Mises Brasil Instituto Ludwig von Mises Brasil
http://www.mises.org.br


Errata: Consumo não, produção!
por Fernando Ulrich, quarta-feira, 28 de julho de 2010

Prezado leitor do IMB, perdoe-me a pretensão, porém me vejo obrigado a aproveitar este espaço para corrigir um erro da revista quinzenal Exame, edição 972 de 28/7/2010, cuja capa estampa a seguinte frase: Consumo, a força que move a economia.

Pela presente errata, retifico, não é o consumo que move a economia, é a produção!

Apesar da matéria de capa não entrar no debate econômico, acredito ser imprescindível que os leitores do IMB enxerguem a mídia através das "lentes" austríacas.

O artigo da editora Abril ilustra na verdade o fato de o mercado consumidor brasileiro estar crescendo. Indiscutivelmente e apesar do Governo, a economia brasileira vivencia um bom momento, com desemprego em baixa e aumento de renda, inserindo na economia camadas da população que antes praticamente não participavam. Sem entrar no mérito da sustentabilidade do cenário econômico brasileiro, é fato que este mercado consumidor está aumentando. Não se esqueçam, eu disse "apesar" do Governo.

Mas voltemos ao título da Exame. Ao contrário do que é divulgado intensa e quase que sublinarmente, dia após dia, o consumo não é a força que move a economia. O consumo americano não é o motor da economia mundial, é o principal entrave.

Consumo é a consequência da produção. Para que algo possa ser consumido, é preciso que este algo seja previamente produzido. Economistas keynesianos e do mainstream costumam inverter as relações de causa e efeito.

Portanto, quanto maior for a produção, maior será o consumo. Para que a produção aumente é necessário que haja investimento. Para investir é necessário poupar.

Os chineses pouparam e produziram. Os americanos consumiram comprando fiado dos chineses. Se os americanos não começarem a produzir, jamais poderão pagar a conta.

Enquanto economistas e leigos da mídia continuarem a perpetuar falácias como esta, será difícil corrigir as distorções da economia mundial.