lockdown-was-not-needed-to-tame-covid

    "Nossa avaliação agora, e acho que há um amplo consenso em relação à reabertura, é que provavelmente seria possível obter o mesmo efeito – e evitar parte das consequências lastimáveis – se não tivéssemos fechado, e, em vez disso, ter permanecido aberto com precauções para impedir a disseminação."

    Segundo elas, as evidências sugerem que o distanciamento social pode ser alcançado sem as quarentenas. Foi exatamente isso que a Suécia fez.
  • Fabrício  04/06/2020 23:22
    A Suécia praticou o distanciamento social, que é exatamente o certo a ser feito. Os cidadãos foram incentivados a se comportar com responsabilidade. Como não fizeram intervenções tão intrusivas (e prejudiciais) quanto seus vizinhos, isso permitiu que a maioria dos aspectos da vida diária continuasse.

    Lamentavelmente, o sistema de saúde do país é estatal. Sendo estatal, é uma bosta. Por isso, vários idosos (a quase totalidade das vítimas) morreram.
  • Eduardo  05/06/2020 00:18
    Mas quarentena não é justamente uma distância social maior? O autor fala q a Suécia se saiu muito pior que os países nórdicos, mas se saiu melhor que Italia e Espanha, então por que a conclusão é de que quarentena não funciona? Existem estudos preliminares que apontam conclusões pros dois lados. Quarentena é apenas uma entre muitas variáveis que alteram a taxa de mortalidade. Podemos concordar que quarentena deveria ser voluntária, mas dizer que não funciona é , no mínimo, irresponsável.
  • Fabrício  05/06/2020 00:48
    Itália e Espanha fizeram lockdown. Todo mundo proibido de sair.

    Quarentena é todo ficar umas duas semanas de resguardo, e com vários estabelecimentos fechados.

    E distanciamento social é vida normal, com apenas as pessoas evitando se abraçar, se beijar, se cumprimentar. Se usar máscaras e luvas, melhor ainda. Esse foi o caso da Suécia.

    Qual exatamente é a sua dúvida?

    Como você mesmo disse, existem estudos que apontam conclusões para os dois lados. E o que o artigo disse? Estatísticos não conseguem encontrar nenhuma diferença de excesso de mortalidade entre os países que se trancaram e os que não.

    Bingo.
  • Imperion  05/06/2020 01:26
    Isso não e quarentena.
    Quarentena é fazer testes de doença e achando alguma contagiosa, se "isola" a pessoa pra ela nao contaminar os outro.
    Mandar pra casa ,pra contaminar parentes e vizinhos não é quarentena . Apenas se escolheu onde os doentes ficariam, e quem se contaminaria.
    Agora descobriram que os nova yorquinos em casa se contaminaram mesmo assim .
    Um monte de gente amontoado em prédios. Isso é propicio a propagação fechada. Nem uma campamhazinha pra desinfecção de predios e uso de.metodos de.desinfeccao de ar foi feito .
    Nao houve ampla testagem.
  • anônimo  04/06/2020 23:46
    g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/06/04/the-lancet-publica-nota-de-retratacao-sobre-estudo-com-cloroquina-e-hidroxicloroquina-para-covid-19.ghtml

    Lembram do super estudo condenando a Hidroxicloroquina? Despublicado.

  • Vargão  05/06/2020 00:56
    Baniram o remédio só por birra ideológica. Ideologia e lobby. Mas como ficou muito evidente, tiveram agora de voltar atrás pra não dar muito na cara.

    Já se sabe desde 2005 a eficácia do protocolo da Cloroquina contra a família Coronavírus, mas os CANALHAS preferiram politizar um remédio que existe há 70 anos. www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1232869/
  • Cristiano  05/06/2020 00:58
    Em 2016 a Globo afirmou que a cloroquina não só combatia a Zika como também era inofensiva até mesmo para mulheres grávidas.



    Como as coisas mudaram...

    Sim, já está bastante claro que a mídia, por pura ideologia, se posicionou contra e, por isso, está matando gente. E agora até a bosta do STF quer proibir o uso. Mas o pior é ver frouxos como Manetta e Teich que, por puro medo da mídia, não querem ir contra nada do que ela diga.
  • Fabrício  05/06/2020 01:03
    É incompreensível essa súbita perseguição. Realmente, só pode ser por ideologia. O remédio sempre foi liberado. Compra-se na farmácia sem receita. Quem viaja para a Amazônia tem de tomar preventivamente.

    É óbvio que não é pra ficar se entupindo, pois, se tomar ao longo de anos, aí sim há efeitos colaterais (como com qualquer remédio).

    Mandetta não adotou o protocolo. Teich também não. Os números só pioraram. Tempo perdido. Tudo por ideologia. Junto com a mídia, deveriam ser responsabilizados por homicídio em massa.
  • Felipe L.  05/06/2020 01:30
    Essa parte da hidroxicloroquina é a única que eu ainda não sei ao certo. Vi esse vídeo, o que me deixou cético até. Vai entender o motivo de a OMS ter tirado os testes e depois voltado. Muito estranho.
  • Engenheiro e Economista  05/06/2020 03:28
    Uma vergonha a OMS ter banido estudos com a medicação, mesmo que não houvesse tido essa despublicação.
    Porque parar os estudos? Qual o beneficio de se parar qualquer estudo no atual momento?
    Ainda por cima, agora essa vergonha do estudo ser despublicado, escancarando o viés ideologico da utilização de um remedio.

    Pode ser que o remedio ajude...pode ser que nao....mas o que não pode é, no meio de tantas incertezas por conta de um virus novíssimo, parar os estudos!!!!
  • Felipe L.  05/06/2020 03:31
    O que exatamente mudaria com a adoção de protocolo com a hidroxicloroquina? Agora parece que estão adorando. Antes os pacientes não podiam usar o medicamento?
  • Julio  05/06/2020 14:14
    Mas qual o ponto de vcs? A globo foi contra a cloroquina e eu ignorei solenemente.
    Se ficar doente eu vou tomar.

    A globo e a midia tradicional agora não podem falar o que eles quiserem? Vamos defender agora a censura da Globo?
    Todo mundo é grandinho o suficiente pra analisar as informações e fazerem suas escolhas.
    Querer culpar a mídia agora pelas mortes decorrentes do não uso da cloroquina é covardia.
    Idem aos estudos. Cada um publica o que bem entender e cabe a quem consumir o conteudo se certificar.
    Jamais me informaria pela globo, por exemplo, ou por estudos desses globalsitas
  • Daniel Cláudio  05/06/2020 15:55
    Concordo com você. Mas veja a ironia das coisas:

    1) Isso que a imprensa fez foi fake news total.

    2) Pessoas que poderia ser salvas, morreram em decorrência disso.

    3) Não houve nem sequer uma mísera crítica a isso.

    4) Ninguém está falando em punir a mídia por essa fake news.

    5) No entanto, essa mesma mídia é a principal agitadora de leis para prender quem fala alguma coisa que a desagrade no Facebook e no Twitter.

    Se você não percebeu esse esquema diabólico, nada posso fazer.
  • Eduardo  05/06/2020 13:12
    Eu trabalho num Cti para atender pacientes com covid. Posso te garantir que nenhum médico segue a cartilha do governo. Quem quiser usar a cloroquina para tratar seus pacientes, é livre. Mas o uso vem diminuindo pois não há estudo mostrando evidências. Nossa estatística interna não mostrou diferença de mortalidade e o número de arritmias malignas (efeito colateral da droga) aumentou. Parece que a droga não funciona para Covid
  • Didier Raoult  05/06/2020 13:57
    Espanta-me um médico dizer isso (muito embora eu tenho certeza de que você não é médico, mas apenas fake).

    Hidroxicloroquina mais azitromicina mais zinco têm efeitos benéficos comprovados (com quase 100% de sucesso) DESDE QUE sejam ministrados nos primeiros dois dias de sintoma.

    Após isso, não adianta mais.

    Quando o paciente chega ao CTI, não há mais o que fazer. Pode enfiar cloroquina o quanto quiser. Não vai adiantar.

    Ao propagar essa desinformação, você presta um grande desserviço à sua classe.
  • Eduardo  06/06/2020 01:45
    Assim como vc tem certeza q não sou médico, vc tem certeza que cloroquina com azitro e zinco funcionam. Mas não fiz meus comentários para serem lidos por quem tem certeza de tudo e sim, para quem quer talvez aprender ou trocar informações.
  • Mais Mises...  10/06/2020 03:56
    Então, eu posso te atestar que a HCQ associada à AZT e ao Zinco são úteis, mas em fases iniciais. Você já ouviu isso, só está omitindo isso aqui. Nos 3 hospitais nos quais trabalho as UTI's, que chegaram a ter 50% de lotação, após adotado o protocolo ainda na fase ambulatorial, com paciente sintomático nos primeiros dias, eles pararam de 'evoluir' e, no máximo, o que tínhamos eram pacientes internados sem a necessidade da entubação. Desde abril, as UTI's desses hospitais que trabalho trabalham com 1/3 ou até menos pacientes em estados mais graves. Colegas intensivistas que não tinham lá muita crença no medicamento, deram o braço a torcer e entendem no mínimo que, pode não ter sido o tratamento farmacológico dito acima que provocou a melhora dos pacientes, mas então, é muita coincidência. Vai saber...
  • Roberto Motta  05/06/2020 13:46
    Você viu alguma manchete da grande mídia sobre a fraude do estudo anticloroquina?

    Você viu algum repórter lamentando a morte de milhares de pessoas por não terem tomado o remédio?

    Você viu alguma "formadora de opinião" pedir desculpas ao Helio Beltrão pelas ofensas?

    Nem eu.

    Você viu algum veículo de imprensa admitir que Bolsonaro tinha razão, que Trump tinha razão, e que o consenso esquerdista radical que domina a mídia agora tem em suas mãos a responsabilidade pela pior FAKE NEWS de todas - aquela que mata as pessoas?

    O estudo anticloroquina era FRAUDE.
    ISSO DEVERIA SER MANCHETE EM TODOS OS JORNAIS.

    ISSO DEVERIA PROVOCAR REVOLTA.

    Mas estão todos anestesiados, combatendo um fascismo imaginário, criado por radicais ideológicos, enquanto nossos empregos, empresas e cidades são destruídas.
  • Didier Raoult  05/06/2020 14:09
    Hidroxicloroquina mais azitromicina mais zinco têm efeitos benéficos comprovados (com quase 100% de sucesso) DESDE QUE sejam ministrados nos primeiros três dias de sintoma.

    Após isso, não adianta mais.

    Como o establishment médico não quis perder a boquinha, e como a mídia não queria que o vírus fosse embora (pois sua audiência com a catástrofe está nas nuvens), esconderam a informação do povo.

    É criminoso? Totalmente. Mas, infelizmente, é do jogo político.

    Isso apenas reforça a importância de haver cada vez mais descentralização de informações. Quem se informa já conseguiu o Reuquinol. E tem muita chance de se salvar. Já os que confiaram na grande mídia e no establishment médio estão indo para a cova. Infelizmente.
  • Guilherme  05/06/2020 01:06
    "E isso sem contar a carnificina causada pelo fato de os hospitais terem suspendido tratamentos de rotina, diagnósticos de câncer e cirurgias eletivas."

    [b]Hospitais do Paraná demitem 20% dos funcionários; Einstein e Sírio-Libanês cortam salários[/i]

    Os hospitais e clínicas privados e filantrópicos do Paraná já começaram a demitir funcionários por causa da crise do coronavírus — que reduziu em até 50% a ocupação de leitos e também prejudicou os atendimentos clínicos, que caíram 60% desde abril. Segundo o presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do Paraná (Fehospar), Rangel Silva, a queda de faturamento chegou a 60% e, se os governos não ajudarem, vários hospitais do Estado irão à falência.

    "Pelo menos 20% dos funcionários do setor no Paraná, em hospitais, clínicas e consultórios, já foram demitidos ou tiveram o contrato suspenso e se nada for feito haverá mais demissões", afirma ele.

    www.bemparana.com.br/noticia/hospitais-e-clinicas-do-parana-ja-demitiram-20-dos-funcionarios

    www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/05/einstein-e-sirio-libanes-fazem-corte-de-salarios.shtml


    Tanto nos EUA quanto no Brasil, tá cheio de hospital quebrando. Motivo? Falta de pacientes (exames de rotina sendo postergados impedindo o diagnóstico precoce de doenças graves e tratamento de doenças graves sendo postergados para dar lugar ao combate ao corona).

    gauchazh.clicrbs.com.br/coronavirus-servico/noticia/2020/04/hospital-de-novo-hamburgo-demite-132-trabalhadores-ck99988kl00yt017nid4s80cn.html
  • Carlos Alberto  05/06/2020 01:17
    Esperto mesmo é o Ferguson. Criou um modelo tosco (disse que iriam morrer 200 mil no Reino Unido; apontaram um erro, e o gaiato reduziu pra 20 mil), trancou todo mundo em casa, e ele próprio saiu e foi comer a mulher dos outros.

    Exclusive: Government scientist Neil Ferguson resigns after breaking lockdown rules to meet his married lover

    E detalhe: ele próprio tinha sido diagnosticado com coronavírus, e mesmo assim saiu de casa pra infectar a amante casada (o que significa que ela pode ter contaminado o marido).

    Enquanto o resto do mundo definha porque políticos imbecis adotaram as políticas sugeridas por esse espertalhão, ele próprio não está nem aí para elas, não acredita nelas, e ainda sai por aí lépido e fogoso, comendo e contaminando a mulher dos outros.
  • Sr. Bovino Gadoso  05/06/2020 03:59
    Aííímmm

    A culpa é toda da China, o nosso país está quebrado por causa da China.

    O vírus foi fabricado em laboratório para quebrar o mundo e a China comprar todas a ações a preço de capim.

    Vamos cortar relações com a China, não vamos mais vender comida para eles, para que eles morram de fome.

    Não compre mais nada que seja fabricado na China.

    Múúúú!! Cadê o meu capim ?. Esses chineses me roubaram... roubaram meu capim...

    Múúúú

  • Engenheiro e Economista  05/06/2020 04:35
    E nas redes socias os lacradores de plantão postando que:.. "se os brasileiros respeitassem a quarentena e não saíssem de casa, tudo já tinha acabado".....

    Mas, a quarentena não é justamente para prolongar o tempo de contaminação da população, para, supostamente, diminuir o pico de contaminações diárias??

    Ou seja, se os brasileiros não estão respeitando a quarentena, como sugerido por esses posts, na verdade, a transmissibilidade do virus estaria mais avançada e portanto, a curva de contaminação estaria menos achatada e consumindo menos tempo para atingir o pico......
    É justamente o contrário do que tentar lacrar esses posts!!!!!!!!!

    Por outro lado, se eles acham que está demorando o tempo para atingimento do pico...é justamente porque o isolamento está funcionando e os brasileiros:,... ou estão respeitando, ou então, não faz diferença respeita-lo ou não......

    É cada coisa sem logica que se vê nessa questão.....
  • Pedreiro e administrador  07/06/2020 16:17
    Na verdade há meias verdades no seu raciocínio.
    Eh verdade que o intuito da quarentena eh achatar a curva e prolongar o tempo de contaminação, seja para desentupir os hospitais ou pros cientistas desenvolverem uma vacina, tratamento ou prática no cuidado da doença.

    Quando se diz que o brasileiro não respeita a quarenta e ela está se prolongando eh pq a falta de respeito leva por parte de quem está respeitando uma sensação de não funcionamento da quarentena. Se fosse pra um extremo em que os humanos conseguissem hibernar e ficar um mês sem contato com ninguém de hoje em fonte,essa "quarentena" acabaria em um mês e as pessoas poderiam voltar a circular logo em seguida.

    O problema todo eh que a falta de respeito no Brasil faz com que ainda estejamos na fase ascendente da curva, o que eh problemático.
    A liberação gradual deve se dar na fase descendente da curva, pois a liberação tenderá a aumentar os casos novamente.

    Todo país do mundo conseguiu resultados após 50 dias de quarentena, só num país com um líder nega a existência de doença, recomenda remédio não comprovado pra doença que ele diz não existir e que está sem ministro da saúde há uns 15 dias e já trocou de ministro mais de 2 vezes na pandemia, que tem militares incompetentes filando uma boquinha no ministério, que tem reunião ministerial em que menos de 5% da mesma trata do maior desafio do milênio por parte do país e que cria espantalhos comunistas pra poder gerar ininterrupta tensão na sociedade, só neste abençoado país eh que a quarentena não funciona.
    Realmente, esse mundo não tem lógica
  • Engenheiro e Economista  08/06/2020 04:42
    "Na verdade há meias verdades no seu raciocínio. Eh verdade que o intuito da quarentena eh achatar a curva e prolongar o tempo de contaminação, seja para desentupir os hospitais ou pros cientistas desenvolverem uma vacina, tratamento ou prática no cuidado da doença. "

    Aqui você está modificando a justificativa original de adoção de lockdown para a espera da ciência descobrir uma vacina ou uma cura para a doença.
    No entanto, jamais havia sido essa a justificativa para sua adoção, e sim "evitar que a quantidade de doentes que precisam de atendimento seja maior que a capacidade de sistemas de saúde. "

    O que parece ter acontecido é que, como os resultados da adoção desse isolamento se mostraram, para dizer o mínimo, irregulares e com eficácia aquém do esperado, as autoridades ao invés de reconhecerem que o comportamento do ciclo de contaminação pelo vírus não foi suficientemente alterado pelo isolamento, eles ampliaram o espectro de desculpas para sua adoção.

    Entre essas desculpas incluíram essa da vacina. Ora, no início, o prazo otimista para uma vacina era de 18 meses. Como ninguém se atreveria a sugerir lockdown por tanto tempo, até porque não teria o menor sentido, essa desculpa jamais havia sido utilizada.

    Mas, incrivelmente, passou-se a entender que se deve adotar o isolamento porque poderia dar tempo de produzirem uma vacina em um tempo menor. Só que esse tempo menor é no mínimo, o fim do ano!! Vamos ficar isolados até o fim do ano?

    Claro que não é isso. É só mais uma desculpa a ser utilizado pelos defensores dessa atitude.

    "Quando se diz que o brasileiro não respeita a quarenta e ela está se prolongando eh pq a falta de respeito leva por parte de quem está respeitando uma sensação de não funcionamento da quarentena. "

    O suposto brasileiro que não respeita a quarentena poderia ser os que saem de casa para produzir: energia; água potável; alimentos; plásticos; canetas; remédios; peças de reposição para as máquinas, serviços de saúde; bens para embalagens; serviços de saúde, limpeza, segurança; profissionais de telecomunicações; borracha; metal; cimento; etc... ou mesmo, os que querem tomar sol e pegar vitamina D?.. Seriam esses os desrespeitosos? Se os forem, eles não são exclusividade dos brasileiros. Todos os países têm esses supostos desrespeitosos.

    Prolongar a quarentena .......

    Vamos lembrar a razão especificada para adota-la: supostamente a quarentena server para prolongar o tempo que o vírus leva para contagiar a população, diminuindo o número máximo de pessoas contagias por dia, ou seja, diminuindo o valor do "pico".

    Existem milhares de sites que explicam isso. ""Achatar a curva" significa desacelerar a disseminação do vírus para que o número de casos se espalhe ao longo do tempo em vez de haver picos no início."

    Sendo assim, se o tempo que está levando para se atingir esse "pico" está mais prolongado, a quarentena está alcançando seu resultando. E não o oposto.

    Sua tese de que o brasileiro tem a "sensação de não funcionamento da quarentena" parte do pressuposto que o brasileiro não entendeu a razão de se adota-la.

    Desrespeitar a quarentena deveria ter o efeito oposto, ou seja, um tempo menor para atingimento do pico., o qual teria um valor maior do que o ocasionado por uma quarentena super bem feita, com o prolongamento do tempo de contágio se estendo ao máximo.

    "Se fosse pra um extremo em que os humanos conseguissem hibernar e ficar um mês sem contato com ninguém de hoje em fonte,essa "quarentena" acabaria em um mês e as pessoas poderiam voltar a circular logo em seguida. "

    Aqui sim temos um raciocínio com meia verdade.

    Claro que uma quarentena total, sem ninguém sair na rua, ninguém mesmo, os atuais infectados ou se curariam ou morreriam, mas não infectariam mais ninguém. No entanto, não haveria produção alguma, nem de alimentos, nem de água, nem de saúde, nem do mínimo para sobrevivência.

    Sem a produção dessas coisas, todos, ABSOLUTAMENTE TODOS, morreríamos. Não haveria a hipótese de voltar a circular.

    Isso, ao invés de ser usado para um argumento a favor da adoção de lock down, deveria ascender um alerta as pessoas de que isolamento social não parece uma solução promissora.

    "O problema todo eh que a falta de respeito no Brasil faz com que ainda estejamos na fase ascendente da curva, o que eh problemático. [i]

    Simplesmente não faz sentido isso. Justamente porque a suposta falta de respeito das pessoas no Brasil à quarentena, segundo a teoria utilizada para sua adoção, deveria fazer com que mais rapidamente atingíamos a fase ascendente da curva, e não mais lentamente. Totalmente incoerente seu argumento.

    [i]A liberação gradual deve se dar na fase descendente da curva, pois a liberação tenderá a aumentar os casos novamente. "


    Tudo bem que "liberação gradual" em fase descendente da curva possa ser uma estratégia a ser adota. Sem entrar no mérito dessa estratégia, e seguindo seu raciocínio de que isolamento social funciona, uma quarentena muito bem feita, irá achatar a curva de tal maneira, que o pico não seria atingindo em 2 ou 3 meses, como as curvas de contaminação de lugares de onde não se tenha adotado quarentena, mas, digamos leve 10 a 12 meses para atingimento desse pico.

    Seria uma quarentena super bem feita.

    Bem, aí a fase descendente, aconteceria depois de 1 ano. Aí sim, poderia haver uma liberação gradual.
    Essa seria sua ideia para salvar o mundo do vírus? Um ano de todos parados? Será que as pessoas não passariam a morrer de fome, diante de tanto tempo parado? Não dá para desconfiar dessa solução também?

    "Todo país do mundo conseguiu resultados após 50 dias de quarentena,

    Há países que conseguiriam esse mesmo resultado sem adotar quarentena. Portanto, não é uma inferência que se possa concluir diretamente.
    Se eu fosse você, esperaria mais dados de outros países para garantir essa sua conclusão.

    só num país com um líder nega a existência de doença, recomenda remédio não comprovado pra doença que ele diz não existir e que está sem ministro da saúde há uns 15 dias e já trocou de ministro mais de 2 vezes na pandemia, que tem militares incompetentes filando uma boquinha no ministério, que tem reunião ministerial em que menos de 5% da mesma trata do maior desafio do milênio por parte do país e que cria espantalhos comunistas pra poder gerar ininterrupta tensão na sociedade, só neste abençoado país eh que a quarentena não funciona.
    Realmente, esse mundo não tem lógica


    Aqui descobre-se o porque de tanta falta de raciocínio logico de sua parte. É ódio pelo governo atual.
    Não vou comentar essa questão porque foge ao debatido nesse artigo.

    No entanto, se quiser continuar debatendo a questão, pode responder no meu comentário a esse outro artigo... Ele começa com "1) A macroquestão da adoção do isolamento".
  • Engenheiro e Economista  12/06/2020 16:39
    Estou perdendo as esperanças do {b]Pedreiro e Administrador[/b] continuar debatendo comigo......
    Quem sabe agora...relembrando-o do tema..
  • jo%C3%83%C2%A3o  05/06/2020 09:07
    H1n1 teve medidas bem mais rápida prolongamento das férias escolares até a vacina sair , uso rápido de tmiflu etc, a economia saiu , uso de máscara na s primeiras semanas.. A economia teve algumas mudanças se reorganizou on line em 2009/ 2010 .
  • Eduardo  05/06/2020 12:34
    "Itália e Espanha fizeram lockdown. Todo mundo proibido de sair."

    No início não fizeram e houve superlotação de CTIs, aí implementaram o lockdown e o número de infectados baixou. Olhe a cronologia.

    "Quarentena é todo ficar umas duas semanas de resguardo, e com vários estabelecimentos fechados.

    E distanciamento social é vida normal, com apenas as pessoas evitando se abraçar, se beijar, se cumprimentar. Se usar máscaras e luvas, melhor ainda. Esse foi o caso da Suécia.

    Qual exatamente é a sua dúvida?"

    Minha dúvida é: se você acha que distanciamento funciona, então lockdown deveria funcionar muito melhor na prevenção da transmissão, não?

    "Como você mesmo disse, existem estudos que apontam conclusões para os dois lados. E o que o artigo disse? Estatísticos não conseguem encontrar nenhuma diferença de excesso de mortalidade entre os países que se trancaram e os que não."

    Não. O autor do artigo diz claramente que lockdown não altera o número de mortos nesse trecho:

    "Com efeito, após quatro meses de pandemia mundial, já há evidências concretas de que o lockdown não altera o número de mortos per capita."

    Ou as estatísticas encontraram as diferenças ou não encontraram.

    "Bingo."

    Acho que não
  • Fabrício  05/06/2020 14:08
    "No início não fizeram e houve superlotação de CTIs, aí implementaram o lockdown e o número de infectados baixou. Olhe a cronologia."

    Olhei. E não bate com o que você falou.

    A Itália se fechou em fevereiro. A curva subiu forte em março e na primeira quinzena de abril. Só começou a desacelerar no final de abril, mais de dois meses depois do lockdown.

    Eis a curva (clique em 1Y para ter um intervalo de tempo de um ano):

    tradingeconomics.com/italy/coronavirus-cases

    "Minha dúvida é: se você acha que distanciamento funciona, então lockdown deveria funcionar muito melhor na prevenção da transmissão, não?"

    Não. Se você tranca todo mundo em casa, além de os contágios continuarem normalmente (algo já empiricamente comprovado), as pessoas não desenvolvem imunidade, o que é pior ainda.
    Ficar trancado em casa sem luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D simplesmente piora sua imunidade.

    Assim que você sair à rua, começa uma segunda onda, e você será inevitavelmente contaminado.

    Já quem está saindo à rua desde já está adquirindo imunidade.

    População confinada em casa não adquire nem imunidade, nem anticorpos e nem vitamina D. Tão logo a pessoa sai do confinamento, queda enferma. Essa política de confinamento total (isolamento horizontal) pode até parecer boa no início (embora nem sequer acelere o achatamento da curva), mas é suicida no longo prazo.

    Por outro lado, se não fosse o confinamento, a populaça já teria atingido a imunidade de rebanho e já estaria pronta.

    Todos os países que adotaram confinamento (Itália, Espanha, França e, agora, EUA) se estreparam. Todos os que não adotaram se deram bem (Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong, Cingapura, Alemanha, Holanda).

    Mas é absolutamente proibido falar disso.

    "Não. O autor do artigo diz claramente que lockdown não altera o número de mortos nesse trecho: "Com efeito, após quatro meses de pandemia mundial, já há evidências concretas de que o lockdown não altera o número de mortos per capita.""

    Aí ele errou. Empiricamente, países que fizeram lockdown tiveram muito mais mortes que os que não fizeram.

    Fazer o quê? Lamento que muitos não aceitem essa obviedade — pois fere a narrativa convencional.


    P.S.: da próxima vez, coloque sua resposta a mim no lugar exato. Você saiu completamente da thread.
  • Paulo  05/06/2020 14:26
    Os numeros de casos demoram um tempo para cair após as medidas pois existe uma janela entre os recem infectados e os resultados dos testes. Não vão cair 1 dia depois de adotar medidas.
    Não há nenhuma comprovação que os contagios continuam em casa, apenas uma fake news distorcida

    A fake diz
    ''Em Nova York, 66% das pessoas que ficaram em casa pegaram coronavirus".

    O que a informação queria dizer;;

    66% dos infectados moravam em uma casa (e não no hotel, em barraca, etc). É muito diferente.

    Esperava mais daqui
  • Fabrício  05/06/2020 15:49
    "Os números de casos demoram um tempo para cair após as medidas pois existe uma janela entre os recem infectados e os resultados dos testes. Não vão cair 1 dia depois de adotar medidas."

    Ninguém falou em um dia. Mas os "especialistas" diziam duas semanas.

    Pois bem: a Itália se fechou em fevereiro. Mas a curva de contágio subiu forte em março e na primeira quinzena de abril. Só começou a desacelerar no final de abril, mais de dois meses depois do lockdown.

    Eis a curva (clique em 1Y para ter um intervalo de tempo de um ano):

    tradingeconomics.com/italy/coronavirus-cases

    "Não há nenhuma comprovação que os contagios continuam em casa, apenas uma fake news distorcida. A fake diz: ''Em Nova York, 66% das pessoas que ficaram em casa pegaram coronavirus". O que a informação queria dizer: 66% dos infectados moravam em uma casa (e não no hotel, em barraca, etc). É muito diferente."

    Não sei de onde você tirou essa merda. Deve ser interpretação própria, só pode. A perfeita definição da pós-verdade.

    Eis o que diz a notícia, com a própria participação do governador do estado de Nova York:

    "Most new Covid-19 hospitalizations in New York state are from people who were staying home and not venturing much outside, a "shocking" finding, Gov. Andrew Cuomo said Wednesday. […]

    It shows that 66% of new admissions were from people who had largely been sheltering at home. The next highest source of admissions was from nursing homes, 18%."
       

    Ou seja: quem se contaminou era gente que estava fazendo quarentena em casa, de resguardo, e não pessoas que estavam saindo de casa para passear.

    "If you notice, 18% of the people came from nursing homes, less than 1% came from jail or prison, 2% came from the homeless population, 2% from other congregate facilities, but 66% of the people were at home, which is shocking to us," Cuomo said.

    "This is a surprise: Overwhelmingly, the people were at home," he added. "We thought maybe they were taking public transportation, and we've taken special precautions on public transportation, but actually no, because these people were literally at home."


    Ou seja, segundo o próprio governador, ele ficou estupefato ao descobrir que 66% dos contaminados estavam de quarentena em casa, 18% + 4% dos contaminados estavam em casas de repouso e asilos, e 2% eram mendigos.

    E ainda arremata: "Pensávamos que seriam pessoas que estavam usando o transporte público, e tomamos precauções especiais nos transportes públicos, mas na realidade não, essas pessoas estavam literalmente em casa".

    Portanto, não tem absolutamente nada dessa bobagem aí que você falou de que foram contaminadas pessoas que "tinham casa e não barracas ou hotéis".

    Essa sua tentativa de distorcer tudo mostra todo o seu desespero, típico de gente que quer faturar alto com o desespero e a desgraça alheia.

    "Esperava mais daqui"

    Tal frase, vinda de um charlatão que tentou bancar o esperto (ou um mero ignorante que não sabe inglês, mas tentou fingir que sabe), é perfeita. Daqui você não precisa esperar nenhuma tolerância com malandros. Vá tentar sacar em outro lugar.

  • Felipe L.  05/06/2020 17:17
    O engraçado é que sobre esse caso de Nova Iorque, eu vi gente justificando esse número alto de contaminados que estavam em casa, falando que talvez muitas pessoas, com medo de serem punidas, falaram que estava em casa ao invés de estarem nas ruas normalmente. Será que isso tem lógica?
  • Paulo  05/06/2020 19:38
    A italia fez quarentena em fevereiro, mas ela por si só não é suficiente se o R não ficar abaixo de 1; O Brasil mesmo fez uma ''semi-quarentena'' Que é insuficiente para evitar contagio; Quarentena e lockdowm são coisas diferentes. E nenhum dos dois ajuda muito se não tiver testes em massa para isolar os doentes.

    pbs.twimg.com/media/EZYAOiIWoAoR4PV?format=jpg&name=900x900

    Aqui a fonte ORIGINAL; E não um link de uma noticia.

    66% dos hospitalizados (hospitalizados não são o total de contaminados) moram em casa;
    Infelizmente meu outro comentário não apareceu;

    Mas, resumidamente, a suécia está evitando atender idosos acima de 70 anos para não lotar hospitais; deixando-os para morrer. Nova zelandia zerou os casos faz 14 dias seguidos, e adotou medidas de quarentena no começo;

    Governo da suécia já admitiu o erro também.
    www.poder360.com.br/coronavirus/citada-como-exemplo-por-bolsonaro-suecia-admite-erro-no-combate-a-covid-19-dw/

    O Brasil mesmo, que nunca se esforçou seriamente para impedir o virus, esta com a curva inclinada e subindo; (Repetindo, quarentena que não mantem o R abaixo de 1 no máximo diminuiu o ritmo de aumento, já que a intenção dela é zerar e não meramente diminuir, mantando ele abaixo de 1);


    Na questão da econonomia, ainda tem um ano inteiro para saber se os danos da pandemia de longo prazo na suécia vão acabar compensando os supostos beneficios do primeiro trimestre; Lembrando que eventos esportivos, turismo, aglomerações, não voltam ao normal meramente porque o governo não fechou, as pessoas evitam eles - restaurantes que o digam
  • Eduardo  06/06/2020 02:38
    "Olhei. E não bate com o que você falou.
    A Itália se fechou em fevereiro. A curva subiu forte em março e na primeira quinzena de abril. Só começou a desacelerar no final de abril, mais de dois meses depois do lockdown."

    Errado. Algumas províncias se fecharam em fevereiro mas o lockdown no norte e não na Itália toda começou em 8 de março, só que brando de acordo com esse trecho:

    Conte later clarified in a press conference that the decree was not an "absolute ban", and that people would still be able to use trains and planes to and from the region for "proven work needs, emergencies, or health reasons. Additionally, tourists from outside were still permitted to leave the area.
    Restaurants and cafes were permitted to open, but operations were limited to between 6:00 and 18:00, while many other public locations such as gyms, nightclubs, museums and swimming pools were closed altogether. Businesses were ordered to implement "smart working processes" to permit their employees to work from home. The decree, in effect until 3 April...

    A partir daí, que foi ficando mais intenso e pode ser isso que impediu que o sul do país fosse tão acometido quanto o norte.

    "Se você tranca todo mundo em casa, além de os contágios continuarem normalmente (algo já empiricamente comprovado), as pessoas não desenvolvem imunidade, o que é pior ainda.
    Ficar trancado em casa sem luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D simplesmente piora sua imunidade.
    Assim que você sair à rua, começa uma segunda onda, e você será inevitavelmente contaminado.
    Já quem está saindo à rua desde já está adquirindo imunidade.
    População confinada em casa não adquire nem imunidade, nem anticorpos e nem vitamina D. Tão logo a pessoa sai do confinamento, queda enferma."

    Peraí! Você diz que as pessoas em casa continuam se contaminando, mas diz depois que elas não desenvolvem imunidade e quando saem ficam doentes quando tem uma segunda onda. Conseguiu perceber seu paradoxo? Ou ela se contamina em casa, adquire anticorpos e não se contamina mais, ou ela não se contamina em casa e ainda pode ficar doente. O lacre não deu certo...

    "Por outro lado, se não fosse o confinamento, a populaça já teria atingido a imunidade de rebanho e já estaria pronta."

    De novo, ela se contaminou em casa na quarentena de acordo com você. A imunidade foi obtida!! Ponto pra quarentena.

    "Todos os países que adotaram confinamento (Itália, Espanha, França e, agora, EUA) se estreparam."

    EUA não adotou de imediato. Você mesmo falou isso ao mencionar "e,agora". Só adotaram depois do caos em algumas cidades. Noruega, Suécia e China adotaram e se deram muito melhor.


    "Todos os que não adotaram se deram bem (Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong, Cingapura, Alemanha, Holanda)."

    Alemanha adotou. E se deu bem.

    "Aí ele errou. Empiricamente, países que fizeram lockdown tiveram muito mais mortes que os que não fizeram."

    Não há dados irrefutáveis ainda. Alemanha, China, Escandinávia (excluindo Suécia) fizeram e tiveram menos mortes proporcionais.

    "Fazer o quê? Lamento que muitos não aceitem essa obviedade — pois fere a narrativa convencional."

    A primeira coisa a fazer é admitir que não há certeza em quase nada ainda.
  • Fabrício  06/06/2020 05:27
    "Algumas províncias se fecharam em fevereiro mas o lockdown no norte e não na Itália toda começou em 8 de março, só que brando de acordo com esse trecho"

    O trecho que você citou é discurso de um político. E político querendo dar desculpas não é argumento e não tem significado. Eis os fatos: Em 9 de março de 2020, a Itália ampliou o estado de quarentena, e tomou medidas mais drásticas para evitar a expansão do surto. As medidas incluem restrições gerais de viagem, proibição de eventos públicos, fechamento de escolas e espaços públicos, como cinemas, e suspensão de serviços religiosos, incluindo funerais ou casamentos.

    pt.wikipedia.org/wiki/Pandemia_de_COVID-19_na_It%C3%A1lia

    noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/03/09/coronavirus-italia-amplia-quarentena-e-restringe-movimentacoes-no-pais.htm

    "Peraí! Você diz que as pessoas em casa continuam se contaminando"

    Sim.

    "mas diz depois que elas não desenvolvem imunidade e quando saem ficam doentes quando tem uma segunda onda."

    Não banque o espertalhão. Há as que se contaminam em casa e morrem. Há as que se contaminam e não morrem ou nada sentem. E há as que não se contaminam em casa e que irão se contaminar ao saírem de casa, exatamente por não terem imunidade (não tiveram exposição à luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D, sem anticorpos).

    Foi isso o que eu falei.

    "Conseguiu perceber seu paradoxo?"

    Não.

    "Ou ela se contamina em casa, adquire anticorpos e não se contamina mais, ou ela não se contamina em casa e ainda pode ficar doente. O lacre não deu certo…"

    O que não deu certo foram as suas sinapses. Vou tentar desenhar:

    1) Todo mundo fica em casa.

    2) Uma parte (jovem) é contaminada, adquire imunidade e está tudo bem.

    3) Outra parte (idosa) também é contaminada e morre.

    4) A outra parte não é contaminada e não adquire imunidade. Ao sair, é contaminada. Se será fatal ou não, aí vai depender de cada organismo.

    Qual é o paradoxo? Onde estaria o tal "lacre que não deu certo"?

    "De novo, ela se contaminou em casa na quarentena de acordo com você. A imunidade foi obtida!! Ponto pra quarentena."

    Caso as sinapses ainda não estejam batendo, reler os 4 itens imediatamente acima.

    "Alemanha adotou. E se deu bem."

    Alemanha não adotou lockdown nenhum. E isso eu sei porque tenho uma prima que mora lá, é casada com um alemão, e vive mandando relatos.

    Holanda também não adotou lockdown.

    Estava tudo 100% aberto? Não. Mas também não fechou tudo. Nem chegou perto de Itália, França e Espanha. Lamento quebrar a narrativa.

    "Não há dados irrefutáveis ainda. Alemanha, China, Escandinávia (excluindo Suécia) fizeram e tiveram menos mortes proporcionais."

    De novo: Alemanha não fez. China fez em um poucas cidades e por bem pouco tempo (comparado ao Ocidente).

    "A primeira coisa a fazer é admitir que não há certeza em quase nada ainda."

    Certezas absolutas não há. Mas já há muita evidência empírica. E há também muita politicagem e ideologia. Principalmente aqui no Brasil.
  • Eduardo  06/06/2020 17:01
    "O trecho que você citou é discurso de um político. E político querendo dar desculpas não é argumento e não tem significado."

    Esse foi o político que decretou quarentena então nada melhor do que ler o que ele disse sobre como seria a quarentena. Se não tem significado pra você, não importa pois você é insignificante pra mudar esse fato.

    "Eis os fatos: Em 9 de março de 2020, a Itália ampliou o estado de quarentena, e tomou medidas mais drásticas para evitar a expansão do surto. As medidas incluem restrições gerais de viagem, proibição de eventos públicos, fechamento de escolas e espaços públicos, como cinemas, e suspensão de serviços religiosos, incluindo funerais ou casamentos."

    Errado. Basta ler que no trecho que enviei anteriormente que não começou assim. Ele foi apertando à medida que os casos foram aumentando.

    "pt.wikipedia.org/wiki/Pandemia_de_COVID-19_na_It%C3%A1lia"

    O próprio link que vc mandou fala isso:

    "...exigir que as pessoas mantenham pelo menos um metro de distância umas das outras em locais públicos, como restaurantes, igrejas e supermercados.[10] Mais tarde, Conte esclareceu em uma entrevista coletiva que o decreto não era uma "proibição absoluta" e que as pessoas ainda poderiam usar trens e aviões de e para a região por "necessidades comprovadas de trabalho, emergências ou razões de saúde".[11] Além disso, turistas de fora ainda tinham permissão para deixar a área.[12]
    Foi permitido abrir restaurantes e cafés, mas as operações foram limitadas entre as 6:00 h e as 18:00 h, enquanto muitos outros locais públicos, como academias, boates, museus e piscinas, foram completamente fechados"

    Ele diz que não é uma proibição absoluta, restaurantes e igrejas podem funcionar e trabalho com distanciamento está liberado. Ou seja, quarentena mais brando que aqui no início.

    "Não banque o espertalhão. Há as que se contaminam em casa e morrem. Há as que se contaminam e não morrem ou nada sentem. E há as que não se contaminam em casa e que irão se contaminar ao saírem de casa, exatamente por não terem imunidade (não tiveram exposição à luz solar, sem ar livre, sem espaço, sem vitamina D, sem anticorpos).

    Foi isso o que eu falei."

    Não. O que você disse claramente foi:

    "Se você tranca todo mundo em casa, além de os contágios continuarem normalmente (algo já empiricamente comprovado), as pessoas não desenvolvem imunidade"

    Se o contágio continua normal, por que não desenvolvem imunidade?

    "O que não deu certo foram as suas sinapses. Vou tentar desenhar:

    1) Todo mundo fica em casa.

    2) Uma parte (jovem) é contaminada, adquire imunidade e está tudo bem.

    3) Outra parte (idosa) também é contaminada e morre.

    4) A outra parte não é contaminada e não adquire imunidade. Ao sair, é contaminada. Se será fatal ou não, aí vai depender de cada organismo."

    Antes você não escreveu isso mas ao perceber as consequências da hipoproteinemia na sua infância, teve que voltar atrás e escrever que uma parte da população em quarentena não se contaminará (o contrário da sua afirmação anterior) até sair de casa, o que, de acordo com o que você escreveu no item 4, comprova que quarentena diminuiu o contágio.

    "Caso as sinapses ainda não estejam batendo, reler os 4 itens imediatamente acima."

    Faço das suas as minhas palavras. Principalmente o item 4 onde você diz que algumas pessoas não se contaminaram por estarem de quarentena, dando um 180 graus no seus argumentos anteriores.

    "Alemanha não adotou lockdown nenhum. E isso eu sei porque tenho uma prima que mora lá, é casada com um alemão, e vive mandando relatos."

    Tenho família e amigos na Alemanha. Além disso trabalhei em 2 hospitais lá e mantenho contato com médicos da Alemanha, Austria, Italia e EUA. Eles fecharam escolas, restaurantes, igrejas e shoppings igual ao Brasil além de testar em massa a população. Eles adotaram quarentena sim.

    "Estava tudo 100% aberto? Não. Mas também não fechou tudo. Nem chegou perto de Itália, França e Espanha."

    Como já dito, Italia e Espanha não fecharam tudo no início, só depois que a coisa degringolou. No início fizeram a mesma coisa que Alemanha em relação à quarentena.

    "De novo: Alemanha não fez. China fez em um poucas cidades e por bem pouco tempo (comparado ao Ocidente)."

    De novo, Alemanha fez quarentena. China manteve lockdown em Wuhan por 3 meses. Minha irmã estava em Beijing em janeiro e estava tudo fechado. Ruas vazias. Comparado com o ocidente, eles foram muito mais intensos. Só a Italia restringiu mais que a China. Sugiro que estude.

    "Certezas absolutas não há. Mas já há muita evidência empírica. E há também muita politicagem e ideologia. Principalmente aqui no Brasil."

    Se você diz isso, então como pode afirmar que o certo a fazer é praticar o distanciamento social? Como você, que não estuda 0,01% dos artigos científicos sobre cloroquina, pode dizer que ela funciona?
    De fato, há muita ideologia.
  • Imperion  05/06/2020 15:18
    A economia vai voltar a funcionar porque, sem ninguém produzindo, o estado tb não arrecada. Mesmo passando a fabricação de dinheiro no congresso, não é suficiente pra bancar as contas.

    Em caso de parada da economia, o estado é um dos primeiros a falir tb, principalmente o Brasil, que já tem déficit astronômico nas contas quando funciona normalmente, estado parado as contas do federal acelerariam ainda mais a deterioração fiscal.

    E estado falido não paga policiais, então mais pra frente os saques aumentariam. Qualquer manifestaçãozinha já vai ter saques como foi nos EUA.
  • Rodrigo  05/06/2020 16:47
    [OFF]

    Tenho uma dúvida e gostaria da opinião de vocês:

    Sobre o modelo de ensino EAD, vejo o preconceito rolando solto, mas tal preconceito me parece infundado, pesquisei e não encontrei nenhuma evidência científica de que o método EAD é pior do que o presencial tradicional, ele apenas tem seus prós e contras, assim como tudo na vida, é claro que muitos EADs aqui em Banânia tem qualidade lastimável, mas aí não é problema do método, pois universidades Americanas como o MIT, Harvard, Stanford, etc, e até várias europeias tem programas de ensino EAD excelentes.

    Mas tal método me parece uma abordagem muito interessante já que cursos via EAD muitas vezes custam bem menos da metade dos presenciais. Aí eu pergunto: Seria possível formar por exemplo engenheiros e cientistas de alto gabarito via ensino à distância? Ou até mesmo de forma autodidata (com provas e certificações como controle de qualidade é claro)?

    Alguém aí manja desse assunto e poderia me responder?

    Obrigado!
  • Felipe L.  05/06/2020 20:16
    Acho que o Weintraub deveria buscar uma desregulação no setor de ensino. Desde 2019 e até agora, nada. O melhorzinho foi aquele programa das universidades serem um pouco mais abertas ao investimento privado. Ensino superior no Brasil é uma tristeza, grade curricular inchada e um monte de matéria inútil que só sobrecarrega os alunos, e muitas vezes operando como se estivessem numa bolha fora da realidade. Até o EAD ficaria melhor. E então as aulas práticas seriam presenciais, mas as teóricas você poderia estudar em casa. Não é difícil achar professor que está pouco se lixando para o aluno. Então pra que isso? Melhor pegar um livro do que ficar olhando para a cara dele.

    Milagre é que no IF onde estou, estão fornecendo EAD. Tem um monte de universidade estatal, com orçamento muito maior, e nem isso estão dando. Inacreditável esse país.
  • Imperion  05/06/2020 20:29
    Lembro como na escola se ensina tão mau, que falaram que a crise de 1929 foi causada por excesso de produção. Que eles produziam mais do que podiam vender. Não por intervenção do governo americano. Como se produzir fosse uma coisa ruim. Desnecessário dizer que aos dezoito ao sair da escola, tinha saído esquerdista.
  • Drink Coke  05/06/2020 22:28
    "a crise de 1929 foi causada por excesso de produção"


    Essa eu também ouvir na escola. Essa explicação tem com base a visão marxista e ainda dizem que não existe doutrinação nas escolas.
  • Mendes  05/06/2020 23:27
    Lembro como na escola se ensina tão mau (...)

    Realmente, ensinaram mal mesmo!
  • Thor  06/06/2020 22:12
    Do ponto de vista foi uma superprodução, ou não foi?
    Queimamos sacas de café a rodo pra que então?
  • Historiador Honesto  07/06/2020 18:32
    Queimaram sacas de café pra proteger os grandes barões do café, que não aceitavam redução de preços.

    Nos EUA, fizeram o mesmo, só que com porcos e gado. Enquanto desempregados se avolumavam nas filas de sopa, o governo chacinava porcos e bois para proteger o lobby dos agricultores, que não aceitavam redução de preços — reduções essas causadas majoritariamente pela tarifa Smoot-Hawley, que levou a uma quase total interrupção do comércio global.

    Sem mais poderem exportar, os preços desabaram. E aí o governo mandou dizimar todos os porcos para impedir a inevitável queda de preços.

    Coisa de gênio.
  • Imperion  06/06/2020 00:11
    Hoje saiu uma reportagem na Superinteressante sobre economia e eles explicando que o excesso de produção, mimimi, me fez lembrar dessa aula na escola.

    super.abril.com.br/especiais/a-recuperacao-as-licoes-do-passado-para-reativar-a-economia-no-presente/

    Eles falam bem ate do Sólon, que imprimiu dinheiro, alterando o ouro da moeda. Esquecem de dizer que décadas depois Atenas não tinha mais finança pra ter exército e foi arrasada por Esparta.
  • Kaio  07/06/2020 02:56
    Essa revista é um lixo.
  • Gustavo Abrantes  07/06/2020 02:56
    Muito boa essa matéria da superinteressante.
    Me faz lembrar que no início do ano Paulo Guedes dizia que não tinha dinheiro para nada, e eis que de repente chove dinheiro pra salvar os bancos do país com mais de 1 TRILHAO DE REAIS! Chove dinheiro pra pagar 600 reais mensais pra filhos de classe média alta e militares oportunistas. E ainda por cima gerar deflação na economia.
    Me pergunto ainda porque Paulo Guedes quer pegar emprestado 3bi de dólares com o FMI quando temos mais de 300 bi de dólares de reservas cambiais. Vc com 300 mil na poupança iria bater na porta do banco pra pegar 3 mil emprestados?
    Isso tudo numa conjuntura em que as taxas do tesouro direto estão derretendo e do DI futuro estão nas mínimas históricas.
  • Raphael  07/06/2020 19:08
    "Me faz lembrar que no início do ano Paulo Guedes dizia que não tinha dinheiro para nada"

    E segue sem ter. Tudo o que foi escrito aqui ficou ainda pior.

    "e eis que de repente chove dinheiro pra salvar os bancos do país com mais de 1 TRILHAO DE REAIS!"

    Gentileza provar esse valor. Forneça links confiáveis comprovando que o governo efetivamente já gastou R$ 1 trilhão de reais para salvar bancos.

    "Chove dinheiro pra pagar 600 reais mensais pra filhos de classe média alta e militares oportunistas."

    Esse dinheiro de fato saiu. E de onde veio? Exato: veio de ainda mais endividamento (dívida bruta já se aproxima de 100% do PIB, disparado o maior valor para países em desenvolvimento) e impressão de dinheiro.

    Ou seja, o dinheiro está vindo de onde sempre veio: do bolso do povo, que, no futuro, arcará com isso via maiores impostos e maiores preços (se você acha que não está havendo inflação, você não tem ido ao supermercado). O IPCA está comportado por causa do preço do petróleo, que desabou, e a gasolina foi junto.

    "E ainda por cima gerar deflação na economia."

    Qual deflação? Gentileza mostrar que o IPCA acumulado em 12 meses está negativo.

    Queria viver nesse seu mundo. Se você acha que não está havendo inflação, você não tem ido ao supermercado. O IPCA está comportado por causa do preço do petróleo, que desabou, e a gasolina foi junto.

    De resto: agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-06/igp-di-tem-inflacao-de-107-em-maio

    "Me pergunto ainda porque Paulo Guedes quer pegar emprestado 3bi de dólares com o FMI quando temos mais de 300 bi de dólares de reservas cambiais."

    Porque, ao pedir emprestado, entram dólares. Ao entrarem dólares, o câmbio se aprecia. Ao se apreciar, contém-se um pouco pressões inflacionárias.

    Ao contrário do que você acredita, não existe mágica. De algum lugar está vindo algo para ajudar a segurar um pouco a inflação de preços. No nosso caso, do endividamento externo.

    Perceba, aliás, sua desconexão: ao mesmo tempo em que você diz que está havendo um monte de mágica benéfica, você critica exatamente uma das políticas que está permitindo essa "mágica".

    "Isso tudo numa conjuntura em que as taxas do tesouro direto estão derretendo e do DI futuro estão nas mínimas históricas."

    As taxas do Tesouro Direto estão muito mais altas do que estavam em todo o segundo semestre do ano passado. Tesouro IPCA 2045 já chegou a pagar 2,89%. Hoje está em 4,11%. Não sei de onde que um aumento de 2,89% para 4,11% é uma "derretida". Mesma coisa para o DI. O DI 29 já chegou a 6,53% ano passado. Hoje está em 7,40%. Desde quando uma subida de 6,53% para 7,40% é uma "derretida"?

    Aliás, lembre-se de que no resto do mundo desenvolvido os juros estão negativos e menores do que estavam ano passado. Aqui estão aumentando e num contexto absurdamente recessivo.

    Mas se você acha que isso não é ruim, e que é uma política que pode ser mantida eternamente, e que a economia hoje está melhor que ano passado, aí nada posso fazer por você.
  • Felipe L.  07/06/2020 22:42
    "Qual deflação? Gentileza mostrar que o IPCA acumulado em 12 meses está negativo.

    Queria viver nesse seu mundo. Se você acha que não está havendo inflação, você não tem ido ao supermercado. O IPCA está comportado por causa do preço do petróleo, que desabou, e a gasolina foi junto.

    De resto: agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-06/igp-di-tem-inflacao-de-107-em-maio"


    Por isso que eu falo que o IPCA é uma porcaria. O IGP-DI é mais realista, pois é mais influenciado pela cotação do dólar americano. No IPCA o câmbio pode disparar, mas ficar comportadinho, que é que o Leandro tanto nos disse. Isso é o que aconteceu recentemente, já que as commodities em reais ficaram baratas por um certo tempo. No ano passado, após julho, que elas voltaram a disparar. E não é coincidência que foi naquela época que o Guedes começou a aloprar com os juros.

    Leandro, então o que está acontecendo com o IGP-DI em disparada (algo que já havia ocorrido em janeiro desse ano), tem a ver com o fato de que as commodities voltaram a subir, só que com o câmbio ainda mais caro?

    Se não der para colocarem uma pedra no lugar do Guedes e do Campos, chamem alguém que defenda moeda forte e reduza a meta de inflação para algo civilizado.
  • anônimo  07/06/2020 22:51
    Eis o índice de commodities do BC, em reais, atualizado para maio. É a melhor prévia que tem para os índices gerais de inflação. Se commodities sobem, não tarda muito para os índices gerais de inflação voltarem a subir.

    Commodities estão no início de toda a cadeia de produção. Commodities são a matéria-prima utilizada na ponta inicial de toda a cadeia produtiva. São delas que surgirão instalações industriais, maquinários, bens de capital, veículos, todos os tipos de construção civil e absolutamente todos os bens de consumo (inclusive, e principalmente, alimentos).

    Veja que commodities agropecuárias e metais industriais estão nas máximas históricas. A única coisa que ainda segura o índice é o petróleo, que segue baixo. Se o barril de petróleo começar a subir, o real terá de se valorizar muito para evitar que os preços explodam.

    A inflação de preços, obviamente, não virá de repente. É gradual e dá pra ser revertida. Mas, no momento, a tendência não é nada boa.

    ibb.co/fXnzL0N
  • Felipe L.  07/06/2020 23:58
    Como você obteve esses dados no BC? Porque o site do BCB é péssimo. Será que daria para converter isso para o Trading View?
  • anônimo  08/06/2020 14:48
    Séries temporais. Os números de cada uma estão no gráfico.
  • Felipe L.  08/06/2020 15:12
    Achei as tabelas. Como eu consigo esses gráficos que você fez? Cliquei em "Metadados" e não achei nada relacionado a download e afins.
  • Gustavo Abrantes  08/06/2020 15:24
    E segue sem ter. Tudo o que foi escrito aqui ficou ainda pior.
    Sem ter dinheiro? Entao ele é magico, ja que vem pagando tudo normalmente e o mercado está financiando o Brasil
    sem questionar nada

    Gentileza provar esse valor. Forneça links confiáveis comprovando que o governo efetivamente já gastou R$ 1 trilhão de reais para salvar bancos

    Pois não.
    www.infomoney.com.br/economia/com-crise-banco-central-ja-anunciou-r-12-trilhao-em-recursos-para-bancos/
    pt.tradingeconomics.com/brazil/money-supply-m1
    No tradingeconomics, de jun/19 até mai/20 já subiu UM TRILHÃO!

    Qual deflação? Gentileza mostrar que o IPCA acumulado em 12 meses está negativo.

    Agora tem que ser a inflação que a DONDOQUINHA quer! por que não pode ser a inflação mensal? A expansão monetaria se deu agora nos ultimos 2/3 meses, vc quer o efeito de uma política adotada um mes atrás em cima de um dado que considera os últimos 12 meses.
    Desonestidade intelectual comigo não cola!

    agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-05/ipca-registra-deflacao-de-031-em-abril

    Perceba, aliás, sua desconexão: ao mesmo tempo em que você diz que está havendo um monte de mágica benéfica, você critica exatamente uma das políticas que está permitindo essa "mágica

    A imbecilidade agora foi forte!
    O cara pega emprestado cerca de R$ 20 bi pra pagar entre outras coisas Bolsa Familia, aí, além de remanejar parte do orçamento do Bolsa Familia pra propaganda oficial do governo, eles gastam quase 50x esse valor para ajudar bancões por aí, que estão com ações bombando na bolsa!
    Ou seja, um emprestimo que nao equivale nem a 2% do que o governo gasta SÓ COM OS BANCOS.
    é patético
    www.conjur.com.br/2020-jun-06/estados-pedem-verba-bolsa-familia-nao-seja-usada-propaganda

    As taxas do Tesouro Direto estão muito mais altas do que estavam em todo o segundo semestre do ano passado. Tesouro IPCA 2045 já chegou a pagar

    Desculpa quando falei em desonestidade intelectual. É ´SO DESONESTIDADE MESMO, NA PARTE INTELECTUAL VOCÊ NÃO TEM NADA... só tem mesmo a ignorancia

    O IPCA+2045 está mais alto pois há expectativa de deflação. Logo, a parte variável do título espera-se que caia, sendo na prática uma redução do custo fiscal dessa dívida.
    Se vc pegar os títulos prefixados, Tesouro Pre semestral , por exemplo, verá que estamos nas mínimas atualmente.

    Além de dondoca exigente é uma incapaz
  • Raphael  08/06/2020 16:16
    "Pois não.www.infomoney.com.br/economia/com-crise-banco-central-ja-anunciou-r-12-trilhao-em-recursos-para-bancos/pt.tradingeconomics.com/brazil/money-supply-m1
    No tradingeconomics, de jun/19 até mai/20 já subiu UM TRILHÃO!"


    Meu Deus, como é você constrangedoramente burro!

    Para começar, pelo próprio TradingEconomics, o M1 foi de R$ 380 bilhões para R$ 480 bilhões, isso é um aumento de R$ 100 bilhões e não de R$ 1 trilhão!

    Você não sabe matemática básica?! Que vergonha…

    Quanto à notícia do Infomoney, que é de março (estamos em junho), ela fala que o plano do BC é reduzir compulsórios (sou a favor), comprar títulos privados (amplamente discutido aqui), e estimular a expansão do crédito via juros baixos.

    Isso é bem diferente de o governo "fazer surgir dinheiro que irá resolver para sempre a situação fiscal".

    Por fim, eis aqui o balancete do Bacen, que é o que efetivamente mostra o ativismo do Banco Central. O aumento atual é o mesmo ocorrido no mesmo período de 2018.

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/brazil-central-bank-balance-sheet.png?s=brazilcenbanbalshe&v=202005021016V20191105&d1=20100611

    Nem me dei ao trabalho de ler o resto. Depois desse início "triunfante", resolvi poupar meu cérebro. Vai que a coisa contagia…
  • Felipe L.  08/06/2020 16:54
    Eu sou contra reduzir compulsórios. Mesmo porque assim na prática os bancos vão poder expandir ainda mais o asqueroso esquema de reservas fracionárias, que acaba sendo uma variação de pirâmide financeira. Se dependesse de mim, acabaria com as reservas fracionárias.
  • Imperion  06/06/2020 05:16
    É possível sim formar cientista e engenheiro a distância.

    Mas pra qualquer curso ser bom é o aluno que tem que estudar e aprender. E o curso tem que oferecer a matéria que o aluno precisa pra estudar. Não é o professor que enfia a matéria na cabeça do aluno. É a vontade de aprender e estudar deste, que faz a diferença.

    Você pode dominar qualquer assunto que queira, basta vontade. Esse negocio de falarem que o presencial é melhor é só as guildas defendendo seus mercados de trabalho.

    Os empregadores futuros vão querer saber o que vc sabe fazer, produzir e realizar, não se seu nome está escrito num papel.

    Os que vão na base do QI (quem indica) conseguem trabalho, mas não realizam nada, roubam o trabalho dos outros pra compensar comprar o diploma.
  • Felipe L.  07/06/2020 18:10
    Acho que esse fenômeno do "quem indica" é típico em mercados de trabalho extremamente regulados como o brasileiro.
  • Rodrigo  05/06/2020 20:39
    A quem interessar possa: falei com hospitais particulares do RJ. Todos com quadro bem mais tranquilo, leitos disponíveis, menos casos graves. Alegam que há pressão dos planos de saúde para considerar mortes por Covid. Um caso conhecido: mulher com mais de 90, obesa, foi internada SEM Covid. Óbito: Covid.

    Como as seguradoras têm ressalvas nos contratos para mortes em casos de pandemia, se o hospital declarar morte por pandemia a seguradora fica isenta de custos e até mesmo de eventuais processos.

    Isso certamente está acontecendo no Brasil inteiro.

    Esse número de 1.400 mortes por dia está enormemente inflado. Políticos e médicos sabem disso, tanto é que já falam normalmente em voltar a abrir a economia.
  • anônimo  06/06/2020 02:17
    Estudo sugere que no Reino Unido o pico da contaminação teria ocorrido antes do Lockdown e põe em dúvida a necessidade das duras medidas adotadas no combate à pandemia:

    www.dailymail.co.uk/news/article-8391141/Did-UKs-coronavirus-crisis-peak-lockdown.html


    "• Modelling by a mathematician at University of Bristol shows Britain's infection rate peaked on March 18

    •The calculation is based on data that indicates average Covid-19 victim dies 23 days after being infected

    •The study throws into question whether Britain's lockdown - imposed on March 23 - was actually needed"
  • Kennedy C.  06/06/2020 10:35
    Bom dia pessoal, já viram a notícia de que o Banco Central deve passar R$ 500 bi (obtidos lucrando com o Dólar) ao Tesouro para reduzir a dívida pública? Não coloco links porque não sei se é permitido, mas como o Paulo Guedes fez isso? Ele de fato vendeu reservas enquanto o Dólar estava alto? mas pelo que eu saiba, as reservas hoje estão em cerca de 320 bi, então ele não fez isso. Então o que ele fez é uma medida normal feita de tempos em tempos ou não? Alguém pode me explicar por favor?
  • Yuri  06/06/2020 21:38
    A notícia foi um tanto enganosa.

    1) O BC sempre repassa seus lucros operacionais para o Tesouro. Sempre. Não será diferente esse ano.

    2) Esse lucro de R$ 500 bilhões é uma ficção contábil. A esmagadora maioria desse ganho se deve à variação cambial (que aumentou o valor em reais das reservas internacionais) e ao fato de as taxas de juros dos títulos públicos americanos terem caído (o que aumenta o valor nominal dos títulos americanos em posse do BC; que são as próprias reservas internacionais).

    Não tem como repassar essa valorização nominal da reservas internacionais para o Tesouro. É o equivalente a eu dizer que, se o seu imóvel se valoriza, você pode pagar uma viagem com a valorização dele — a menos que você de fato venda seu imóvel, você não auferirá nenhum benefício dessa valorização.

    Com as reservas são a mesma coisa. Esse lucro de R$ 500 bilhões só será auferido se o BC as vender.


    P.S.: se essa notícia fosse realmente verdade, esse lucro de R$ 500 bilhões seria quase uma reforma de Previdência, a qual só trará essa poupança ao longo de vários anos.
  • ALUNO  06/06/2020 22:45
    Ao mesmo tempo, Lula está se gabando que as reservas internacionais que hoje dão segurança ao Brasil foram acumuladas em seu governo. A segurança que o pais tem hoje,segundo ele, foi mérito da sua gestão.

    Gostaria de saber se essa acumulação realmente ocorreu durante o governo Lula e até que ponto isso foi mérito do governo petista ou mais uma sorte de um cenário internacional mais favorável.

    Aproveitando, queria entender como se formam as reservas internacionais, qual o valor recomendado de se manter( já vi Ciro Gomes dizendo que o ideal é um ano e meio de importações).
  • Guilherme  07/06/2020 18:35
    Quem implantou a política de acumulação de reservas internacionais foi o Banco Central de Henrique Meirelles. O PT era abertamente contra essa prática.

    Ainda assim, tal política só foi possível porque o dólar estava atipicamente fraco no período 2004-2011 e porque a SELIC sempre se manteve em dois dígitos.

    Hoje, com dólar mundialmente forte e com a SELIC indo para ridículos 2,25%, tal política seria impossível.
  • Felipe L.  06/06/2020 22:54
    Ah, que bom que alguém citou isso. Eu tinha perguntado isso uns dias atrás mas ninguém me respondeu. Já brotou um monte de iludido com o Guedes falando sobre isso, aí eu fiquei com um pé atrás.

    Eu nem sabia que o Banco Central tinha lucro (o que eu sabia é que o Fed tinha). Realmente preciso estudar mais sobre esses assuntos.

    PS: Leandro tinha razão. Larga mão. Guedes não está preocupado com a nossa moeda e para piorar, fez quase nada em reformas. Não posso ser otimista com o Brasil. Sempre que eu fico um pouco otimista, quebro a cara. Logo alguma tranqueira acontece e a nossa moeda afunda de novo.
  • Gabriel  06/06/2020 23:38
    Pior que ele repassa, Yuri, caso o CMN permita. Essa variação contábil positiva aumenta o caixa da Conta Única da União, quando o BC repassa os lucros. É uma completa bizarrice mero lucro contábil virar caixa, porém é o que ocorre aqui no Brasil nessa relação entre BC e TN.


    Kennedy C, leia a thread abaixo, o Felipe Salto explica um pouco como funciona:

    twitter.com/FelipeSalto/status/1266938049495269377
  • Realidade  06/06/2020 12:32
    Sou uma triste realidade que venho me apresentar
    1 em 35 pessoas no mundo são brasileiras
    1 em 4 pessoas no mundo com covid é brasileira
  • Túlio  06/06/2020 21:47
    Embora sua conta esteja completamente errada (8,9% dos infectados mundiais são brasileiros, e não 25%, como você disse), ela é de importância nula. Sabe por quê? News flash pra você: todo o mundo será contaminado. Essa é a natureza de um vírus. Ele pega todo mundo e depois vai embora.

    A questão é se vamos enfrentar ou vamos nos acovardar.
  • Realidade  06/06/2020 22:08
    E o que vc me diz disso?
    oglobo.globo.com/analitico/em-cada-quatro-pessoas-que-morrem-de-covid-19-no-mundo-uma-do-brasil-24464601?versao=amp
  • Túlio  07/06/2020 18:32
    Isso mostra que aí o problema está em você. Primeiro você se referiu a infecção. Agora está se referindo a mortes. Decida-se.

    E, ainda assim, o número continua totalmente errado.

    Número de mortes mundiais: 392.802
    Número de mortes no Brasil: 34.021

    tradingeconomics.com/country-list/coronavirus-deaths

    Ou seja, 8,6%. Ou nove em cada 100. Ou uma em cada 11.

    Entendeu agora o problema com a mídia?
  • anônimo  07/06/2020 00:17
    Do mês passado, mas só para não esquecer...

    www.telegraph.co.uk/technology/2020/05/16/coding-led-lockdown-totally-unreliable-buggy-mess-say-experts/

    "The model, credited with forcing the Government to make a U-turn and introduce a nationwide lockdown, is a "buggy mess that looks more like a bowl of angel hair pasta than a finely tuned piece of programming", says David Richards, co-founder of British data technology company WANdisco."

    Enquanto isso aqui no BR tem youtuber que provavelmente atingiu a independência financeira após divulgar este modelo. Como diria Zeca Pagodinho:

    "a realidade é dura, mas é aí que se cura..."

  • Em Dúvida  06/06/2020 23:38
  • Marco Ungarette  07/06/2020 02:23
    Na minha opinião essa pandemia serviu bem aos interesses dos candidatos a ditador, em particular os governadores que se opuseram ao Governo Federal liderados pelo Dória, onde puderam simular o alcance de seus extra poderes avalizados pelo STF. Não tenho dúvidas sobre as reais intenções desses governadores alinhados com o comunismo/socialismo (apenas para o povo, óbvio) financiados pelo Partido Comunista Chinês. A ideia é ir prorrogando a quarentena quinzenalmente, dessa forma as pessoas aceitam mais mansamente e acabam se acostumando, diferente de impor uma quarentena de 90,120 ou 150 dias que as pessoas seriam contra logo de início. Assim eles vão quebrando a economia aos poucos, dando munição aos órgãos da grande imprensa também aliada da extrema esquerda nesse projeto do globalismo. Se vocês duvidam, pesquisem sobre as relações de todos esses partidos com o PCC incluindo aí fóruns e congressos. É fato também que os chineses vêm adquirindo o controle acionário de inúmeras empresas aqui no Brasil há tempos e agora fica mais evidente e conveniente por conta da desvalorização causada pelo "vírus chinês", uma grande coincidência. Incrível constatar que essa turma da esquerda sempre esteve prestes a ajudar o país, porém nunca o fizeram porque estavam ocupados demais com seus "projetos". A OMS também já mostrou a que veio, modificando a todo momento os protocolos conforme os interesses de grandes laboratórios e poderosas organizações que a financiam. Gostaria de verdade de estar totalmente errado sobre tudo isso
  • Chico  07/06/2020 13:41
    Qual o motivo do dólar estar caindo? Seria uma ilusão temporária ou algo para ficar"feliz"?
  • Xerox  07/06/2020 22:42
    Foram dois cisnes negros às avessas.

    1) O primeiro cisne foi a divulgação do vídeo da reunião ministerial, no dia 15 de maio. Foi exatamente naquele dia que tudo mudou. Foi ali que se deu a guinada no câmbio. Com o que se viu (equipe econômica preocupada com a economia e defendendo a volta ao trabalho, sem demagogias), o investidor estrangeiro voltou a se animar com o Brasil e voltou pra cá.

    2) Historicamente, o dólar costuma cair em junho e julho.

    3) O segundo cisne foram as badernas feitas aqui e nos EUA. Péssimas para a esquerda. Enfraqueceu muito o discurso contra Bolsonaro, bem como qualquer chance de impeachment. Nos EUA, mutilaram as chances dos democratas. Aí todo mundo voltou a comprar ações (aqui e lá). Acham que diminuíram os riscos de rupturas econômicas.

    4) O índice DXY está caindo no mundo todo, o que significa que as pessoas não mais estão recorrendo ao dólar para se proteger. Diminuiu a demanda por liquidez. Investidores voltaram a ficar mais ávidas para especular com ações. Vide os índices das bolsas mundiais.

    E, se formos levar em conta a flopada das manifestações antifas de hoje, é capaz de o dólar voltar a cair com força amanhã. A oposição ao governo Bolsonaro é, na verdade, sua maior aliada. E a verdadeira oposição ao governo é gente dele próprio. Cenário insólito.
  • Sadib  08/06/2020 12:37
    Eu vejo essa queda como oportunidade de entrada no ouro. Vou aos poucos comprando minha parte, já que vejo o dólar e ouro subindo a médio prazo.. e volta da inflação por aqui com o descontrole nos gastos por conta do covid.
    Alguém tem algum palpite?
  • Xerox  08/06/2020 17:16
    E hoje aconteceu exatamente como previsto ontem.
  • Felipe L.  08/06/2020 14:10
    Por que vocês acham que o Bolsonaro tinha tirado os dados de casos e mortes do SARS-CoV-2?
  • Fabrício  08/06/2020 14:45
    Estou por fora desses detalhes. E nem sei se é verídico. O que sei é que a mídia estava propositalmente distorcendo e desinformando.

    O Ministério da Saúde publica, diariamente, o número de mortes do dia anterior mais o número de mortes confirmadas de vários dias anteriores (até semanas), as quais ainda estavam pendentes.

    Exemplo: em um dia, morreram efetivamente 400 pessoas, e também confirmou-se que 800 pessoas cujos registros ainda estavam pendentes de confirmação morreram nos últimos 60 dias.

    Qual foi o número efetivo de mortes no dia anterior: 400

    Como a mídia divulga: 1.200 pessoas morreram ontem.

    Aí não dá.
  • Humberto  08/06/2020 14:50
    Primeiro estado a decretar lockdown, Maranhão tem mais mortes por milhão do que muitos lugares com menor restrição

    sensoincomum.org/2020/06/08/juiz-lockdown-maranhao/
  • Fabrício  08/06/2020 18:08
    E essa agora?! Segundo a OMS, assintomáticos NÃO transmitem covid!

    www.cnbc.com/amp/2020/06/08/asymptomatic-coronavirus-patients-arent-spreading-new-infections-who-says.html

    Mas, ora, o lockdown foi exatamente para impedir os assintomáticos de transmitirem!

    Percebam como que malandramente essa escumalha vai mudando e adaptando a narrativa para, no final, tirar o corpo fora.
  • Engenheiro e Economista  08/06/2020 19:36
    Apesar de ter saído essa noticia na mídia, duvido que ela seja explorada. No corpo dela tem:
    "If asymptomatic spread proves to not be a main driver of coronavirus transmission, the policy implications could be tremendous. " Melhor dizendo: isolamento social foi UM EQUÍVOCO!!!!!

    Será uma daquelas noticias a serem deixadas de lado, exatamente como a mencionada acima do Maranhão.

    Esses canalhas vão é passar o dia inteiro dizendo que o Imperial College de Londres em novo estudo calculou o salvamento de 3 milhões de pessoas devido ao isolamento adotado por sua própria sugestão.

    Detalhe, mais uma ve, é completamente ignorado nesse estudo qualquer efeito colateral pela adoção desse isolamento..... Ou seja, mesmo na improvável hipótese de ser verdade que foram salvas 3 milhões de vida devido a esse isolamento, quantas pessoas irão morrer justamente devido a sua adoção??... Deixa isso pra lá?????

    Não é fofo esse Imperial College de Londres?!! Salvou o Mundo!!!..
  • Imperion  08/06/2020 22:20
    Para transmitir é necessário que o corpo dele esteja produzindo vírus, mas ao produzir, a destruição celular promove o sintoma, como dor. Totalmente fora de questão alguém com as células sadias ter uma carga viral o suficiente pra transmitir pelo ar qualquer vírus.
  • Engenheiro e Economista  09/06/2020 03:58
    "Para transmitir é necessário que o corpo dele esteja produzindo vírus,
    Entendi seu ponto.
    Mas, se assintomaticos não transmitem, a incrível rapidez que esse virus se espalhou é ainda mais impressionante.Seria porque ele se espalha facilmente pelo ar? Se afirmativo, isso poderia explicar porque as pessoas estariam pegando em casa mesmo.

    Porém, isso implicaria um número muito grande de assintomaticos que já o teriam pegado pelo ar.
    Um teste em massa da população deveria refletir esse numero bastante elevado de pessoas que já teriam pego esse virus.

    E por óbvio, ficaria ainda mais inútil todo esse isolamento, uma vez que o vírus está no ar infectando a todos...
  • Fabrício  09/06/2020 05:03
    Cara, sinceramente, não houve rapidez nenhuma. O mundo tem 7 bilhões de habitantes. No momento, são 6,9 milhões de infectados no mundo. Isso não dá nem 0,1% da população.

    E ainda que o número de infectados seja 10 vezes maior, então temos que 1% da população mundial foi infectada. Nada.

    O que acontece é que, quando a pessoa não-imune é infectada, ela transmite para outros enquanto ainda não tem sintomas. E só depois que passa a apresentar os sintomas é que ela se recolhe (já tendo transmitido para terceiros). E, pelo que já foi divulgado, os sintomas aparecem rapidamente (em não mais que 24 horas). Por isso, normalmente a pessoa contamina majoritariamente quem está próximo dela no convívio diário.

    Já quando a pessoa é infectada e se torna assintomática ou fica imune, ela não passa pra ninguém (palavras da OMS).

    É por isso que quarentena, lockdown e o caralho a quatro são inúteis: quem se contamina e adoece, fica sem energias, se recolhe e não sai de casa. Já quem se contamina e não apresenta sintomas continua circulando normalmente (sem contaminar terceiros, como agora admite a própria OMS). Ter ou não ter lockdown não altera em nada essa dinâmica. Um adoentado não tem energias pra sair de casa e ficar circulando. Ele próprio já voluntariamente se retira de cena, sem lockdown. Exatamente por isso não há diferença substantiva de mortes per capita entre os países que adotaram e os que não adotaram lockdown.

    Quando eu comento aqui sobre isso, tem nêgo que acha ruim, mas as evidências vão só se avolumando. E agora com chancela da sacrossanta OMS. Sim, quase todo mundo pegou em casa. O exemplo de Nova York é o mais sintomático. O próprio governador admitiu isso estupefato.

    Observe que aqui no Brasil não se divulga como as pessoas foram contaminadas. Aliás, não se divulga nem as idades dos mortos, nem se tinham comorbidades e nem com quem estiveram em contato. Muito estranho. Se estivermos seguindo o mesmo padrão do resto do mundo, então temos que os infectados estavam em asilos, casas de repouso, em casa ou eram médicos a serviço. A família inteira de Cláudia Raia foi contaminada em casa. Eles estavam sem sair havia dois meses, e pegaram. Segundo ela, a contaminação "deve ter ocorrido" quando ela entrou no elevador para pegar delivery na portaria (risos).
  • Joao Paulo  09/06/2020 03:28
    Pelo andar da carruagem, logo logo a OMS vai divulgar que se enganou e que o Covid não é capaz de matar. "Gente, foi mal ae"
  • Luciano Andrade  09/06/2020 05:17
    A OMS tá mudando as posições de forma homeopática só para chegar naquele ponto que muita gente já desconfia qual é.
  • Francisco Lobo  09/06/2020 18:26
    OMS

    23:55 - não é nada grave
    23:56 - é grave
    23:57 - máscara não serve pra nada
    23:58 - use máscara
    23:59 - assintomático transmite
    00:00 - assintomático não transmite
    00:01 - lockdown pra todos
    00:02 - lockdown exceto país pobre
    00:03 - nunca sugerimos lockdown

    Ciência
  • Aluno  08/06/2020 21:38
    A título de esclarecimento, reforçar o caixa do Tesouro com a valorização das reservas internacionais não é novidade alguma e nem um "golpe de mestre" de "mago" com formação em Chicago.
    Paulo Guedes é muito competente mas Lula e Temer já se utilizaram deste mecanismo, Dilma tentou sem sucesso em 2016 e o Banco Central tem expertise, HÁ MUITO TEMPO, para atuação no mercado spot, swap cambial puro e swap cambial reverso.
    Concluindo, mesmo que não houvesse este tipo de estratégia, utilizada como mecanismo de controle da volatilidade cambial, que não se trata de "contabilidade criativa", a simples desvalorização do real frente a moeda americana já seria suficiente para a obtenção deste ganho.
    Tomara que o CMN autorize esta operação e os recursos sejam utilizados de fato para o combate ao COVID 19 e a recuperação da economia.
    Aqui não tem lado dos 30% ou dos 70%.
    Esclarecimento faz parte do BRASIL 100%.
  • CVD  09/06/2020 21:02
  • Gabriel  09/06/2020 00:59
    Enquanto isso, os prefeitos continuam mandando fiscal e polícia pra cima de vendedor ambulante.



    Estão praticamente condenando o cidadão à miséria. Se ele estivesse mascarado quebrando a cidade, a imprensa estaria batendo palmas. Mas ele está tentando trabalhar, aí não pode. Mundo invertido.


  • Vinícius  09/06/2020 05:04
    "Estão praticamente condenando o cidadão à miséria. Se ele estivesse mascarado quebrando a cidade, a imprensa estaria batendo palmas. Mas ele está tentando trabalhar, aí não pode. Mundo invertido."

    Com essa simples frase, você entendeu perfeitamente por que a esquerda tem tara com lockdown, e sempre fica brava quando alguém fala em algum remédio para o vírus (veja como ficam exaltados quando se fala em hidroxicloroquina). Eles querem colapso econômico e o povo mendigando auxílio de políticos. Em todos os países governados pela esquerda-raiz é assim.

    O corona foi um presente divino para eles.
  • Felipe L.  09/06/2020 22:29
    Vocês acham que compensa refutar essa postagem ou não?

    Eu tenho vontade de comentar isso:

    "Depois dessas políticas matarem um monte de gente de suicídio e fome, eu quero ver se vocês vão continuar defendendo essas medidas absurdas e ditatoriais de governos e prefeituras. As pessoas mais pobres precisam sair para trabalhar, o Brasil não gira em torno de home office na Avenida Paulista. Vocês vão por acaso pagar as contas delas? Pagar o aluguel?"

    Quem perde com isso é a Ciência, já que há indícios de que as medidas de bloqueio e quarentena impostos não mudam nada na taxa de mortes e infectados.
  • Engenheiro e Economista  10/06/2020 01:44
    Acho que compensa refutar sim. Você está coberto de razão no seu comentário.
    É o que digo sempre....todos agem como se não houvesse efeitos colaterais na adoção de lockdown.
    Ninguém tem coragem de sequer comentar que o número de morte causados por essa atitude pode ser (ou não) maior do que o numero de vidas supostamente salvas agora.
    Não precisaria nem estimar um numero, mas ao menos um comentário sobre isso, já me deixaria feliz..
    Mas, não....lockdown é a salvação do Mundo.... Só tem benefícios... Espanta nunca o terem adotado antes....
  • Mateus  09/06/2020 22:54
    O número de infectados assintomáticos é absurdo, como o de mortes subnotificadas, a medicina tem meios de anteceder e tratar todos, o uso de drogas(hidroxicloroquina e vermífugo) para diminuição da virulência quando o paciente ainda está assintomático ou mesmo quando contaminado e apresentando os sintomas é fundamental, se fossem apresentadas facilidades para os empresários produzirem os testes e daí sim entrar com medicação, a taxa de contaminados seria muito menor que a de hoje.
    No entanto a briga desta porcaria de imprensa foi para comprar ventiladores que não se mostrou o melhor dos tratamentos, ou seja, taxa de mortalidade próxima a 80%, quando a bomba explodiu sobre as compras superfaturadas acabou o assunto na imprensa a là jornal nacional...
    Enfim, espero que saia dados sobre comorbidades e idade.
    A prevenção com os testes e medicação em caso suspeito ainda é a única maneira de combater o vírus
  • anônimo  13/06/2020 08:05
    Brasil é a prova viva de que lockdown é inútil. Fechou tudo logo que a OMS mandou e não resolveu absolutamente nada. As mortes continuaram aumentando muito mais do que antes. Aliás, é até irônico o fato de que as mortes não estão abaixando, parece até uma afronta mostrando que lockdown é algo inútil.
  • João Paulo  11/06/2020 03:41
    Não sei se já postaram, mas achei interessante:

  • Alison B  13/06/2020 09:39
    Cara, não acredito que conheci vocês só agora, junho de 2020, em plena pandemia.

    Excelente.

    Vim através do investidorinternacional.com
  • Engenheiro e Economista  13/06/2020 18:27
    Rapaz...tive o mesmo sentimento que você....agora em março de 2020.
    Alguma coisa esse lockdown trouxe de bom!!
  • Felipe L.  15/06/2020 02:14
    Fiz uma curta pesquisa sobre os auxílios governamentais ao redor do mundo, e eis um fenômeno interessante e esperado:

    O mostra em quais países estão sendo adotadas medidas de auxílio governamental com relação a salários e afins, para quem perdeu emprego ou renda.

    - Nos países em azul, onde os auxílios são mais fartos, grande parte deles é composta de países ricos, produtivos e com alguma abertura econômica.

    - Em países de vermelho, sem qualquer auxílio desse tipo. Grande parte de países mais pobres.

    No México na verdade está tendo auxílio, mas com coisas como empréstimos para pequenas e médias empresas, entre outras coisas. AMLO tem adotado algumas medidas muito esquisitas. Misturou corte de ministério e salário do funcionalismo com projetos de refinaria, trem e aeroporto estatais.
  • Felipe L.  16/06/2020 13:22
    O FDA recentemente desautorizou o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus. Vindo de uma agência que ajudou a atrapalhar o combate ao vírus, que vocês acham?

    Agora, mudando de assunto, eis mais um museu vítima da burocracia estatal:

    "'Não foi por falta de aviso', afirma ex-diretor do Museu da UFMG que pegou fogo"

    A mesma universidade que decide não dar aulas à distância, um absurdo. Quer dizer, a universidade estatal tem um farto orçamento (todas as federais são assim) e eles são incapazes de dar algum tipo de coisa à distância. Se a UFMG mudou algo nesse tempo e decidiu dar aula à distância, me corrijam por favor.
  • Fabrício  16/06/2020 17:11
    Outra notícia completamente distorcida. A FDA retirou a autorização de uso emergencial de HCQ em hospitalizados. Em geral são hospitalizados os que têm sintomas há mais de 7 dias (segunda fase), quando é sabido que não há eficácia. A hipótese de eficácia é (e sempre foi) na fase 1, até o 4o dia (como no Tamiflu/H1N1).

    Ou seja, a FDA apenas aboliu aquilo que já se sabia que não funcionava com o intuito de aumentar a oferta de HCQ para pacientes na fase inicial do tratamento.

    Eis aqui um vídeo do Trump e do cara da FDA falando exatamente isso:

    twitter.com/saboyajr02/status/1272717860016730112

    Você foi enganado por mais uma fake news.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.